JBS TEVE UMA DÍVIDA DE 1,3 BILHÕES REDUZIDA PARA R$ 320 MILHÕES

O empresário  Jose Batista S. Júnior  ( cujo nome originou o nome da empresa, JBS), seria candidato ao governo de Goias em  2014.  Ele desistiu da candidatura e passou a apoiar o então candidato, Marconi Perilo ( que venceu as eleições); Por “coincidência”,  Marconi Perilo assinou uma lei de isenção de dívidas.

A Lei nº 18.709 assinada pelo    governador Marconi Perillo  e publicada  em 22 de dezembro de 2014, foi  aprovada após apenas 3 dias de tramitação.

De  acordo com a citada  lei,, toda empresa que pagasse suas dívidas com o Estado de Goiás teria 100% de abatimento em juros, multas e correção monetária. A lei  serviu de brecha A JBS-Friboi  negociar suas dívidas.

A JBS-Friboi possuia uma dívida de ICMS no valor de  R$ 1,3 bilhão. Do referido valor, a JBS  pagou R$ 170 milhões à vista e parcelou outros R$ 150 milhões em suaves 5 anos.

A dívida, que era de R$ 1,3 bilhão, caiu para R$ 320 milhões com facilidade para o pagamento.

 

JBS RECEBEU, 8,1 BI DO BNDES E 3 BI DA CAIXA ECONÔMICA

O PLENÁRIO DO STF VAI ANULAR OS BENEFÍCIOS DADOS POR FACHIN AOS EMPRESÁRIOS DA JBS. O ACORDO SERÁ REVISTO. VÁRIOS MINISTROS CONSIDERAM OS BENEFÍCIOS MUITO GRACIOSOS……(O PROCURADOR JANOT CONSIDERA QUE O ACORDO FEITO ESTÁ CORRETO). CASO COMPROVADO QUE OS EMPRESÁRIOS USARAM A BOLSA PARA ESPECULAR) O ACORDO PODE SER ANULADO. NÃO SE PODE FAZER UMA DELAÇÃO PARA SE PRATICAR OUTRO CRIME.INVESTIDORES DOS EUA TAMBÉM ESTÃO QUERENDO PROCESSAR OS CARNICEIROS POR PREJUÍZOS NA ESPECULAÇÃO DA BOLSA.
AS EMPRESAS DO GRUPO TIVERAM UMA GRANDE QUEDA E O GRUPO VAI VENDER A EMPRESA VIGOR E ALPARGATAS.
OFICIALMENTE A JBS RECEBEU 8,1, BILHÕES DO BNDES E 3 BILHÕES DA CAIXA ECÔNOMICA.
A JBS É A SEGUNDA MAIOR DEVEDORA DO INSS
E EM 2014, DILMA ISENTOU A EMPRESA EM UM BILHÃO DE ICMS.

Justiça de SP autoriza gestão Doria a internar usuários de droga à força

A Justiça acatou nesta sexta-feira (26) em decisão liminar (provisória) o pedido feito pela gestão João Doria (PSDB) para internar dependentes químicos à força. A solicitação foi feita após as ações da prefeitura e do Estado na cracolândia, região central da capital paulista, desde o último domingo (21). O Ministério Público vai recorrer da decisão.

A decisão favorável contraria parecer do Ministério Público e da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, que entraram com pedidos na Justiça contra a solicitação do prefeito.

Presidente do IBGE assumirá o BNDES após saída de Maria Silvia

O presidente Michel Temer convidou o presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Paulo Rabello Castro, para assumir o comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no lugar da economista Maria Silvia Bastos Marques, que entregou o cargo na tarde de hoje (26).

Maria Silvia alegou razões pessoais para deixar a presidência do BNDES. Menos de cinco horas depois da oficialização da saída da agora ex-presidente do banco, o governo confirmou o nome de Castro, também economista, para substituí-la. A posse deve ocorrer na semana que vem. O Planalto ainda não informou quem ocupará a presidência do IBGE.

Maria Silvia esteve no Palácio do Planalto no início da tarde, por volta de 14h30, para conversar com Temer sobre sua saída. Ela estava no cargo desde maio do ano passado.  ( Agência Brasil)

MPF vai recorrer da decisão de Sérgio Moro que absolveu Claudia Cruz

O Ministério público federal vai recorrer da decisão do juiz Sérgio Moro de absolver, Claudia Cruz, ( esposa do ex- deputado Eduardo Cunha)

“Uma pessoa como Cláudia Cruz, jornalista, com um nível de formação cultural, deveria saber quais eram as origens dos recursos”, rebateu o procurador  Carlos Fernando.

Carlos Fernando confirmou que o MPF vai recorrer contra a decisão de Moro ao Tribunal Regional Federal (TRF) . Cláudia Cruz não é acusada  por lavagem de dinheiro.

Janot pede para ouvir Temer e destaca que presidente confessou ‘diálogo secreto’

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu autorização ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), para tomar o quanto antes o depoimento do presidente da República, Michel Temer (PMDB), do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) no inquérito aberto contra os três a partir da delação da JBS.

Conjugando o regime preconizado pelo Código de Processo Penal e pelo Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, a Polícia Federal tem o prazo de 10 dias, contados da realização da prisão, para finalizar as investigações e remeter o inquérito para o Ministério Público Federal, que, por sua vez, possui o prazo de 5 dias para oferecer denúncia ou requerer o arquivamento”, disse Janot.

Há a necessidade de ultimação de inquérito no prazo acima apontado em virtude de haver investigado preso, devendo ser efetivadas diligências a fim de angariar elementos a formação da opinio delicti”, disse Janot.

“Ocorre que, em que pese Michel Temer alegar ilicitude da gravação e questionar a integridade técnica desta, cumpre ressaltar que, em pronunciamentos recentes, o Presidente da República não negou o encontro nem diálogo noturno e secreto com o colaborador JOESLEY BATISTA, tampouco nega que o colaborador tenha lhe confessado fatos criminosos graves, o que demandaria, no mínimo, comunicação de tais crimes as autoridades competentes”, afirmou Janot.

Janot interpretou que, nos pronunciamentos de Temer, houve “confissão no sentido de que os interlocutores dialogaram sobre possível corrupção de agentes públicos”.

O procurador-geral cita um trecho de discurso de Temer: “Devo até registrar, devo até registrar, que e interessante quando os senhores examinam o seu depoimento e o áudio, os senhores verificam que a conexão de uma sentença a outra, não e conexão de quem diz: olhe eu estou comprando o silencio de um ex-deputado e estou dando tanto a ele. Não! A conexão é com a frase: ‘eu me dou muito bem com o ex-deputado, mantenho uma boa relação’, e eu disse: mantenha isso, viu? Enfatizou muita, o viu.”

Em seguida, Janot retoma e diz que: “de fato, o que consta desse trecho do discurso e o reconhecimento por parte do investigado MI CHEL TEMER da existência do diálogo com JOESLEY e da boa relação entre JOESLEY com EDUARDO CUNHA”.

“A interpretação do diálogo e do que significa esta anuência por parte do investigado MICHEL TEMER será avaliada no momento da formação da opinio delicti”, diz Janot.

PF informa apreensão de papel com senhas e anotação “cx 2” em imóvel de Aécio

A Polícia Federal (PF) encontrou um bloqueador de sinal telefônico e uma lista de indicações para cargos federais nas operações de busca e apreensão realizadas na semana passada na casa e no gabinete do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Os mandados foram expedidos pelo ministro Edson Fachin na Operação Patmos.

No apartamento do senador, no Rio de Janeiro, foram apreendidos um bloqueador de telefone, 15 obras de arte, diversos documentos, entre eles um papel azul com senhas, além de diversos “comprovantes de depósitos e anotações manuscritas, dentre elas a inscrição “cx 2”.

Os relatórios das apreensões da PF foram anexados hoje (26) no inquérito no qual o parlamentar é investigado no Supremo com base nas delações premiadas dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS.

De acordo com os policiais, foram apreendidas no gabinete do senador planilhas que teriam nomes de indicações para cargos federais, com referências aos partidos que fizeram as indicações e a remuneração. Uma agenda com marcações de reuniões com Joesley Batista e uma folha manuscrita com dados da empreiteira Odebrecht. Os celulares do senador também foram levados pelos policiais.

Nos depoimentos de delação premiada, Joesley Batista afirma que pagou R$ 2 milhões ao senador e que a contrapartida seria a indicação para um cargo na Vale, que não se concretizou. Os executivos afirmam também que pagaram propina ao senador durante a campanha presidencial de 2014, com a expectativa de que ele atuaria a favor da empresa posteriormente, se fosse eleito.

Na terça-feira (23), em um vídeo publicado nas redes sociais, Aécio classificou de “injustificáveis” as operações que tiveram como alvo ele e sua família, resultando na prisão de sua irmã, Andrea Neves, e seu primo Frederico Pacheco.

“Eu reafirmo aqui, de forma definitiva: não cometi crime algum. Minha irmã Andrea não cometeu crime algum. Meu primo Frederico não cometeu crime algum. São pessoas de bem, que sofrem hoje com a injustiça das sanções que lhes foram impostas”, disse o senador.

Por meio de nota, o advogado do senador Aécio Neves, Alberto Zacharias Toron, disse lamentar “que citações sem qualquer informação real sobre a que se referem ou mesmo alguma contextualização que permitam o seu devido esclarecimento estejam sendo divulgadas para a imprensa por agentes públicos envolvidos na investigação em curso.”

“Ainda assim, asseguramos que uma eventual referência a CX 2 não significa qualquer indício de ilegalidade. O senador Aécio reitera que em toda sua vida pública, nas campanhas de que participou, agiu de acordo com o que determina a lei.”

De acordo com o advogado, o senador está à disposição da Justiça para ser ouvido e esclarecer o que for necessário. (Agência Brasil)

Lei de imigração: Temer faz seis vetos e atende os patriotas

O presidente Michel Temer sancionou, ontem, com vetos, a Lei de Migração, que vai regular a entrada e estada no Brasil dos migrantes e visitantes, e estabelecer diretrizes para as políticas públicas voltadas para esse público. A sanção foi publicada na edição desta quinta-feira do “Diário Oficial da União”. A proposta substitui o Estatuto do Estrangeiro, de 1980. Os vetos atendem reclamações duras feitas por patriotas de todo o Brasil (veja foto ao lado).
Entre os principais vetos:
1 – Previsão de anistia para quem entrou no Brasil até julho de 2016. O projeto aprovado pelo Senado em abril previa que esse grupo receberia autorização de residência independentemente de sua situação migratória prévia.
2 – Foi vetado a ao imigrante a possibilidade de “exercer cargo, emprego e função pública, conforme definido em edital, excetuados aqueles reservados para brasileiro nato, nos termos da Constituição” e a concessão automática de residência no país a aprovados em concursos públicos
 Migração.Os vetos de Temer.
O presidente Michel Temer sancionou, ontem, com vetos, a Lei de Migração, que vai regular a entrada e estada no Brasil dos migrantes e visitantes, e estabelecer diretrizes para as políticas públicas voltadas para esse público. A sanção foi publicada na edição desta quinta-feira do “Diário Oficial da União”. A proposta substitui o Estatuto do Estrangeiro, de 1980.
Entre os principais vetos:
1 – Previsão de anistia para quem entrou no Brasil até julho de 2016. O projeto aprovado pelo Senado em abril previa que esse grupo receberia autorização de residência independentemente de sua situação migratória prévia.
2 – Foi vetado a ao imigrante a possibilidade de “exercer cargo, emprego e função pública, conforme definido em edital, excetuados aqueles reservados para brasileiro nato, nos termos da Constituição” e a concessão automática de residência no país a aprovados em concursos públicos.
3 -Outro trecho vetado previa que não seria exigido “prova documental impossível ou descabida que dificulte ou impeça o exercício de seus direitos, inclusive o acesso a cargo, emprego ou função pública”. Segundo o veto, o dispositivo possibilitaria o exercício do cargo por estrangeiro não residente, em afronta à Constituição.
4 – A livre circulação de povos indígenas e populações tradicionais em terras ocupadas por seus ancestrais foi vetada.
5 –  Outro veto foi a para o parágrafo que previa a concessão de visto ou autorização de residência para fins de reunião familiar, que poderia ser estendida para outras hipóteses de parentesco, dependência afetiva e fatores de sociabilidade.
6 – Também foi vetada a dispensa do serviço militar de brasileiros por opção ou naturalizados que já tenham cumprindo suas obrigações militares no país de origem. O artigo que previa a revogação da expulsões decretadas antes de 5 de outubro de 1998 foi vetado.
A proposta, apresentada pelo senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), atual ministro das Relações Exteriores, já havia sido aprovada pelo Senado, mas, ao ser analisada na Câmara, foi modificada pelos deputados, fazendo, assim, com que os senadores tivessem de votá-la novamente. O texto foi aprovado pelo Senado em abril. (Políbio Braga)

Estão procurando outro motivo p afastar Temer – Áudio de Joesley não vai servir

Uma conversa por telefone na qual o presidente Michel Temer conversa com o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), interceptada pela Polícia Federal, pode gerar um novo pedido de inquérito ao Supremo Tribunal Federal (STF). A informação foi revelada pelo jornal Folha de S.Paulo e confirmada pelo Estado.

Defesa. Em nota, o Planalto afirma que “houve amplo debate com o setor antes da publicação do decreto de renovação das concessões de portos. Todos os dados são públicos”. O Planalto informa que as conversas não continham nenhum objeto protegido por sigilo tampouco informações privilegiadas.

“Na conversa entre o presidente Michel Temer e o deputado Rodrigo Rocha Loures, somente se revela o dia em que estava programado evento público para assinatura do ato. Sequer o conteúdo foi repassado como informação. Nas conversas subsequentes, o deputado dialoga com empresários e falam da preparação da divulgação, inclusive para a imprensa. O assunto não comportava nenhum sigilo ou informação privilegiada, apenas a publicação do decreto que finaliza o longo processo de negociação entre o governo e o setor empresarial, como é comum e legítimo em uma democracia”, consta na nota do Planalto.

Para ser ministro, Fachin recebeu ajuda do senador Ricardo Saud, diretor da JBS

 

Como contou, hoje, o jornalista Jorge Bastos Moreno em O GLOBO, o jurista Edson Fachin admite que pediu ajuda “ao pessoal da JBS” em 2015 para ser nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo o jornalista a indicação de Fachin para o STF dependia dos votos de senadores. Ricardo Saud, diretor da JBS, de fato ajudou Fachin a cabalar votos.

Hoje, Saud é um dos delatores da HBS, e Fachin, o relator da Lava Jato no STF.

Com certeza, o acordo que beneficiou a JBS na delação, nada tem com isso.

Informações de Ricardo Noblat

Agência de risco internacional acredita na queda de Temer

A consultoria americana ( agência de risco)  Eurasia  diz que Temer tem 70%  para sair e apenas 30% para ficar. A agência reconhece que as acusações contra Temer são inconclusivas mas que possa ser que existam outras informações contra Temer que não foram reveladas

Essa dedução é uma prova de que    nada existe de concreto contra Temer. Se o ministro Fachin, quebrou o sigilo do processo, não existiria razões para esconder outras informações

Na  avaliação da agência, quanto mais tempo Temer ficar, pior para o Brasil, porque as reformas  da previdência não será aprovada.

Moro absolve a esposa de Eduardo Cunha, Cláudia Cruz

 
A jornalista  Claudia Cruz que foi acusada de lavagem de dinheiro e evasão de divisas pela força-tarefa da Lava Jato. , foi absolvida.O juiz Sérgio Moro alegou falta de provas.
O magistrado apontou ‘falta de prova suficiente de que (Cláudia Cruz) agiu com dolo’ ao manter conta na Suíça com mais de US$ 1 milhão, dinheiro supostamente oriundo de propina recebida pelo marido.

Governo quer identificar e processar responsáveis por depredação em protesto

O governo federal quer identificar e processar os responsáveis por atos de depredação do patrimônio público praticados ontem (24) durante a manifestação do Ocupa Brasília. Para isso, a Presidência da República irá acionar a Advocacia Geral da União (AGU), segundo o ministro da Defesa, Raul Jungmann, durante anúncio de suspensão da ação de Garantia de Lei e da Ordem (GLO).

“O presidente decidiu acionar a AGU para que sejam feitas perícias nos imóveis de toda a Esplanada, onde ocorreram atos de vandalismo e barbárie, para que [os responsáveis] sejam levados à Justiça e venham a pagar pelos danos e responder criminalmente todos que realizaram aqueles atos abomináveis incompatíveis com o regime democrático”, disse Jungmann.

Segundo ele, ainda não há estimativa do valor dos prejuízos.

O ministro fez um retrospecto de outras ações de garantia da lei e da ordem. “De 2010 a 2017 foram realizadas 29 ações de garantia à lei e à ordem. Em todas essas ações, que envolvem copas do Mundo e das Confederações, Olimpíadas e na defesa, por conta da greve de polícias, a exemplo do que aconteceu em Pernambuco e no Espírito Santo. Nunca aconteceram incidentes graves que viessem a manchar a atuação das Forças Armadas.”

“A orientação dada por nós ao general Pereira Gomes, que comandou a operação, foi que as Forças Armadas funcionassem defensivamente para defender o patrimônio e a vida das pessoas, e não a repressão”, acrescentou o ministro, ao comentar que graças a essas ações foi garantida a continuidade dos trabalhos do Congresso Nacional, com a Câmara aprovando oito medidas provisórias. “A governabilidade não foi afetada.”

Perguntado sobre a declaração de que teria partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o pedido para que as Forças Armadas reforçassem a segurança na Esplanada, Jungmann disse que houve um mal entendo.

“Quando aqui cheguei e recebi determinação do presidente Temer, já tinha sido feita uma avaliação, dada a insuficiência do contingente da Força Nacional de segurança. Houve um mal-entendido em termos de comunicação, uma vez que não era do meu conhecimento a solicitação [de Maia] por escrito. Liguei para o Rodrigo Maia e dei as explicações”, disse Jungmann.

Segundo ele, a decisão de uso das Forças Armadas foi do presidente Michel Temer, após ouvir os ministros da Defesa e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). “Era absolutamente necessário que ocorresse porque a Força Nacional não tinha condições de apresentar o efetivo de 1,4 mil homens como tínhamos das Forças Armadas”, disse ele ao enfatizar que o presidente da Câmara não tem responsabilidade pelo emprego das Forças Armadas. “Foi uma decisão que nós tomamos, e tudo já esta esclarecido”.

O ministro aproveitou o pronunciamento para transmitir uma mensagem do presidente Michel Temer: “Não há democracia sem ordem. A ordem e basilar e essencial à democracia. No que diz respeito às Forças Armadas, dentro da Constituição, tudo. Fora da Constituição, nada”.

Convocação de Temer para atuação do exército foi legal

Para o jurista Modesto Carvalhosa, porém, o problema de segurança ficou evidente nesta quarta-feira, 24. Além de ver constitucionalidade na medida, ele avalia que a depredação de ministérios provou ser “absolutamente necessário e correto” o decreto. “A convocação não é só um poder do presidente, é um dever para a garantia da ordem.”

O professor de Direito da PUC-SP Tércio Sampaio defende a convocação das Forças Armadas em casos excepcionais. Atos de violência como os vistos nesta quarta-feira, na avaliação dele, configuram atentado contra a ordem pública. “Essa desordem é motivo suficiente para convocar intervenção e o presidente da República tem a competência para chamá-las”, afirma. ( Fonte Estadão)

O QUE OCORREU ONTEM  (24/05) FOI UMA AÇÃO TERRORISTA PLANEJADA COM OBJETIVOS POLÍTICOS: DESESTABILIZAR O PAÍS E CONVOCAR ELEIÇÕES DIRETAS JÁ.

Presidente do Senado lê em plenário requerimento para criação da CPI do BNDES

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), leu hoje (24) no plenário da Casa o requerimento de criação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar o uso do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a internacionalização de empresas brasileiras.

Mais cedo, o senador Roberto Rocha (PSB-MA) anunciou que apresentaria o requerimento com 37 assinaturas de apoio – 10 a mais que o necessário para a instalação da comissão. A partir da leitura pelo presidente Eunício Oliveira, os senadores que assinaram têm até a meia-noite para retirar o apoio, se desejarem. Se, mesmo com a retirada de assinaturas, o requerimento mantiver o mínimo de 27, a comissão poderá ser instalada.

A CPI vai investigar os critérios e eventuais irregularidades na concessão de empréstimos do BNDES pelo programa de globalização de companhias nacionais, entre elas a JBS, cujos executivos firmaram acordo de delação premiada e de leniência com a Justiça.

Votações

Mais cedo, o Senado votou uma série de decretos legislativos para endossar acordos internacionais firmados pelo Brasil, e Eunício Oliveira leu em plenário o recebimento da Medida Provisória (MP) 763/2016, que permite o saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

A MP foi aprovada ontem (23) pelos deputados e, com a leitura no Senado, constará da ordem do dia dos senadores a partir de amanhã (25). A expectativa é que ela seja votada na próxima terça-feira (31). Se não for votada, a MP perderá a validade por decurso de prazo no dia 1º de junho.

PETISTAS CHAMAM DESTRUÍDORES DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DE “MANIFESTANTES “

“PRIMEIRO VAMOS TIRAR TEMER, DEPOIS MORO”
Grito de Guerra, (manifestação em Brasilia) c/liderança de BOULOS, STEDILE, LINDENBERG,GLAISE,ETC

TERRORISTAS MASCARADOS INVADINDO E DEPREDANDO O PATRIMÔNIO PÚBLICO, SÃO CHAMADOS PELOS PETISTAS DE MANIFESTANTES DE MOVIMENTOS SOCIAIS.
SÓ SE FOR A SOCIEDADE DO CRIME ORGANIZADO PARA DESTRUIR A NAÇÃO BRASILEIRA.

IMAGINEM O QUE ELES SERÃO CAPAZES DE FAZER COM LULA NO PODER. VÃO CRIAR LEIS COMUNISTAS , CONTROLE DA IMPRENSA, PROCESSO PARA OPOSITORES
TORNAR O BRASIL QUINTAL DE CUBA, UMA VENEZUELA.

ESSES TERRORISTAS FORAMTREINADOS PARA FAZER GUERRILHA URBANA. ESTÃO A SERVIÇO DE CUBA, DO FORO DE SÃO PAULO E DE LULA .

Brasília – Governador ficou surpreso com a convocação do exército por Temer

Para surpresa do Governo de Brasília, a Presidência da República decidiu na tarde de hoje recorrer ao uso das Forças Armadas, medida extrema adotada sem conhecimento prévio e nem anuência do Governo de Brasília e sem respeitar os requisitos da Lei Complementar nº 97/99 (artigo 15, parágrafos 2º e 3º)”, diz o texto.

Segundo o governador, os fatos de hoje em Brasília retratam a grave crise política vivida no País e criticou o que chamou de restrição à liberdade. “Não é a violência e nem a restrição de liberdade que a resolverão”, afirmou. “A solução virá do estrito respeito à Constituição e às leis em vigor no país”, completou.

 Rollemberg disse ainda que a Polícia Militar do Distrito Federal, acusada de ter agido com violência pelos manifestantes, “agiu de acordo com o Protocolo Tático Integrado assinado pelos governos federal e distrital, no mês passado, em que a segurança dos prédios públicos federais ficou sob a responsabilidade da União”.
DEVIDO AS CIRCUNSTÂNCIA E O REDUZIDO NÚMERO DE PM EM COMPARAÇÃO AO NÚMERO DE MANIFESTANTES, E COMO O PRÓPRIO GOVERNADOR DIZ  ( “OS PRÉDIOS PÚBLICOS FICOU SOB A RESPONSABILIDADE DA UNIÃO”) A ATITUDE DE TEMER EM CONVOCAR O EXÉRCITO FOI CORRETA.
TEMER NÃO CONVOCOU O EXÉRCITO PARA SE MANTER NO PODER OU PARA UMA GUERRA CIVIL. CONVOCOU APENAS PARA MANTER A ORDEM   E PROTEGER O PATRIMÔNIO PÚBLICO

Fachin diz que PF está autorizada apenas a fazer perícia em áudio sobre Temer

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin disse hoje (24) que a única diligência autorizada no inquérito sobre o presidente Michel Temer foi a perícia no áudio entregue pelo empresário Joesley Batista à Procuradoria-Geral da República (PGR). Na prática, a decisão impede a Polícia Federal (PF) de tomar imediatamente o depoimento do presidente até que o ministro decida sobre a oitiva.

A decisão do ministro foi motivada por uma petição protocolada pela defesa de Temer. Mais cedo, a defesa do presidente informou ao Supremo que uma escrivã da PF entrou em contato com a banca de advogados nesta manhã para saber quando o presidente poderia depor.

Os advogados pediram ainda que, se o presidente for interrogado, o ato deverá ser presidido pelo ministro. “Pede-se vênia, ainda, para reiterar que, se o presidente da República for ouvido, deverá sê-lo em ato presidido por Vossa Excelência ou responder por escrito quesitos adredemente [previamente] elaborados”, argumentam os advogados.

Grupo quebra vidraças, paradas de ônibus e orelhões em protesto em Brasília

Um grupo de cerca de 50 pessoas usando máscaras no rosto promoveu um quebra-quebra em meio à manifestação contra o governo do presidente Michel Temer em Brasília após a Polícia Militar dispersar parte do protesto com bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral.

O grupo destruiu persianas e vidraças de pelo menos cinco ministérios, entre eles o da Integração Nacional, o do Trabalho e o da Agricultura. Este último havia sido cercado por tapumes, mas, mesmo assim, teve os vidros quebrados.

Também foram depredados paradas de ônibus, placas de trânsito, orelhões, holofotes que iluminam os letreiros dos ministérios e até banheiros químicos que haviam sido instalados para a manifestação.

Em frente ao Ministério do Planejamento, no Bloco C da Esplanada dos Ministérios, o grupo de manifestantes mascarados ateou fogo em um orelhão e em cerca de 10 bicicletas de uso compartilhado.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, no início da tarde, cerca de 25 mil pessoas participavam da manifestação.

Do outro lado da Esplanada, um manifestante quebrou a vidraça do comitê de imprensa do Ministério da Fazenda. Os manifestantes corriam para se afastar da área em frente ao Congresso Nacional, onde as forças de segurança jogavam bombas de efeito moral. Ao passar pelo edifício do ministério, um deles atingiu a vidraça com o cabo de uma bandeira.

Mesmo com o vidro quebrado, os manifestantes não conseguiram entrar no prédio, já que há grades de segurança na janela. Na sequência da ação, membros da Força Nacional de Segurança Pública formaram um paredão e permanecem na lateral do prédio. Os funcionários do Ministério da Fazenda foram obrigados a deixar o prédio.

Representantes das principais centrais sindicais protestam hoje (24) contra as reformas da Previdência e trabalhista. Eles também pedem a saída do presidente da República, Michel Temer. Em razão do protesto, toda a Esplanada foi fechada para a circulação de carros. Os servidores que vieram trabalhar nesta quarta estacionaram e entraram pelos anexos dos prédios.

Líder petista diz que “movimentos sociais” foram reprimidos

“Não me lembro de ter visto isso nem na ditadura militar. Não é um ato normal. Já tínhamos visto o acionamento da Garantia da Lei e da Ordem em presídios nas favelas do Rio de Janeiro, mas não tínhamos visto para reprimir os movimentos sociais”, afirmou o líder do PT, Carlos Zarattini (SP), em discurso no plenário.

DEPREDAR PATRIMÔNIO PÚBLICO FAZ PARTE DE AÇÕES DE  “MOVIMENTOS SOCIAIS”????

NEM NA DITADURA SE OUVIR FALAR EM INCENDIAR MINISTÉRIOS.

SÓ BORRACHA E TIRO PARA ACABAR COM ESSES “MOVIMENTOS SOCIAIS”

BRASÍLIA : MINISTÉRIOS FORAM DEPREDADOS POR MASCARADOS VERMELHOS

Ministério da Agricultura
Ministério da Agricultura

‘Espero que a notícia não seja verdadeira’, diz Marco Aurélio sobre decreto que autoriza militares na Esplanada

O PODER JUDICIÁRIO (STJ) NÃO PODE SE METER NAS AÇÕES DO PODER EXECUTIVO. TENTARAM INCENDIAR O3  MINISTÉRIOS. TEMER AGIU DE FORMA CORRETA. MINISTÉRIO DA FAZENDA, TURISMO, PLANEJAMENTO.
MARCO ANTONIO DEFENDE BADERNEIROS E TRAIDORES DA PÁTRIA.
PORTAS QUEBRADAS, CADEIRAS,MESAS, SOFÁS, JANELAS E PORTAS DE VIDROS QUEBRADAS, COMPUTADORES, DOCUMENTOS .QUEIMADOS
COVARDES MASCARADOS DEPREDARAM O MISTÉRIO DA CULTURA, PLANEJAMENTO, FAZENDA.
MAIS DE 500 ÔNIBUS CHEGARAM A BRASÍLIA DE DIVERSAS PARTES DO BRASIL. ISSO É PLANEJADO PELO PT E FINANCIADO POR LULA.

“PRIMEIRO VAMOS TIRAR TEMER, DEPOIS MORO”
Grito de Guerra, (manifestação em Brasilia) c/liderança de BOULOS, STEDILE, LINDENBERG,GLAISE,ETC

RIO E BRASÍLIA: FOGO, TIRO E FUMAÇA

RIO DE JANEIRO: SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS PROTESTAM NA FRENTE DA ASSEMBLEIA  LEGISLATIVA  DO RIO DE JANEIRO, CONTRA O AUMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS. FOGO , FUMAÇA E TIROS.

39 X 26 PROJETO FOI APROVADO

A TAXA DE AUMENTO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PASSOU  DE 11% PARA 14% (AUMENTO É DE APENAS 3 %)

EM BRASÍLIA, O PRESIDENTE MICHEL TEMER ACABA DE CONVOCAR AS FORÇAS ARMADAS PARA ACABAR A BAGUNÇA DOS VERMELHOS

 

TEMER CONVOCA AS FORÇAS ARMADAS PARA ACABAR A BAGUNÇA DOS VERMELHOS

O presidente Michel Temer decretou a “ação de garantia da lei e da ordem” e, com isso, tropas federais passarão a reforçar a segurança na região da Esplanada dos Ministérios até 31 de maio. O anúncio foi feito pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann (assista à íntegra do pronunciamento no vídeo acima).

O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União. Leia a seguir a íntegra:

“DECRETO DE 24 DE MAIO DE 2017

Autoriza o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem no Distrito Federal.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, caput, incisos IV e XIII, da Constituição,e tendo em vista o disposto no art. 15 da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999,

D E C R E TA :

Art. 1º Fica autorizado o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem no Distrito Federal, no período de 24 a 31 de maio de 2017.

Parágrafo único. A área de atuação para o emprego a que se refere o caput será definida pelo Ministério da Defesa.

Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 24 de maio de 2017; 196º da Independência e 129º da República.

MICHEL TEMER

Raul Jungmann

Sergio Westphalen Etcheg”

FONTE: DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO

 

RODRIGO MAIA, PRESIDENTE DA CÂMARA, PEDIU ATRAVÉS DE UM ÓFICIO AO PRESIDENTE TEMER O USO DAS FORÇAS NACIONAIS (PM, BOMBEIROS)  – SÓ POSSUIA 100 HOMENS DA  FORÇA NACIONAL NO DF.
TEMER CORRETAMENTE DECRETOU QUE AS FORÇAS ARMADAS PUDESSE ATUAR.

Brasília – Confusão de petralhas querendo parar o país

BANDEIRAS DO PT, CUT, PT, RÚSSIA, CUBA, ELES AFIRMAM: “TEMER QUER GUERRA, TEREMOS GUERRA”  E EXIGEM AS DIRETAS JÁ.

A Polícia Militar está usando bombas de efeito moral para tentar conter uma confusão que está ocorrendo em frente ao Ministério da Justiça, em Brasília, durante o protesto contra as reformas econômicas e o presidente Michel Temer (PMDB). Um grupo pequeno de pessoas com rostos cobertos provocam os policiais, jogando garrafas de água e pedaços de madeira contra os agentes, tentando furar a barreira colocada na Avenida das Bandeiras, em frente ao Congresso Nacional.

O policiamento, reforçado, está utilizando cassetetes. Lideranças do movimento pedem calma e orientam os manifestantes a não provocar a polícia com gritos de “sem violência”. Mais cedo, houve uma pequena confusão após alguns dos militantes se recusarem a passar pela revista.