Temer pede a noruegueses que façam parte de “momento próspero” brasileiro

Em reunião hoje (22) com investidores noruegueses, o presidente Michel Temer pediu a eles que façam parte “desse momento próspero” pelo qual passa o Brasil. Na tentativa de despertar o interesse dos investidores, Temer citou as reformas trabalhistas e previdenciária, em tramitação no Legislativo brasileiro, e as privatizações e concessões que estão sendo feitas no setor de infraestrutura brasileiro.

Temer disse, aos investidores, que o novo modelo de privatizações e de concessões que está sendo aplicado no Brasil representa oportunidades de investimentos que, em conjunto com as reformas trabalhista e previdenciária, resultará na melhora do ambiente de negócio e da produtividade.

“Queremos que o investidor norueguês faça parte desse momento próspero que estamos vivendo no Brasil. Estou certo e esperançoso de que mais investimentos virão em vários setores, não apenas em energia. No [âmbito] comercial, temos de aumentar as trocas com a Noruega”, disse o presidente ao discursar no evento organizado em Oslo pela Associação dos Armadores da Noruega.

Temer destacou os benefícios de se investir no Brasil. “Temos hoje quase 206 milhões de habitantes e uma grande fonte de oportunidades. Nossa matriz energética é limpa, nossa agricultura é competitiva e sustentável, e abrigamos parque industrial extremamente diversificado.”
No discurso, o presidente brasileiro citou os principais pontos da reforma trabalhista e apresentou alguns dados econômicos, como o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e a queda da taxa básica de juros, na tentativa de apresentar um cenário atrativo para investimentos.

“Vocês encontrarão um país com fundamentos sólidos e oportunidade de investimentos muito seguros”, disse Temer. “O país continuará a avançar com as reformas trabalhista e previdenciária”, acrescentou.

Temer defendeu que a aproximação entre Brasil e Noruega seja feita também por meio dos blocos dos quais participam os dois países, no caso, a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA) – grupo integrado por Noruega, Islândia, Liechtenstein e Suíça – e o Mercosul.

Nas reuniões previstas para amanhã com o Rei Harald V, com a primeira-ministra, Erna Solberg, e com o presidente do Parlamento, Olemic Thommessen, um dos principais temas a serem abordados é a questão ambiental. A Noruega é o principal país financiador do Fundo Amazônia, com repasses de R$ 2,8 bilhões. Atualmente, há 89 projetos no âmbito do Fundo Amazônia em áreas como combate ao desmatamento, regularização fundiária e gestão territorial e ambiental de terras indígenas. O Fundo é administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Além disso, a Noruega é o oitavo maior investidor estrangeiro no Brasil, com presença no setor de energia.

Rússia

A ida à Noruega ocorre após viagem à Rússia, onde foram assinados vários acordos para desburocratizar e incentivar as relações comerciais entre os dois países, bem como favorecer a cooperação econômica, os investimentos e os diálogos bilaterais. Nos encontros, Temer assumiu o compromisso de aproximar Mercosul e União Econômica Euro-Asiática, quando o Brasil assumir a presidência do bloco sul-americano, no próximo semestre.

Temer e o presidente russo, Vladimir Putin, assinaram uma declaração conjunta na qual os dois países manifestam posições e agendas de interesse comum relativas à política internacional. Segundo o presidente brasileiro, os acordos facilitarão o comércio e os reinvestimentos, além de aprofundar o diálogo político.
AGÊNCIA BRASIL

Após depoimento de oito horas, Joesley deixa a sede da PF

O dono do grupo JBS, Joesley Batista, deixou no fim da tarde desta quarta-feira (21) a sede da Polícia Federal em Brasília após um depoimento que durou quase oito horas. Ele depôs aos delegados da Operação Bullish, que investiga irregularidades em aportes ao grupo concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Investigadores da Operação Greenfiel também participaram do depoimento, caso o empresário comentasse também as fraudes envolvendo fundos de pensão.

O depoimento começou às 9h30 e terminou pouco depois das 17h. De acordo com as investigações da Operação Bullish, o BNDES teria favorecido o grupo JBS, que atua no ramo de processamento de proteínas, em um esquema que envolveu – considerando todas as operações realizadas – cerca de R$ 8,1 bilhões. Os aportes ocorreram entre 2007 e 2011. Joesley não prestou depoimento quando a operação foi deflagrada, em 12 de maio, porque estava fora do país.

Hoje, a Advocacia-Geral da União (AGU) solicitou ao Tribunal de Contas da União (TCU) o bloqueio imediato dos bens da JBS e de seus responsáveis. Segundo a petição, o objetivo é garantir um possível ressarcimento aos cofres público de práticas ilícitas efetuadas pela empresa da ordem de R$ 850 milhões. A razão do pedido foi a manifestação nesta terça-feira (20) do secretário de Controle Externo do TCU no estado Rio do Janeiro, Carlos Borges Teixeira, durante uma audiência pública na Câmara dos Deputados, em que ele falou sobre indícios de prejuízo em operações do BNDES com a empresa. “Há notícias que dão conta de que a referida empresa estaria em avançado processo de desfazimento de bens no país”, escreveu a AGU.

A assessoria de imprensa da JBS disse que não irá se manifestar sobre o pedido da AGU, mas voltou a defender a delação premiada de Joesley e de outros seis executivos do grupo, cuja validade está sendo discutida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). “A despeito do grande número de informações e provas já entregues, os colaboradores continuam disponíveis para cooperar com a Justiça e, conforme acordo firmado com a Justiça, estão sendo identificadas informações e documentos adicionais como complementos às investigações e que serão entregues no prazo de até 120 dias”, afirmou a JBS, por meio de nota.

Seguranças

Durante a oitiva de Joesley Batista, funcionários da PF notaram a presença de duas pessoas no prédio que foram identificadas como seguranças particulares do empresário. Como estavam armados e, por procedimentos de segurança, eles também foram ouvidos pelos policiais federais e revelaram que são policiais civis do estado de São Paulo. Por esse motivo, foi instaurada uma medida administrativa sobre a qual também foi ouvido o empresário e que pode resultar em multa a ele, como contratante dos serviços particulares dos policiais.

*Colaborou Victor Ribeiro, repórter do Radiojornalismo

STF vai confirmar que o crime compensa

Reinaldo Azevedo

Joesley, o herói marginal da PGR e do Supremo. Tribunal deve confirmar: “O crime compensa”

Tudo ficará como antes em relação à delação de Joesley Batista, e ele já pode ser considerado o criminoso mais rico e mais bem-sucedido do Brasil. Ele e sua intrépida trupe. Mais: a partir deste julgamento, e até que não se mude a lei de delação premiada, a 12.850, o país passa a ser regido por duas Constituições — ou por uma Constituição e um AI-5 contemporâneo. Há aquela aprovada pela Constituinte de 1988, e há o acordo que um bandido celebra com o Ministério Público Federal, sob os auspícios de um juiz. Se o que sair dessa negociação se transforma em algo intocável, então há um soberano no país: o bandido-delator. E seus braços operadores são um procurador e o ministro do STF ao qual couber a relatoria de um caso.

Vamos pensar um pouco.

Que os ministros do Supremo Tribunal Federal manteriam, e vão manter, Edson Fachin como o relator da homologação, bem, isso eu já havia antecipado aqui. Quando menos não fosse, sê-lo-ia (diria o presidente Temer) por espírito de corpo. Sim, houve a violação do princípio do juiz natural, garantido por três Incisos do Artigo 5º. Ao procurador-geral da República, não cabe escolher o juiz, como não é tarefa de defensores. Mas se passará por cima disso. Também já evidenciei que essa ilegalidade original veio acompanhada de outras tantas. A mais evidente, escancarada, foi a admissão em juízo de uma prova ilícita — no caso, a gravação feita por Joesley da conversa mantida com Michel Temer. Nesse caso, viola-se o Inciso LVI do mesmo Artigo 5º. Estamos falando daquela parte importante da Constituição que garante os direitos fundamentais.

Fachin defendeu com unhas, dentes e argumentos falaciosos a intocabilidade da delação. Alexandre de Moraes concordou com ele em linhas gerais, mas, em algum momento, parece haver uma brecha em que o ministro reconhece a necessidade do pleno. Celso de Mello vai votar com o relator. É o que sugere sua intervenção. Marco Aurélio e Luiz Fux não se mostravam entusiastas da soberania do bandido premiado, mas apartes feitos aqui e ali sugerem que vão fechar com o relator.

Coube ao ministro Gilmar Mendes, como de hábito, lembrar que os Poderes e as instituições têm seus respectivos papeis, definidos, aliás, na mesma Carta Magna. Há ainda uma terceira violação: como a delação de Joesley tem como alvo principal o presidente da República, homologá-la corresponde a investigar o chefe do Executivo. Pode? Pode! Mas, nesse caso, a decisão cabe ao pleno, não à turma ou ao monocrata. Logo, parece evidente que, quando menos, os 11 ministros precisam enfossar os termos da delação, reformando-os se necessário.

Falácia
Fachin investiu em vários aspectos incrivelmente falaciosos. Disse, por exemplo, que a homologação é uma análise meramente formal de um acerto feito entre um criminoso confesso e o Ministério Público. É mesmo? E quando essa homologação traz até a dosagem de uma pena informal, como aconteceu no caso da Odebrecht, cujo acordo foi homologado por Carmen Lúcia? A argumentação atinge o estado da arte da falácia neste ponto: segundo o ministro, ao relator cabe a homologação e, ao plenário, julgar a eficácia do dito-cujo, mas só ao fim do processo, quando se entrar no mérito das ações oriundas da delação.

Parece que está a dizer a dizer uma obviedade, mas não está. Até porque o falso não tem como ser óbvio a não ser como expressão da mentira. Fiquemos em Joesley: aqueles que ele delatou, todos peixes muito menores do que ele (e eis aí uma invenção brasileira: a delação para baixo), serão um dia julgados, mas ele próprio não será. Ao contrário: estará pronto para, se quiser, delinquir mais uma vez e fazer outro acordo de delação.

Ora, meu querido leitor: não pode ser aceitável um acordo que o iguala — a você, pagador de impostos, que nem pode ser dito inocente porque nunca foi nem acusado de nada; que ganha a vida honestamente — a um Joesley Batista, autor confesso, até agora, de 245 crimes.

Sim, tudo ficará como antes, e isso implica a violação tanto da lei maior, a Constituição, como da moral, da vergonha na cara — cada vez mais, uma lei menor no Brasil.

Os doutores togados darão uma brilhantíssima prova aos brasileiros: o crime compensa!

A lição a não ser esquecida: “Aproveite-se das estruturas do Estado até o osso, enriqueça, trapaceie, compre pessoas e lealdades, venda outras tantas, e, ao final, entregue aquele que está na mira no órgão encarregado de celebrar com você uma delação premiada. Ah, se der, de quebra, especule com ativos financeiros, aproveitando-se da instabilidade que você mesmo gerou.”

Janot, Fachin, a Lava Jato e os que com eles concordam estão dando um novo sentido à famosa frase do contestador Helio Oiticica: “Seja marginal, seja herói”.

Fonte: REDE TV

Notas encontradas no celular de Loures, são fatos anteriores ao atual mandato

DUAS MENSAGENS FORAM ENCONTRADAS  NO CELULAR DO EX- ASSESSOR DE MICHEL TEMER, ROCHA LOURES.

A mensagem  1 cita a Caixa Econômica Federal. “Michel, acabo de ter ótima conversa com Henrique. Pedi a ele apoio para permanecer em Brasília. Ele concordou e sugeriu VP Caixa ocupada anteriormente pelo Moreira. Ressaltou-me que pelo meu perfil e estilo posso ajuda-lo e apoiá-lo (agora e no futuro).

A mensagem 2  apreendida pela PF se refere a Itaipu. “Michel, pode ser Itaipu. Idealmente, como sabe, gostaria de estar em Brasília ao seu lado servindo nosso governo, ao PMDB e ao Paraná. O que você decidir está bom para mim.”

As duas notas foram destacadas pelos investigadores pela ‘intenção de Rodrigo Rocha Loures em se manter em Brasília’. Segundo a PF, ‘existe a possibilidade de tais notas guardarem relação com a eleição de 2014.

Notas encontradas no celular de Loures, são fatos anteriores ao atual mandato

ESTÃO SENDO DIVULGADAS PARA DESMORALIZAR O PRESIDENTE,, MAS NÃO PODE  RETIRAR  TEMER SL CARGO.  E  AS “INVESTIGAÇÕES” SÃO BASEADAS EM SUPOSIÇÕES.

“NÃO SE COMBATE CRIMES COMETENDO CRIMES”

“Estado de Direito não comporta soberanos. Todos estão submetidos a lei”
“Se nós deixamos de aplicar à lei,estamos perdemos a razão”
(Gilmar Mendes)
“Se a lei cessa de proteger nossos adversários, virtualmente, cessa de nos proteger” – Rui Barbosa
Ao assistir a palestra do ministro Gilmar Mendes, “Brasil desafios da governabilidade” proferida em Recife, para um Grupo de Líderes Empresáriais e observei o quanto ele está sendo caluniado e difamado nas redes sociais, pelo uso de partes da palestras, mas fora do contexto.
A palestra é de extrema importância para se entender o que ocorre na política nacional e a extrema necessidade de uma REFORMA POLÍTICA.
E vou citar um exemplo: Gilmar Mendes disse que existe excesso nas investigações no sentido de que as investigações não devem ser feitas sem a devida necessidade. Não se pode abrir um inquérito baseado em uma suposição, sabendo que NADA FICARÁ PROVADO.
Explico: Alguém entrou em contato com várias autoridades para pedir um determinado cargo e ele foi nomeado para o cargo.
Suposição: “pode ser que ele tenha se comprometido a decidir em favor de investigados da Lava Jato. Crime de obstrução da justiça”
Abre-se o inquérito “qual o objetivo desse inquérito?Alguém vai provar que ele negociou alguma decisão? Claro que não.
POR QUE?
PORQUE NÃO EXISTE POSSIBILIDADE DE SE PROVAR AQUILO QUE FOI SUPOSTAMENTE CONVERSADO..
O INQUÉRITO É APENAS PARA CONSTRANGER O INVESTIGADO.
CONSTRANGER MEMBROS DO JUDICIÁRIO
E NISSO QUE ESTÁ O EXCESSO.

ENDEREÇO DO CANAL: https://www.youtube.com/user/jorgeroriz

STF – DECISÃO SOBRE RELATORIA DE FACHIN SERÁ NESTA QUINTA-FEIRA (21)

A sessão desta quarta-feira, 21, inclui debate sobre a competência do ministro Edson Fachin para homologar acordo dos empresários da JBS e também sobre a proporcionalidade da delação com impacto sobre benefícios adquiridos pelos delatores.

Cármen Lúcia encerrou sessão após Moraes votar para retomá-la na quinta-feira, 22.
Placar do momento: 2 votos (Fachin e Moraes) pela de Fachin como relator da delação da JBS.
A sessão do STF nesta quarta-feira, foi para julgar se o ministro Fachin pode ou não continuar como relator da delação da JBS.
O placar parcial é de 02 votos em favor de Fachin.
A tendência é manter Fachin como relator, porém, o plenário do STF que vai julgar se Joesley cumpriu ou não o acordo. Isso após as investigações
A manutenção de Fachin é importante para evitar precedente de outras delações já realizadas.
Fachin deve ser mantido
A IMPUNIDADE PENAL PARA JOESLEY ESTÁ SENDO QUESTIONADA

CUNHA DEFENDEU TEMER, NEGANDO MESADA: O TROCO FOI RÁPIDO

O Ministério Público Federal (MPF) do Rio Grande do Norte denunciou os ex-presidentes da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Manus. Os dois estão presos preventivamente — Alves em Natal e Cunha em Curitiba. A denúncia foi entregue nesta terça-feira à Justiça Federal.

Segundo a procuradoria, os dois ex-deputados pediram e receberam propina por meio de doações eleitorais, oficiais e não oficiais “em razão da atuação política e parlamentar de ambos em favor dos interesses de empreiteiras”. Conforme o texto, os dois formavam uma “verdadeira sociedade ilícita ou parceria criminosa”. Os pagamentos indevidos teriam somado cerca de 11,5 milhões de reais.

CUNHA DEFENDEU TEMER, NEGANDO MESADA.
O TROCO FOI RÁPIDO.
É DO RN OS PROCURADORES QUE FORAM FLAGRADOS NO ÁUDIO, FALANDO DAS PERSEGUIÇÕES DE JANOT.
NADA CONTRA A PUNIÇÃO DE CUNHA PELOS SEUS CRIMES.
O ESTRANHO FOI A RAPIDEZ DA RESPOSTA

Alegações finais de Leo Pinheiro, detonam Lula

A defesa do empreiteiro Léo Pinheiro – que foi chamado de mentiroso por Lula – arrasou Lula nas suas declarações finais

ELE CONFIRMOU TUDO QUE DISSE E APRESENTOU PROVAS.

“inúmeras provas corroboram essa afirmação de Léo Pinheiro. Na residência de Lula e na sede do Bancoop foram apreendidos documentos que indicam que o ex-presidente já era o proprietário do imóvel antes mesmo de a OAS assumir o empreendimento”.

“além de todas essas provas materiais e testemunhais, no ano de 2010, o jornal O Globo publicou uma matéria intitulada ‘Caso Bancoop: triplex do casal Lula está atrasado’, sendo que na época a propriedade aventada na matéria não foi negada pelo então presidente Lula”.

Segundo Léo Pinheiro, ele se sentiu desconfortável com a publicação de “O Globo”, mas foi orientado a manter o imóvel em nome da OAS “encobrindo a identidade do real proprietário”.

DOIS TIPOS DE APURAÇÃO CONTRA TEMER: ÁUDIO CLANDESTINO E SUPOSTOS CRIMES ANTES DO MANDATO

A “GROBO” DIZ QUE A SITUAÇÃO DE TEMER É GRAVÍSSIMA.; ANTAGONISTA DIZ QUE A DERROTA HOJE DA REFORMA TRABALHISTA É O COMEÇO DO FIM.- A REFORMA NEM FOI VOTADA NA CCJ OU NO SENADO.
DILMA PASSOU DOIS ANOS COM A MAIORIA DA BASE E SENDO DERROTADA NO CONGRESSO (ISSO FOI UMA AÇÃO DE CUNHA…)……. TEMER TEVE 80% DE APROVAÇÃO DOS SEUS INTENTOS…….
TANTO BARULHO POR BOBAGEM. FEITA PELOS INIMIGOS DO PAÍS.
POR QUE DILMA NÃO FOI RESPONSABILIZADA POR PASSADENA?
PORQUE ATOS COMETIDOS ANTES DO MANDATO NÃO PODEM SER APURADOS DURANTE O EXERCÍCIO DO MANDATO. REINALDO COMENTOU HOJE SOBRE ISSO, (MAS EU JÁ TINHA ESCRITO ISSO NESSE ESPAÇO)
AS SUPOSTAS ACUSAÇÕES CONTRA TEMER SÃO DE DOIS TIPOS:
FEITAS ANTES DO MANDATO
OU BASEADAS NO ÁUDIO CLANDESTINO.
POR QUE CLANDESTINO? PORQUE JOESLEY NÃO RECEBEU AUTORIZAÇÃO E NEM RECEBERIA, AUTORIZAÇÃO DO STF PARA COLOCAR UM GRAVADOR NO BOLSO E IR NO PALÁCIO PROVOCAR CONVERSAS QUE SUPOSTAMENTE PUDESSEM COMPROMETER O PRESIDENTE

A PERMANÊNCIA DE TEMER É O FIM DA ORCRIM. SE NÃO OCORRER ELEIÇÃO AGORA, EM 2018 ELES NÃO VENCEM

A mafia age como vermes após tomar veneno. Estão desesperados, se debatendo de todos os lados; Temer fica e causa grande estrago na OCRIM

JUIZ NEGA ACEITAÇÃO DA DENÚNCIA DE TEMER CONTRA JOESLEY

DITADURA DO JUDICIÁRIO. JUIZ PETRALHA NEGA ACEITAR AÇÃO DE TEMER CONTRA JOESLEY.
SE NÃO OCOREU CALÚNIA, INJÚRIA OU DIFAMAÇÃO, ISSO SIGNIFICA QUE O JUIZ PODE COMPROVAR QUE TODAS AS ACUSAÇÕES CONTRA TEMER, FEITAS POR JOESLEY NA ENTREVISTA SÃO VERDADEIRAS?

O JUIZ TERIA QUE APURAR SE AS AFIRMAÇÕES E QUE TEMER JULGA SER CALUNIADO, SÃO OU NÃO VERDADEIRAS. MAS RECUSAR A AÇÃO É ESTRANHO.

.

O juiz federal Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara do Distrito Federal, rejeitou nesta terça-feira a ação de queixa-crime movida pelo presidente Michel Temer contra o empresário Joesley Batista por difamação, calúnia e injúria. O pedido foi feito à Justiça pela entrevista de Joesley à revista Época, na qual o empresário acusou o presidente de ser “chefe da maior organização criminosa”. “Temer, Eduardo, Geddel, Henrique, Padilha e Moreira. É o grupo deles. Quem não está preso está hoje no Planalto. Essa turma é muita perigosa”, disse o delator à publicação.
“Patente, por conseguinte, a atipicidade das condutas narradas (calúnia, difamação e injúria) e a ausência de justa causa para se instaurar a ação criminal, fato que impõe a rejeição da queixa-crime”, escreveu o juiz no despacho.

STF adia julgamento de pedido de prisão de Aécio Neves

O presidente da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, retirou da pauta da sessão desta terça-feira pedido feito pelo Ministério Público Federal para que o senador Aécio Neves (PSDB) seja preso. A decisão foi tomada depois de a defesa do parlamentar apresentar um novo recurso pedindo que o caso seja analisado pelo plenário da Corte, formado por onze ministros.

O tucano foi afastado do mandato em maio por determinação do ministro Edson Fachin, que rejeitou a sua prisão preventiva. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, recorreu ao plenário, pedindo que a decisão fosse reconsiderada. Mello pautou o processo para a Primeira Turma, e não para o plenário, o que motivou nova contestação. ( VEJA)