Governo anuncia criação de núcleo de combate à violência contra mulher

O ministro Alexandre de Moraes, anunciou hoje (31) a criação de um núcleo federal de enfrentamento à violência de gênero, diretamente ligado ao Ministério da Justiça.

A medida foi anunciada após o encontro do ministro da Justiça com secretários estaduais de Segurança Pública. A reunião, convocada para discutir o Plano Nacional de Segurança Pública, tratou das propostas de combate à violência doméstica e contra a mulher no país, tema em destaque na mídia após o recente caso do estupro coletivo de uma adolescente no Rio de Janeiro.

“Tenho convicção de que não é possível fazer um bom trabalho se não fizermos juntos, secretarias de Segurança e ministério, em coordenação. Deve haver parceria, e não hierarquia. E esse auxílio se dará com medidas concretas que estávamos planejando em São Paulo e que quero ampliar nacionalmente”, disse Moraes, que antes de assumir a pasta da Justiça era secretário de Segurança Pública de São Paulo.

O núcleo será composto pelos secretários nacionais de Segurança Pública, de Direitos Humanos e das Mulheres, além de três secretários estaduais de Segurança Pública. Esse núcleo deverá, então, discutir a criação de um departamento de investigação de violência contra a mulher dentro da Polícia Federal. “São coisas complementares. Mas o núcleo é maior”, disse Moraes.

Convênios com estados

De acordo com Moraes, um estudo feito no estado de São Paulo mostrou que “as manchas de violência doméstica” coincidem com o maior número de homicídios na mesma região. “Fizemos esse cruzamento, de todo o ano de 2015 para alterar as formas de policiamento e de acompanhamento dos casos onde há medidas restritivas aos agressores. Isso porque a não fiscalização acaba gerando o homicídio e a continuidade da violência”, afirmou o ministro.

Ele disse que a ideia é replicar o mapeamento em todo o país para, então, reforçar o efetivo das polícias estaduais na prevenção e repressão de crimes sexuais e de violência doméstica.

O ministro discutiu com os secretários a possibilidade de convênios específicos, com aporte da União, para pagamento de diárias especiais para que policiais militares atuem nessas “manchas de violência doméstica e homicídios resultantes disso”. O recursos para pagamento de tais diárias deve sair do orçamento destinado à Força Nacional de Segurança. Segundo Moraes, a Força continuará atuando em missões especiais, como as de fronteiras, e as polícias locais receberão investimentos direcionados ao combate a homicídios e à violência doméstica.

Moraes destacou que algumas alterações legislativas também são importantes e estão sendo preparadas, como as que dizem respeito à Lei de Execuções Penais, à delegação para os estados decidirem sobre as penas e à maior punição para divulgação na internet “de casos esdrúxulos e sórdidos, como ocorreu no Rio de Janeiro”.

O ministério também trabalha na edição de um protocolo único de atendimento às vítimas de violência doméstica e sexual, que garanta, por exemplo, o encaminhamento a assistentes sociais, psicólogos e médicos. Moraes ressaltou também a necessidade de campanhas de conscientização para a mulher saber que será bem atendida ao denunciar uma violência.

Informatização

De acordo com o ministro da Justiça, outro ponto importante é a informatização e comunicação de todas as medidas restritivas cíveis e criminais de agressores, que acabam não chegando às delegacias e à polícia. Será criado um cadastro nacional de medidas restritivas de acesso direto pelos estados, que deve ser implementado em conjunto com os conselhos nacionais do Ministério Público e de Justiça.

“Estávamos implementando em São Paulo, para que o Policial Militar pudesse, no tablet, consultar e verificar as medidas restritivas que há em relação aos agressores. Porque muitas vezes a mulher procurava a viatura, dizia que estava sendo seguida pelo ex-marido, e nós não tínhamos essa informação”, afirmou Moraes.

Agência Brasil

PF pede indiciamento do presidentedo Bradesco

A PF indiciou o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, e dois executivos do banco no inquérito da Operação Zelotes que investiga compra de decisões no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais). As investigações mostraram que o grupo investigado por corromper integrantes do Carf conversou com executivos do banco a respeito de um “contrato” para anular um débito de R$ 3 bi com a Receita Federal.

As ações do Banco tiverem uma queda de 5%.

Por que o brasileiro tem tanto medo da palavra privatização?

Fonte: Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.

Bumlai afirma que fez empréstimo de R$ 12 mi ao PT por medo de invasão de terra

CPI BNDESO pecuarista José Carlos Bumlai afirmou, nesta segunda-feira (30), em depoimento ao juiz Sérgio Moro, que fez um empréstimo fraudulento de R$ 12 milhões ao PT por temer que suas terras fossem alvo de invasões. As informações são de matéria publicada pelo portal G1. A quitação do empréstimo – realizado junto ao Banco Schahin – foi feita de maneira irregular, por meio da assinatura de um contrato de US$ 1,6 bilhão com a Petrobras que garantiu ao Grupo Schahin a operação do navio sonda Vitória 10.000.

“Eu, na verdade, cometi um grande erro, levado, conforme disse em depoimento, pela minha situação. Eu era proprietário na época de 210 mil hectares de terra, tudo produtivo. Com o PT assumindo o governo federal, nós éramos um grande alvo para invasões. Eu não falei isso na época por uma questão de receio, mas também porque achei que o empréstimo não ia sair”, disse Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ainda de acordo com a reportagem do G1, o pecuarista também afirmou que R$ 6 milhões seriam usados pelo Partido dos Trabalhadores na campanha à prefeitura de Campinas. A outra metade do valor emprestado teria sido utilizada para suprir necessidades de caixa da legenda, ainda segundo o depoimento de Bumlai.

No depoimento, o pecuarista também contou que acredita que o fato de ser amigo de executivos do Banco Schahin contribuiu para que fosse procurado para receber o milionário empréstimo. Segundo ele, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares também participou das reuniões que definiram o negócio.

Clique aqui para ler a matéria do G1.

Desemprego em abril chega a 11,2%, maior índice desde janeiro de 2012

Carteira de Trabalho -  Foto de Frederico Haikal

A taxa de desemprego voltou a subir no trimestre móvel encerrado em abril, atingindo 11,2%. O resultado é 1,7 ponto percentual maior que o do trimestre móvel encerrado em janeiro (9,5%). A taxa é a maior desde o início da pesquisa, em janeiro de 2012.

No mesmo trimestre móvel de 2015 (de novembro a janeiro), o desemprego foi de 8%, 3,2 pontos percentuais menor. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilio Contínua (Pnad Contínua) e foram divulgados hoje (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a pesquisa, em abril havia 11,4 milhões de trabalhadores desempregados, número que mostra um crescimento de 18,6%, em comparação ao trimestre móvel encerrado em janeiro deste ano – o equivalente a mais 1,8 milhão de pessoas fora do mercado de trabalho.

Na comparação com o trimestre móvel encerrado em janeiro do ano passado, o número de desempregados chega a 3,4 milhões, com crescimento de 42,1%.

Carteira assinada
Os dados da Pnad Contínua indicam que a população ocupada do país, que fechou o trimestre móvel encerrado em abril em 90,6 milhões de pessoas, recuou 1,1% em relação ao trimestre encerrado em janeiro de 2015 e 1,7% – ou menos 1,5 milhão de pessoas trabalhando – quando comparada a igual período de 2015.

Em consequência, o número de pessoas empregadas no setor privado com carteira assinada recuou em ambas as comparações, caindo 1,8% em relação ao trimestre encerrado em janeiro de 2016 e 4,3% em relação ao mesmo trimestre do ano passado – o equivalente a menos cerca de 1,5 milhão de pessoas.

Os números do IBGE indicam ainda que o rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos pelas pessoas ocupadas ficou em R$ 1.962, valor estatisticamente estável em relação ao trimestre móvel encerrado em janeiro de 2016, que foi de R$ 1.977. Em relação ao trimestre encerrado em janeiro do ano passado (R$ 2.030), a queda no rendimento médio real habitual chegou a 3,3%.

Indústria

Os setores da indústria geral, construção e comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas foram, por grupamento de atividades, os que mais puxaram a taxa de desemprego de 11,2% no trimestre móvel encerrado em abril, na comparação com janeiro deste ano.

Segundo os dados da Pnad Contínua, na Indústria geral, a queda de 3,9% no número de empregos significou menos 473 mil pessoas no mercado de trabalho; na construção, a queda foi de 5,1%, ou menos 400 mil pessoas; no comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, a retração chegou a 1,7%, ou menos 302 mil pessoas empregadas. Segundo o IBGE, nos demais grupamentos não houve variação significativa.

Metodologia

Os indicadores da Pnad Contínua são calculados para trimestres móveis, utilizando-se as informações dos últimos três meses consecutivos da pesquisa. A taxa do trimestre móvel encerrado em abril de 2016 foi calculada a partir das informações coletadas em fevereiro, março e abril deste ano.

 

Filho de Lula recebeu R$ dez milhões de forma suspeita

luis claudio lula Foto paulo pinto-estadao-1000

Investigadores da Operação Zelotes afirmam que o caçula de Lula, de Luís Cláudio Lula da Silva, e sua empresa, a LFT Marketing Esportivo, receberam quase R$ 10 milhões de origem suspeita. Luís Cláudio é suspeito de se beneficiar do esquema de venda de medidas provisórias, inclusive no governo do pai.

Até essa descoberta, estimava-se que Luís Cláudio havia recebido R$ 2,5 milhões da Marcondes & Mautoni, empresa de “consultoria” de comprar medidas provisórias. Mas haviam sido quase R$ 4 milhões.

O problema do filho de Lula, um ex-auxiliar de preparação física de times de futebol, é demonstrar e provar a prestação de “serviço de consultoria” que sua defesa aponta para justificar o recebimento de valores tão significativos.

Os valores encontrados pelos investigadores decorrem da quebra dos sigilos de Luís Cláudio no Período entre 2009 a 2015. A LFT foi constituída em 2011.

A Zelotes apura se Lula, um dos investigadores, indicou empresas para “contratar” a empresa de Luís Cláudio, que, apesar das quantias recebidas, não tem funcionários registrados, nem qualquer experiência como “consultor”.

O trabalho usado para justificar o recebimento de dinheiro para a Mautoni foi copiado da internet.

Os investigadores da Operação Zelotes também suspeitam do recebimento de propina na compra dos caças Gripen, da fabricante sueca Saab, durante o governo Dilma. (Com informações do jornal O Estado de S. Paulo e Diário do Poder)

Ministério Público aponta fraudes de R$ 2,5 bilhões no Bolsa Família

Um levantamento feito pelo Ministério Público Federal apontou suspeitas de fraudes no pagamento do programa Bolsa Família que podem chegar a R$ 2,5 bilhões e atingir 1,4 milhão de beneficiários.

Entre as possíveis irregularidades encontradas pelo órgão há saques realizados por pessoas que já morreram, indivíduos sem CPF ou com CPFs múltiplos, além de pessoas que estariam recebendo o benefício sem ter direito, como servidores públicos e doadores de campanhas políticas.

Os dados foram levantados a partir do cruzamento de informações do cadastro de beneficiários com dados da Receita Federal, Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Tribunais de Contas.

Essas irregularidades foram identificadas em pagamentos feitos entre 2013 e 2014. O Ministério Público deu prazo de 30 dias para que o Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário informe quais providências serão tomadas diante de inconsistências identificadas.

CRIME OCORREU, MAS NÃO FOI ESTUPRO COM 33 HOMENS

O Código Penal Brasileiro, em seu artigo 213 (alterado pela Lei 12.015/09), considera atos libidinosos não consentidos como crime de estupro. “Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”, descreve a lei.

“Incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas com alguém que por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência”, acrescenta.

Enviar vídeos ou fotos de menores de idade é crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), com pena de três a seis anos de prisão.

“Nítido”

“É nítido no vídeo que ela não tinha condições de manifestar sua vontade ou não (de consentir o sexo). É claro que ela está dopada e/ou desacordada e, portanto, vulnerável. Isso por si só já está tipificado no Código Penal como violência sexual mediante fraude”, avalia a advogada Ana Lucia Keunecke, diretora jurídica da ONG de defesa dos direitos das mulheres Artemis. “Não havendo assim nenhuma necessidade de outras provas, já havendo indícios suficientes para o pedido de prisão preventiva dos suspeitos.”

Nesta segunda, 30, um laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou para a falta de vestígios de sangue e violência na garota, não podendo, portanto, dizer que houve um estupro coletivo. De acordo com o delegado afastado do caso, a “relação foi consentida”. Ela teria realizado sexo com uma pessoa e não foi sob o uso de álcool e drogas. O único crime, segundo o profissional, seria a divulgação do vídeo. Ainda segundo Alessandro, a jovem teria pedido para que os autores do suposto sexo coletivo não fossem mortos pela polícia.

A menina teria confirmado que já tinha relações íntimas com traficantes da região. A garota tinha fotos ostentando armas no Facebook. A rede social dela foi apagada.

 

MORADORES, VIZINHOS E PARENTES DO ACUSADO FAZEM PROTESTO DIZENDO QUE NÃO OCORREU ESTUPRO

1464631655184 (1)

Parentes e vizinhos de Raí de Souza, de 22 anos – um dos seis homens acusados de participar do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro, e de divulgar imagens dela nua em redes sociais -, fazem nesta segunda-feira, 30, um protesto na Praça Seca, perto do local do crime, em defesa dele.

“Eles dois saíram do baile funk juntos de madrugada e foram transar. Ele saiu de lá depois, normalmente. Nada aconteceu como ela falou. Toda comunidade tem sua regra. Estupro é proibido”, afirmou Surian Souza, irmã de Rai.

“Ela está acostumada a fazer bacanal. É uma doente. Todo mundo no morro a conhece desde criança, sempre foi assim”, disse Neide Souza, de 52 anos, mãe do acusado ( ESTADÃO)

 

O Sindicato de Delegados de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (Sindelpol) divulgou, no último domingo, uma nota em que rejeita declarações da advogada Eloísa Samy, que representa a menor de 16 anos vítima de estupro coletivo na Zona Oeste do Rio. A nota, que teve apoio do Sindicato de Delegados Federais do Rio de Janeiro (SINDPF-RJ), classifica as declarações de Eloísa como “impertinentes e oportunistas” e e repudia ainda ” qualquer tipo de ingerência nas investigações do caso”.

O documento também diz que a advogada parece ignorar que, “nos casos de maior repercussão e apelo popular, se mostra mais relevante a figura de uma autoridade imparcial, técnica e com autonomia para presidir a investigação em todas as linhas que entenda como pertinentes, uma vez que o inquérito policial tem compromisso único e exclusivamente com a verdade e com a justiça”.

A família da vítima dispensou o trabalho da advogada Elisa Samy.

 

No domingo, à tarde,  embora a advogada Elisa Samy tenha comemorado com mensagens nas redes sociais,  o afastamento do delegado do caso, ele ainda não tinha sido afastad0

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) negou ter determinado o afastamento do delegado Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, que está a frente das investigações do caso envolvendo uma adolescente de 16 anos estuprada por 33 homens na favela do Morro São José Operário, no Rio.

Em nota, o tribunal informa que o Plantão Judiciário remeteu o pedido da advogada da vítima – solicitando o afastamento do delegado, para a Vara Criminal sob responsabilidade da juíza em exercício, Angélica dos Santos Costa. A juíza, por sua vez, determinou hoje (29), a distribuição do requerimento da advogada a uma vara criminal, “o que só deverá ocorrer nesta segunda-feira”.

O AFASTAMENTO DO DELEGADO SÓ OCORREU APÓS A MUDANÇA DO CASO PARA A DELEGACIA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E NÃO FOI EM DECORRÊNCIA DO PEDIDO DA ADVOGADA. O AFASTAMENTO OCORREU  NA SEGUNDA -FEIRA. E NÃO NO DOMINGO COMO INFORMOU A REDE GLOBO  E OUTROS VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO.

QUANDO OCORREU O AFASTAMENTO, A ADVOGADA JÁ ESTAVA FORA DO CASO.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou, nas primeiras horas desta  de segunda-feira, (30), o desdobramento do inquérito sobre o estupro coletivo da jovem de 16 anos ocorrido no Rio.

Assim, a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), cujo titular é Alessandro Thiers, ficará encarregada de investigar o vazamento das imagens do estupro nas redes sociais.

O caso envolvendo o estupro coletivo da menor mudou para a Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV).

Casa onde ocorreu o estupro, não cabe 33 homens

Em entrevista ao GLOBO, Raí de Souza negou as acusações feitas pela vitima do estupro coletivo;

Segundo Raí, ele voltou a se encontrar com a adolescente na favela após o episódio:

— Dois dias após a imagem, ela voltou na comunidade. Eu perguntei se ela tinha visto o vídeo, ela disse que sim, mas que estava tranquilo, que ela só estava chorando pelo celular que a mãe dela ainda estava pagando. O que me deixou mais revoltado é que ela depois que voltou, ainda ficou de safadeza lá. E ela alegar que foi estuprada e volta para favela por causa do celular? Depois de estuprada por 33? Volta ao local e continua fazendo várias sacanagens como se não tivesse acontecido nada. E depois veio com essa história.

Raí disse que foram ativistas que transformaram a história num caso de estupro coletivo, crime que, aegundo ele, não ocorreu.

— Nem cabem 33 naquela casa — conta.

O VÍDEO JÁ É PROVA DE QUE OCORREU UM CRIME, MAS  NÃO FOI 33 HOMENS E A MENINA POSSUIA CUSTUME DE PRATICAR ORGIAS.

ALGUNS MORADORES AFIRMAM QUE O ESTUPRO NÃO ACONTECEU E QUE A A RELAÇÃO FOI CONSENTIDA.

( O Globo)

Assessoria do Ministro da Transparência diz que ele vai pedir demissão

A ASSESSORIA DO MINISTRO INFORMOU QUE ELE DECIDIU PEDIR DEMISSÃO.

OFICIALMENTE AINDA NÃO COMUNICOU A TEMER.

O ministro da Transparência, Fabiano Silveira, decidiu deixar o governo do presidente Michel Temer. Silveira aparece em áudio gravado pelo ex-senador Sérgio Machado dando orientações jurídicas sobre como proceder na defesa no âmbito da Lava Jato em uma reunião na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). De acordo com Machado, o encontro foi marcado pelo próprio Renan com seus advogados.

 

MAIS UM CRIME DE DILMA: ELA USOU OS CORREIOS PARA FAZER CAMPANHA ELEITORAL SEM CUSTOS

Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) confirmou que os Correios distribuíram, de forma irregular, panfletos da presidente Dilma Rousseff na campanha de 2014. Relatórios da área técnica do tribunal e do Ministério Público de Contas (MPC), que atua na corte, propõem a punição de oito servidores e dirigentes da estatal em São Paulo por viabilizar a entrega, sem chancela ou comprovante de postagem, de ao menos 4,8 milhões de santinhos da petista. O caso foi revelado pelo Estado em setembro daquele ano, o que motivou a fiscalização.

A chancela é uma estampa, prevista em norma dos Correios, que serve para demonstrar que houve pagamento para o envio, de forma regular, da propaganda eleitoral. Sem ela, é difícil atestar que a quantidade distribuída corresponde ao que foi contratado pelo cliente. O Estado revelou que a estatal abriu exceção para a campanha de Dilma na reta final do primeiro turno, quando ela tinha dificuldades junto ao eleitorado de São Paulo, conforme pesquisas da época. (  Estadão)

 

Ministro da Transparência permanecerá no cargo, diz presidente Temer

O ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, permanecerá no cargo. A decisão foi tomada pelo presidente em exercício, Michel Temer após reunião de quase duas horas de Temer com o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da secretaria de governo Geddel Vieira Lima. O cargo de Fabiano havia sido ameaçado depois de o programa Fantástico da TV Globo divulgar uma conversa na qual ele dava dicas para o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) de como se comportar durante as investigações da Lava-Jato.

Caso do estupro: Chefe da Polícia Civil diz que laudo vai contrariar o senso comum

O Chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso, disse que a perícia do vídeo traz respostas que podem contrariar o senso comum que vem sendo formado sobre esse caso.
“Não há vestígios de sangue nenhum que se possa perceber pelas imagens que foram registradas. Eles [os peritos] já estão antecipando, alinhando algumas conclusões quanto ao emprego de violência, quanto à coleta de espermatozoides, quanto às práticas sexuais que possam ter sido praticadas com ela ou não. Então, o laudo vai trazer algumas respostas que, de certa forma, vão contrariar o senso comum que vem sendo formado por pessoas que sequer assistiram ao vídeo”, concluiu Veloso

Leia o texto da advogada falando sobre o afastamento do caso

CjlVmX5WsAAA_Rl

TEXTO ESCRITO NO FACEBOOK:

“Não pensem que estou ressentida por ter sido afastada do caso de estupro coletivo. Para ser muito franca, estou satisfeita por ter podido contribuir e prestado auxílio à vítima e aliviada pelo Estado haver assumido suas responsabilidades, o que deveria ter sido feito desde o primeiro dia.
Jamais imaginei que o caso teria tamanha repercussão e se o soubesse, talvez não tivesse aceitado o encargo, devido à sua complexidade. A família está sob proteção e a vítima será tratada da maneira condizente com sua qualidade, agora aos diligentes cuidados da Delegada Titular da DCAV.
Quero agradecer de público a todos que manifestaram apoio e solidariedade, tanto à mim quanto à vítima e, em especial, quero agradecer ao Promotor Público Dr. Bruno Lavaroto, que cobriu o plantão noturno no Tribunal de Justiça ontem e nos recebeu prontamente, demonstrando-se totalmente solidário na defesa dos interesses da menor. Agradeço ainda ao Procurador de Justiça, Dr. Márcio Mothé, Coordenador de Direitos Humanos do MPERJ, por sua inestimável contribuição ao caso.”

ADVOGADA, ELOISA SAMY

 

 

 

 

NOTA OFICIAL DO MBL SOBRE MATÉRIA CALUNIOSA DO UOL

 

Não foi com muita surpresa que o MBL recebeu os ataques infundados feitos pelo jornalista Vinícius Segalla em recente matéria para o portal UOL. Com o intuito de difamar o Movimento – e o impeachment como um todo – o jornalista cria um título escandaloso (Áudios mostram que partidos financiaram MBL em atos pró impeachment) que é desmentido no corpo da própria matéria.

 

Não há em momento algum declaração ou prova de “financiamento” de partidos para o MBL. Não há relação programática entre o MBL e tais agremiações. O que há são declarações de membros de juventudes partidárias NEGANDO tais participações e afirmando algo que todos os brasileiros já esperavam deles há muito tempo: que os partidos se engajaram nas manifestações de rua pelo Impeachment, somente depois de longos meses de pressão das ruas, encabeçadas pelo MBL.

 

Desta maneira, o MBL afirma o óbvio: nega qualquer financiamento partidário a suas atividades, e afirma que irá tomar as atitudes cabíveis contra o jornalista e o UOL. E mais: desafia o jornalista e  os detratores de sempre – ligados e financiados pelo PT e seus asseclas – a provar qualquer relação financeira entre o Movimento Brasil Livre e os partidos.

 

Além disso, o Movimento esclarece:

 

    • Que as manifestações de rua pelo Impeachment não tem “dono”, e que é obrigação de todo partido de oposição ao governo petista afastado divulgá-las massivamente em suas redes e militância;

 

    • Que sempre exigiu a participação direta dos partidos de oposição na luta pelo impeachment, seja divulgando, seja orientando suas bancadas a votar pelo afastamento de Dilma;

 

    • Que já deixou claro e público – em matérias veiculadas na imprensa anteriormente – que criou uma campanha de divulgação chamada “Esse impeachment é meu!”, e que a mesma era ABERTA a todos que quisessem utilizá-la. Soa como má fé o fato de que o jornalista tenha “descoberto” tal campanha mais de 3 meses após ela ter sido divulgada pelo MBL. Pior: é escandaloso que o mesmo, imbuído claramente de má-fé, afirme que tal campanha é “propriedade” do Movimento, quando a mesma já fora anunciada como de propriedade pública e coletiva;

 

    • Que o Movimento jamais negou a política e os partidos, tanto que foi integrante e fundador do Comitê Pró-Impeachment. Tal Comitê buscava, justamente, aumentar a capacidade de articulação das ruas e do parlamento, para que o Impeachment pudesse se tornar realidade;

 

    • Que o MBL continuará cobrando dos partidos seu total empenho em divulgar toda e qualquer ação que redunde no afastamento definitivo de Dilma Rousseff do comando do país;

 

    • Nos assombra perceber que ainda temos gente que recusa a ação política coordenada entre partidos e movimentos, numa clara demonstração de fascismo e autoritarismo.

 

 

Negar a atuação política junto a partidos nos leva a barbárie. O MBL lutará intensamente contra esta ideia.

 

Contra todos os tipos de totalitarismo!

 

Movimento Brasil Livre

Outro ministro de Temer é flagrado em gravação

Novas gravações mostram conversas durante reunião na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), com a participação do atual ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano SilveiraMachado afirma que na conversa Fabiano Silveira fez críticas à condução da Lava Jato pela Procuradoria Geral da República e dá conselhos a investigados na operação.

Abaixo a comparação entre o número de ministros investigados  que fazia parte do governo Dilma e que fazem parte do governo Temer. ( Obs: Jucá está na lista mas já foi demitido)

MINISTROS

O PT INCOMPATÍVEL COM A DEMOCRACIA

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS

Li, com muita preocupação, a “Resolução sobre a conjuntura” do PT, análise ideológica, com nítido viés bolivariano, sobre os erros cometidos pelo partido por não ter implantado no Brasil uma “democracia cubana”.

Em determinado trecho, lê-se:

“Fomos igualmente descuidados com a necessidade de reformar o Estado, o que implicaria impedir a sabotagem conservadora nas estruturas de mando da Polícia Federal e do Ministério Público Federal; modificar os currículos das academias militares; promover oficiais com compromisso democrático e nacionalista; fortalecer a ala mais avançada do Itamaraty e redimensionar sensivelmente a distribuição de verbas publicitárias para os monopólios da informação”.

De rigor, a ideia do partido era transformar o Estado brasileiro num feudo petista, com reforma do Estado pro domo sua e subordinação a seus interesses e correligionários, as Forças Armadas, o Ministério Público, a Polícia Federal e a imprensa.

O que mais impressiona é que o desventrar da podridão dos porões do governo petista deveu-se, fundamentalmente, às três instituições, ou seja, imprensa, Ministério Público e Polícia Federal, que, por sua autonomia, independência e seriedade, não estão sujeitos ao controle dos detentores do poder.

Ao Ministério Público é outorgada total autonomia, pelos artigos 127 a 132 da Lei Suprema, e as polícias funcionam como órgãos de segurança do Estado e não são instrumentos ideológicos, conforme determina o artigo 144, da Carta da República. A Constituição Federal, por outro lado, no artigo 220, garante a absoluta liberdade aos meios de comunicação.

Por fim, as Forças Armadas, como instituição do Estado, e não do governo, só devem intervir, com base do artigo 142 da Constituição, em caso de conflito entre os poderes para restabelecimento da lei e da ordem.

É de se lembrar que, tiveram, durante a crise política deflagrada pelo mar de lama que invadiu as estruturas do governo, comportamento exemplar, mantendo-se à distância como observadoras, permitindo o fluir dos instrumentos democráticos para estancarem a desfiguração crescente da República brasileira.

Controlar a Polícia Federal, que descobriu o assalto aos cofres públicos? Manietar o Ministério Público, que tem denunciado os saqueadores do dinheiro dos contribuintes? Calar a imprensa, que permitiu à sociedade conhecer os profundos desmandos do governo por 13 anos? É isto o compromisso “democrático e nacionalista” do PT?

Modificar os currículos das academias militares para formar oficiais com ideologia bolivariana, a fim de servir ao governo, e não ao Estado, seria transformar as Forças Armadas em órgão de repressão, como ocorre com os exércitos de Maduro ou dos Castros.

Embora tenha muitos amigos no PT, sempre divergi das convicções políticas dos governantes ora alijados da Presidência, mas sempre entendi que sua intenção era a de respeitar as regras democráticas. Desiludi-me, profundamente, ao constatar que os maiores defensores da ética, como se apresentavam quando na oposição, protagonizaram o governo mais corrupto da história do mundo.

Pretenderem agora, em mea-culpa, arrependerem-se por não terem transfigurado o Brasil numa Cuba ou numa Venezuela é ter a certeza de que nunca desejaram viver, no país, uma autêntica democracia.

Penso mesmo que a presidente Dilma, que foi guerrilheira, como José Dirceu, intentando aqui implantar um regime marxista, durante o regime de exceção dos militares, jamais abandonou o objetivo daquela luta.

Após a leitura da “Resolução da Conjuntura”, minhas dúvidas foram dissipadas. A democracia verdadeira nunca foi um ideal petista.

 

Ives Gandra da Silva Martins é Professor emérito das universidades Mackenzie, Unip, Unifieo e Unifmu, do CIEE/’O Estado de S. Paulo, da Eceme, da ESG e da Escola da Magistratura do Tribunal Regional Federal – 1ª região
Artigo publiucado originalmente no jornal O Globo.

Renan Calheiros terá que depor na Polícia Federal

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki determinou que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), terá que prestar depoimento presencial na Lava Jato. O ministro acolheu um parecer da Procuradoria-Geral da República defendendo a rejeição do pedido de Renan para que prestasse as explicações por escrito.

A PF informou que precisa do depoimento de Renan para concluir o inquérito.

Renan é suspeito de ter sido  foi beneficiado no recebimento  de propina em acordo da Petrobras com a categoria dos práticos, os profissionais responsáveis por orientar os comandantes de navio a atracar nos portos.

O delegado pediu ao STF mais 30 dias para a o encerramento do caso.

O depoimento  ainda não tem data marcada .

Petralha cria lei para favorecer bandidos e Sérgio Moro critica

O juiz federal Sergio Moro, que conduz os processos da Operação Lava, criticou nesta quinta-feira, 27, dois projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados, que impedem o fechamento de acordos de delação premiada com alvos presos e que alteram a nova regra jurídica que prevê a prisão de réus condenados em segundo grau, como um retrocesso no combate à corrupção e aos crimes do colarinho branco no País. “Eu fico me indagando se não estamos vendo alguns sinais de uma tentativa de retorno ao status quo da impunidade dos poderosos”, afirmou Moro, em conferência no XII Simpósio Brasileiro de Direito Constitucional, evento da Academia Brasileira de Direito Constitucional, na noite de quinta, em Curitiba. “Em determinado ponto, a Mãos Limpas (operação italiana similar à Lava Jato), perdeu o apoio da opinião pública. E a reação do poder político foi com leis, como as que proibiam certos tipos de prisão cautelar ou que reduziam penas.”

Estadão Conteúdo

Pedro Corrêa diz que Lula exigiu que Paulo Roberto fosse diretor da Petrobras

A revista Veja teve acesso aos 72 anexos do depoimento de Pedro Corrêa

Em seus depoimentos, sob acordo de delação premiada, o político pernambucano descreveu situações em que Lula tratou com os caciques do seu partido, o PP, sobre a farra nos contratos da Diretoria de Abastecimento da Petrobras, comandada por Paulo Roberto Costa, o Paulinho, preso e condenado na Operação Lava Jato.

Corrêa disse que Lula ameaçou mudar todos os Conselheiros se Paulo Roberto Costa não fosse nomeado.

Uma das passagens mais emblemáticas, segundo o delator, se deu quando parlamentares do PP se rebelaram contra o avanço do PMDB nos contratos da diretoria de Paulinho. Um grupo foi ao Palácio do Planalto reclamar com Lula da “invasão”. Lula, de acordo com Corrêa, passou uma descompostura nos deputados dizendo que eles “estavam com as burras cheias de dinheiro” e que a diretoria era “muito grande” e tinha de “atender os outros aliados, pois o orçamento” era “muito grande” e a diretoria era “capaz de atender todo mundo”. Os caciques pepistas se conformaram quando Lula garantiu que “a maior parte das comissões seria do PP, dono da indicação do Paulinho”. Se Corrêa estiver dizendo a verdade, é o testemunho mais contundente até aqui sobre a participação direta de Lula no esquema da Petrobras. ( Veja)

POR QUE AS GRAVAÇÕES NÃO DEVEM MUDAR OS VOTOS FAVORÁVEIS AO IMPEACHMENT?

PETISTAS AFIRMAM QUE GRAVAÇÕES INSINUAM QUE O IMPEACHMENT SERVIU PARA LIVRAR TEMER, CUNHA, RENAN E JUCÁ DA LAVA JATO.
A PERGUNTA É: O IMPEACHMENT É LEGAL? SIM
EXISTIU COMPROVADAMENTE CRIME DE RESPONSABILIDADE? SIM.
TEMER APOIA A LAVA JATO? SIM
O MINISTRO DA JUSTIÇA ( QUE DÁ TODO APOIO A LAVA JATO, É AMIGO DOS PROCURADORES DA PF)
ENTÃO, DILMINHA SERÁ IMPICHADA.

PDT QUER SABER POR QUE TEMER DEMITIU OS PETRALHAS

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, estabeleceu o prazo de cinco dias para que o presidente interino Michel Temer se pronuncie sobre a realização da reforma administrativa ocorrida logo após o afastamento de Dilma Rousseff no processo de impeachment.

“Tratando-se a medida cautelar de providência de caráter excepcional, à vista da presunção de validade dos atos estatais, determino a oitiva da Exmo. Sr. Presidente da República em exercício, a cerca do pedido de medida cautelar, no prazo de cinco dias”, diz Barroso no despacho.

A decisão do ministro tem como base ação encaminhada ao STF pelo PDT para reverter reforma administrativa realizada por Temer. O partido questiona as mudanças promovidas pelo presidente interino num período em que Dilma ainda não foi afastada definitivamente. O PDT cita medidas como a nomeação de ministros, fusão e extinção de ministérios e alteração de política externa.

“A precariedade do mandato de um presidente em exercício não permite que ele faça reformas tão profundas. Defendemos que ele se abstenha de fazer esse tipo de ação durante o mandato interino que pode prejudicar programas tão essenciais ao país”, afirmou o deputado federal e ex-ministro das Comunicações, André Figueiredo (CE).

Após os esclarecimentos de Temer, a ação será encaminhada para um posicionamento do advogado-geral da União e do procurador-geral da República, que deverão se manifestar também no prazo de cinco dias.

(Com Estadão Conteúdo/ VEJA)

EMBORA INTERINO, MICHEL TEMER POSSUI TODAS AS PRORROGATIVAS DE PRESIDENTE E PODE LEGALMENTE, DEMITIR OU ADMITIR QUEM ELE QUISER.

NÃO TERIA SENTIDO ELE PRESIDIR O PAÍS COM OS SEUS INIMIGOS ( CONTRÁRIOS AO IMPEACHMENT) OCUPANDO CARGOS DE CONFIANÇA.

SE A DILMA VOLTAR, ELA COLOQUE OS AMIGOS DE VOLTA.

LEMBRANDO QUE NENHUM PROGRAMA SOCIAL SERÁ AFETADO. E QUE O PRESIDENTE INTERINO, MICHEL TEMER, JÁ ENCONTROU OS PROGRAMAS QUASE FALIDOS DEVIDO AO ROMBO DEIXADO POR DILMA.

JORGE RORIZ.

NOVAS ELEIÇ[ÓES É A ESPERANÇA DOS PETRALHAS

A CONVERSA DE NOVAS ELEIÇÕES É A ÚNICA ESPERANÇA DE LULA E DO COMUNISMO CONTINUAR.( VAI PEGAR CARONA DOS “MOVIMENTOS SOCIAIS” CONTRATA O “GOLPE”.
EM 2018, LULA JÁ ESTARÁ COMO FICHA SUJA E NÃO PODERÁ SER CANDIDATO.
SEM A RENUNCIA DE TEMER, NOVAS ELEIÇÕES SERIA UM GOLPE EM UM CLÁUSULA PÉTREA DA CONSTITUIÇÃO. NÃO SE PODE MEXER NO CALENDÁRIO ELEITORAL.
COM O AFASTAMENTO DEFINITIVO DE DILMA, O VICE – PRESIDENTE TEM O DIREITO DE OCUPAR O CARGO ATÉ CONCLUIR O TEMPO DO MANDATO DE DILMA.

Ministério da Justiça divulga nota sobre o estupro coletivo

O Ministério da Justiça divulgou  uma nota sobre o estupro coletivo:

“O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, repudia veementemente o hediondo crime praticado contra uma adolescente de 16 anos.

O estupro representa a maior violência à dignidade da mulher e deve ser duramente reprimido.

O Ministério da Justiça e Cidadania coloca-se à disposição da SPP/RJ para auxiliar nas investigações e discutirá na próxima terça-feira com os secretários de Segurança do país o tema violência contra a mulher.”

EX- PRESIDENTES DA PETROBRAS – GRAÇA FOSTER (A GRACINHA) E SÉRGIO GABRIELLI, ENROLADOS NA JUSTIÇA AMERICANA

Gracinha é lindina a protegida de Dilma. (www.jorgeroriz.com)
Jose_Sergio_Gabrielli_Lula-maos_sujas-131114
Lula tem sempre as mãos limpas pela honestidade…..

 

Os ex-presidentes da Petrobras na era petista Graça Foster e José Sérgio Gabrielli e condenados na Lava Jato, como Renato Duque e Paulo Roberto Costa, constam como potenciais réus da ação coletiva, que será julgada no U.S. Southern District Court.

Segundo o jornalista Cláudio Humberto (Diário do Poder), o julgamento já foi marcado para 19 de setembro. Trata-se de uma ação movida por acionistas que tiveram grande prejuízo com as falcatruas (petrolão) na Petrobras.

PETROBRAS PODE SER CONDENADA A PAGAR R$350 BILHÕES A ACIONISTAS

Lula quer eleição de imediato – Ele sabe que em 2018 não estará inelegível

Lula contra Temer

Lula quer eleições já.

Ele sabe que, em 2018, estará inelegível.

Ele sabe também que só poderá escapar da cadeia se conquistar o Palácio do Planalto.

Mas isso não vai acontecer.

Michel Temer chegou à presidência porque saiu ileso da Lava Jato. E vai continuar ali pelo mesmo motivo.

Fonte: O ANTAGONISTA

PEDRO CORRÊA – O “JURUNA GRAVADOR” DEU O GOLPE DE MISERICÓRDIA NA MÁFIA QUE DESEJAVA DESTRUIR A LAVA JATO

Entre todos os corruptos presos na Operação Lava-Jato, o ex-deputado Pedro Corrêa é de longe o que mais aproveitou o tempo ocioso para fazer amigos atrás das grades. Político à moda antiga, expoente de uma família rica e tradicional do Nordeste, Corrêa é conhecido pelo jeito bonachão. Conseguiu o impressionante feito de arrancar gargalhadas do sempre sisudo juiz Sergio Moro quando, em uma audiência, se disse um especialista na arte de comprar votos. Falou de maneira tão espontânea que ninguém resistiu. Confessar crimes é algo que o ex-deputado vem fazendo desde que começou a negociar um acordo de delação premiada com a Justiça, há quase um ano. Corrêa foi o primeiro político a se apresentar ao Ministério Público para contar o que sabe em troca de redução de pena. Durante esse tempo, ele prestou centenas de depoimentos. Deu detalhes da primeira vez que embolsou propina por contratos no extinto Inamps, na década de 70, até ser preso e condenado a vinte anos e sete meses de cadeia por envolvimento no petrolão, em 2015. Corrêa admitiu ter recebido dinheiro desviado de quase vinte órgãos do governo. De bancos a ministérios, de estatais a agências reguladoras – um inventário de quase quarenta anos de corrupção.

VEJA teve acesso aos 72 anexos de sua delação, que resultam num calhamaço de 132 páginas. Ali está resumido o relato do médico pernambucano que usou a política para construir fama e fortuna. Com sete mandatos de deputado federal, Corrêa detalha esquemas de corrupção que remontam aos governos militares, à breve gestão de Fernando Collor, passando por Fernando Henrique Cardoso, até chegar ao nirvana – a era petista. Ele aponta como beneficiários de propina senadores, deputados, governadores, ex-governadores, ministros e ex-ministros dos mais variados partidos e até integrantes do Tribunal de Contas da União.

Além de novos personagens, Corrêa revela os métodos. Conta como era discutida a partilha de cargos no governo do ex-­presidente Lula e, com a mesma simplicidade com que confessa ter comprado votos, narra episódios, conversas e combinações sobre pagamentos de propina dentro do Palácio do Planalto. O ex-presidente Lula, segundo ele, gerenciou pessoalmente o esquema de corrupção da Petrobras – da indicação dos diretores corruptos da estatal à divisão do dinheiro desviado entre os políticos e os partidos. Corrêa descreve situações em que Lula tratou com os caciques do PP sobre a farra nos contratos da Diretoria de Abastecimento da Petrobras, comandada por Paulo Roberto Costa, o Paulinho.

Uma das passagens mais emblemáticas, segundo o delator, se deu quando parlamentares do PP se rebelaram contra o avanço do PMDB nos contratos da diretoria de Paulinho. Um grupo foi ao Palácio do Planalto reclamar com Lula da “invasão”. Lula, de acordo com Corrêa, passou uma descompostura nos deputados dizendo que eles “estavam com as burras cheias de dinheiro” e que a diretoria era “muito grande” e tinha de “atender os outros aliados, pois o orçamento” era “muito grande” e a diretoria era “capaz de atender todo mundo”. Os caciques pepistas se conformaram quando Lula garantiu que “a maior parte das comissões seria do PP, dono da indicação do Paulinho”. Se Corrêa estiver dizendo a verdade, é o testemunho mais contundente até aqui sobre a participação direta de Lula no esquema da Petrobras.

Fonte: Revista Veja