As lições das urnas

A derrota petista e dos apoiadores de Dilma, mostra claramente que a  maioria da população brasileira , APROVOU o que os petistas chamam de “golpe”.

Se os eleitores , votaram  contra os apoiadores de Lula, Dilma e do PT e seus partidos aliados, fica claro que o Impeachment foi aprovado pela população.

Tucanos vencem em sete capitais e passam de 702 prefeituras, em 2012, para 803. Petistas vencem em 256 cidades contra 630 eleitos em 2012.

As pesquisas falsas e os protestos pagos dos vermelhos, passaram a impressão de que Lula, Dilma e o PT possuíam grande militância. Se temia até mesmo uma guerra civil ou comoção quando Dilma fosse afastada ou em futuro próximo, quando Lula for preso.

Na verdade, muitos esfomeados que recebiam a camisa,  transporte e o pão com mortadela e “tubaína”, estavam fazendo esse papel apenas por necessidade financeira e extrema miséria. Muitos deles eram recrutados nas fazendas e roças de locais distantes das áreas urbanas e com extremo nível de pobreza. Mas na hora de votar, muitos deles votaram contra o PT e seus aliados.

E gratificante saber que o povo brasileiro amadureceu politicamente  e entendeu a grande e poderosa farsa criada pelo PT com a ajuda de empresários corruptos ( que recebiam favores em troca)  e pela imprensa esquerdista que manipulavam a opinião pública e  varriam para debaixo do tapete a sujeira vermelha que tantos e terríveis males causou ao país.

O Brasil é verde e amarelo. O Brasil é cristão, evangélico, umbandista, espírita, e possui bases  sólidas em respeito a ética, a família tradicional e a honestidade. Que ganha o seu sustento com trabalho honesto na base do mérito, esforço  e estudo

O povo brasileiro não apoia corruptos e adoradores de aberrações disfarçadas de normalidades. Cada um que faça o que quiser dentro de quatro paredes, mas não pratique em público e não alicie crianças induzindo elas a uma opção que deve ser orientada pelos pais e  não por ideologias políticas.

Estamos orgulhosos do Brasil e do povo brasileiro. Não vamos adorar, Cuba, Venezuela, Bolívia. Vamos amar e respeitar os símbolos nacionais.

Nossa bandeira não é vermelha. Não temos foice  e martelo. Avante Temer, avante Brasil.

OS CORRUPTOS INDEPENDENTES DE PARTIDOS, SEJAM PUNIDOS. MAS NÃO SE PODE CULPAR SEM PROVAS OU DIREITO DE DEFESA.

DIANTE DA ARRASADORA  DERROTA PETISTA, FICA CLARO QUE LULA  NÃO TEM A MENOR CHANCE DE VOLTAR A SER PRESIDENTE.

Jorge Roriz

Felipe Moura comenta sobre a derrota de Freixo no RJ

Marcelo Crivella é eleito prefeito do Rio de Janeiro. É um dia triste para coxinhas de esquerda. Terão de trabalhar para bancar seus filmes.

– Hoje é um dia triste para os Black Blocs. Perderam a chance de ganhar uma secretaria.

– Diretor do Datafolha, neste domingo de eleição, não descartou “surpresa” no Rio. Jamais descartamos, tampouco, a torcida do Datafolha.

– Puxa vida, o que será do Rio agora sem um novo “banco municipal”? Que dó!

– Nessas horas de derrota de socialista, fico pensando em bandido que “está no crime” e não receberá “anistia”. Que dó!

– Freixo já pode planejar como fará da próxima vez para parecer menos Freixo. Mas estaremos aqui para lembrar mais uma vez ao eleitor quem é.

– Quando ouvir psolistas culpando “boatos, mentiras e calúnias” pela derrota, lembre-se: eles se referem à exposição de suas próprias ideias.

Leia a matéria completa aqui

PALOCCI E ODEBRECHT SE REUNIRAM 27 VEZES, DIZ LAVA JATO

A força-tarefa da Operação Lava Jato constatou que o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil/Governos Lula e Dilma) reuniu-se 27 vezes com o empreiteiro Marcelo Odebrecht. A informação consta da denúncia criminal da Procuradoria da República contra Palocci, Odebrecht e mais 13 investigados na Operação Omertà, 35.º desdobramento da Lava Jato.

Tais reuniões ocorreram em datas próximas aos períodos em que observada a solicitação de interferência de Antonio Palocci em altas decisões do Governo Federal.

 

 

A ligação do PCC com a Farc e o Foro de São Paulo

 Juiz Odilon de Oliveira fala de PCC, FARC, Foro de São Paulo

Entrevista ao Jornal CORREIO DO ESTADO do Mato Grosso do Sul, em 13.05.09 Aug 21st, 2009 11:33 pm

1) CORREIO: O PCC ainda está em atividade no Brasil?

ODILON: Fundado em 31/08/1993, no interior de São Paulo, essa facção criminosa não se encontra presente apenas no Brasil. Está em franca e crescente atividade também em outros países da América do Sul, como Bolívia e, principalmente, Paraguai. O grupo mantém fortes contatos também com as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Está cada vez mais bem estruturado com pessoal, armamento, recursos financeiros e disciplina. Estima-se que de cada cinco dos 440 mil presos do Brasil um seja membro do PCC. A maior incidência está no Estado de São Paulo, assumindo Mato Grosso do Sul, por conta do Paraguai e da Bolívia, a segunda posição. A facção teria um exército de mais ou menos 84 mil integrantes. As FARC, grupo terrorista colombiano fundado em maio de 1964, possuem apenas 10 mil integrantes. Outro perfil do PCC, além de sua finalidade econômica, é de natureza terrorista.

Continue reading

ANA JÚLIA, A MENINA SAÍDA DE UM MOLDE

Percival Puggina

amenina
O CONTO DA MENINA “APARTIDÁRIA” QUE CHORA DEFENDENDO O CAOS DAS OCUPAÇÕES NAS ESCOLAS

 

          Assisti ao vídeo em que essa menina, falando aos deputados estaduais do Paraná, discorre sobre os motivos das atuais invasões. Seu discurso é a síntese do que ensinam os fazedores de cabeça. Obviamente, ela não acessa o meu ou qualquer dos blogs que defendem ideias conservadoras ou liberais. Sua relação com o contraditório se exerce pela mera aplicação de rótulos. Os adjetivos que dispara – golpista, fascista, machista, homofóbico, racista – abastecem seu vocabulário como os únicos cabíveis a quem diverge do que lhe foi ensinado.

          Ela diz que não a doutrinaram e que essa acusação é um “insulto”. De fato, ela não foi doutrinada, mas não pelas razões que afirma. O que fizeram com ela foi ocultação do contraditório e escamoteação de outros pontos de vista, como observou Olavo de Carvalho ao discorrer sobre o muito conhecimento e tempo necessários a uma efetiva doutrinação. Isso fica claro quando Ana Júlia fala emocionada sobre o quanto aprende a respeito do Brasil e da política nos dias de invasão. Ora, durante esse período supostamente pedagógico ela convive somente com outros invasores e com os professores que os pastoreiam. Participa, pois, de um desses eventos dos quais companheiros e camaradas emergem com fulgores de profetas que ouviram a voz do Senhor. Mas é apenas a própria voz que escutam.

          A luz dessa sabedoria não remove escamas dos olhos. Por isso, a mocinha afirma que a “escola pertence aos estudantes” e daí deduz, sem esclarecer a relação entre causa e efeito, que o grupo ao qual pertence pode destituir dessa alegada posse todos os que pensam diferente e querem aula. E quem não entendeu algo tão obscuro é homofóbico, machista, fascista, bobo e feio. Ora, nem a escola é dos alunos, dado que pertence à comunidade, nem pode, qualquer fração ou facção dispor dela como bem quiser. Pretender que assim seja, para usar uma palavra da qual a oradora usa e abusa, insulta a Constituição e a inteligência de quem a ouve.

          Li que o pai da adolescente seria vinculado ao PT. Ele tem todo direito de orientar sua filha como quiser, embora esse direito não prescinda de uma conduta respeitosa em relação à liberdade dela. Já à sua escola e aos seus professores não é dado esse direito! Vem daí a Escola sem Partido. O discurso da mocinha reforça a necessidade do projeto. Ela quer escola com partido, para reproduzir o que aprendeu. Essa é uma escola que permite ser capturada, que fecha suas portas aos demais alunos, professores e famílias, em nome dos objetivos políticos que lhe prescreveram. Nem mesmo uma eleição de segundo turno para prefeito será mais relevante e democrática que a tomada do prédio por seu aparelhinho pedagógico.

          O jornalista Alexandre Garcia, em recente comentário, sugeriu que cada invasor de escola indicasse, em redação de 20 linhas, suas reivindicações. Pois é, seria bom mesmo ler esses textos. Sucessivos exames do ENEM e indicadores internacionais têm mostrado o rés do chão por onde se arrastam as redações de nossos estudantes. Dezenas de milhares de professores têm testemunhos a dar sobre o desinteresse e a indisciplina dos alunos, mais dedicados a gozar o presente do que a construir o futuro. Empenhados em bagunçar a escola e a aula para, supostamente, dar um jeito o mundo. Ademais, tais redações iriam revelar o caráter orquestrado e unitário dessas invasões.

          O discurso, que já conta 400 mil acessos no YouTube, é a voz de todos os invasores. A menina parece, como tantos outros, saída de um molde. Crê que a discordância autoriza a grosseria e a causa justifica a desonestidade intelectual. Permite-se – suprema desfaçatez –  jogar no colo dos deputados o cadáver do estudante morto a facadas por um colega, após uso de drogas, no interior de uma escola ocupada! “Suas mãos estão sujas de sangue”, esguichou ela sobre os parlamentares, como se fizesse acusação plausível e não promovesse evidente transferência de responsabilidades.

          A simpatia pela militantezinha e sua causa, expressa em veículos de comunicação, é – para falar como ela – um insulto ao público. Quem disse que a tolerância é sempre virtuosa?

________________________________
* Percival Puggina (71), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.

 Percival Puggina