Pressionado, ministro da justiça nega o afastamento do diretor da PF

O Ministério da Justiça divulgou nota nesta segunda-feira negando que o ministro Eugênio Aragão tenha decidido exonerar o diretor da PF.

“O Ministério da Justiça informa que o diretor-geral da PF continua gozando de plena confiança por parte do ministro da Justiça e não há nenhuma decisão sobre sua substituição”, diz o texto.

 

O diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello.Daiello assumiu a PF em janeiro de 2011 e  dobrou o número de operações, que cresceram de 252 para 516 até este ano, muitas atingiram o PT, entre elas, a Zelotes, que investiga o filho mais novo do ex-presidente Lula e a Acrônimo, que apura esquema de corrupção envolvendo o governo de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) . O que também motivou deputados do partido a pressionaram por sua saída.

As pressões para controlar a PF levaram Cardozo a trocar a Justiça pela Advocacia-Geral da União.

Na última semana, governistas fizeram críticas a PF por causa de interceptações telefônicas que alcançaram conversas da presidente Dilma com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, investigado na Lava Jato. Os grampos foram autorizados pela Justiça Federal.

 

Deixar uma resposta