“Beira o ridículo a defesa de Dilma”, rebate vice-presidente e coordenador Jurídico do PSDB

O deputado federal Carlos Sampaio (SP), vice-presidente nacional do PSDB e coordenador jurídico do partido, afirmou que a defesa de Dilma não responde às acusações feitas pelo PSDB. A defesa apresentada pelos advogados do PT mostrou-se pífia e distante da realidade que se constata nas provas trazidas para o processo.

Segundo Sampaio, “ao invés de defender-se das graves acusações feitas por delatores na Operação Lava Jato, a presidente Dilma preferiu contra-atacar usando, para tanto, argumentos frágeis. Afinal, se o PSDB estivesse fazendo ‘manejo temerário da justiça’ como ela alega, a ação não teria sido, sequer, recebida pelo TSE”.

As provas existentes no processo, a evidenciar que o PT recebeu dinheiro de propina, decorrem de delações premiadas já aceitas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Para Sampaio, “as afirmações que fizemos junto ao TSE foram demonstradas, não só por delatores que tiveram suas versões apreciadas pelo STF, mas também pelo próprio juiz Sérgio Moro que foi categórico ao afirmar, em ofício encaminhado à mais alta Corte Eleitoral, que restou provado que as campanhas do PT receberam dinheiro de origem ilícita, decorrente do esquema de corrupção da Petrobras”.

De nada adianta os advogados do PT tentarem dizer que as empresas que doaram para a campanha da presidente Dilma também doaram para as demais campanhas, pois são os próprios doadores que afirmam que as doações sistemáticas ao Partido dos Trabalhadores eram feitas com dinheiro desviado da Petrobras. “Neste particular, beira o ridículo a alegação da defesa. São os ex-diretores das empresas e os ex-diretores da Petrobras, indicados pela Dilma e pelo Lula, que afirmam, em suas delações já acolhidas pelo STF, que participaram do esquema criminoso para desviar dinheiro de propina para o PT. Em momento algum esses delatores fazem menção a dinheiro desviado para qualquer partido de oposição”, concluiu Sampaio.

Deixar uma resposta