Brasil já tem mais de quatro mil casos de suspeita de microcefalia

129500-dengue02

 

Diante da ineficiência do governo em planejar ações de prevenção e combate ao Aedes aegypti, o número de casos suspeitos de microcefalia relacionados ao zika vírus cresceu mais uma vez no país, chegando a 4.180 ocorrências. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (27), no novo boletim do Ministério da Saúde, e publicados em matéria do jornal O Globo. Do total de mais de quatro mil casos, 3.448 seguem sob investigação, 270 foram confirmados e 462 estão descartados.

Como forma de tentar contornar o gravíssimo quadro, o governo prepara uma nova campanha de esclarecimento sobre a microcefalia, com veiculação em rádio, televisão e redes sociais. Além disso, até agosto, mês em que se iniciam os Jogos Olímpicos, um centro da estratégia de combate à enfermidade será instalado no Rio de Janeiro, cidade-sede do evento.

Para o deputado federal Daniel Coelho (PSDB-PE), a demora em tomar alguma atitude contra a doença mostra a negligência do governo durante os últimos anos. “O governo tenta dar publicidade como se estivesse prestando algum serviço ou fazendo alguma coisa. Na verdade, ele devia estar se desculpando por ter sido negligente com o assunto ao longo de uma década. O zika tem as características de contaminação e de contágio parecidas com as da dengue, então é um assunto que não é novo e deveria ter preocupado o governo há muito tempo”, avaliou.

Preocupação

Além dos terríveis impactos na saúde, a onda de novas ocorrências de microcefalia pode atingir também a economia brasileira. Isto porque o número de turistas esperados para as Olimpíadas pode ser drasticamente reduzido por conta dos alertas de entidades internacionais sobre a enfermidade. Nos Estados Unidos e na Europa, houve de casos de bebês nascidos com microcefalia cujas mães haviam passado pelo Brasil. Por isto, agências de controle de doenças de diversos países vêm recomendando que as viagens ao Brasil só devem ser feitas em caso de extrema necessidade.

“O período de turismo é extremamente importante para o país e já está prejudicado. Famílias poderiam estar vindo ao Brasil e não estão mais pelo alto risco de uma consequência que é muito grave. Por mais que a gente consiga controlar a situação dentro de alguns meses, isso demora para ser curado. Quando chega uma notícia no exterior de que há risco de contaminação por uma doença séria no país, até as pessoas voltarem demora um pouco, até mais tempo do que você necessariamente demora para controlar a situação”, destacou Daniel Coelho.

Salário

Além das ações que buscam um maior esclarecimento da população sobre a doença, outra medida tardia do governo deve ser anunciada nos próximos dias. Trata-se do pagamento de um salário mínimo para as famílias que tenham bebês diagnosticados com microcefalia. De acordo com matéria do Estado de São Paulo desta quarta-feira, o benefício será concedido apenas às famílias com renda mensal de até R$ 220 por pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *