Caminhoneiros dão ultimato a Dilma: ” Não queremos acordo. Saia do governo ou iremos parar o país”

agree

“As reivindicações não foram atendidas. Agora não queremos negociar, não aceitaremos acordo. Queremos a renúncia da presidente”, afirmou o organizador da manifestação, Ivar Luiz Schmidt.

Ivar liderou  a paralisação de fevereiro, que afetou a distribuição de combustível pelo país.

 

A GREVE dos petroleiros tem inesperado índice de adesão. Uma surpresa, considerando que os sindicatos do setor são mais governistas do que Collor, Sarney, Maluf e Kátia Abreu juntos. E, para amanhã, segunda, está marcada uma greve explosiva, a dos caminhoneiros. Se der certo, bloqueia estradas, suspende o abastecimento, paralisa a economia, multiplica o efeito da greve dos petroleiros. Há, entre os caminhoneiros, alguns cujo objetivo é derrubar o governo. Agora não adianta muito olhar para Brasília: é preciso olhar para o país.” ( VEJA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *