Coluna JR – 23/11

Maurício Macre, eleito presidente da Argentina, terá grandes dificuldades para colocar a Argentina no desenvolvimento e equilíbrio econômico. Os números de Cristina K são negativos e maquiados ( a situação real é bem pior do que a divulgada pela atual presidente). A Argentina não possui reservas cambiais e enfrenta inflação, desemprego em alta.

Gilmar Mendes tomara posse na presidencia do TSE  em Maio. Processo da Campanha de Dilma deveria ser protelado para vistas até maio…….

STF decide se ‘Eletrolão’, que nunca podia ter saído das mãos Juiz Moro, deve voltar

Com as torneiras do petrolão fechadas, não deu para ele ajudar o candidato da “companheira” Cristina.
Estávamos financiando ditaduras… perdão de dívidas, doações secretas, empréstimos do BNDES com juros subsidiados.

 

Com 99% dos votos apurados: Macri 12.871.479 votos; Scioli
12.150.576 votos
Quase ele muda o resultado. kkkkkkkk
Dessa vez o ex advogado do PT fracassou

 

Na apuração dos votos Argentinos, um estranho fenômeno comunista. De repente, o candidato que possuía uma constante e inalterada vantagem nas pesquisas de boca de urna e nas urnas abertas, passa a diminuir seus votos em grande velocidade. Os boletins de notícias com as novas informações passam a demorar de serem divulgados……. Diferença foi caindo…11% 9%,8%, 7%, 6%, 5%, 4% 3%………Tentaram melar e não conseguiram ou foi apenas uma coincidência? Não é piada: Toffoli estava ontem na Argentina como “observador”. A informação foi confirmada pelo jornalista Políbio Braga.

No dia 6 de dezembro, Nicolás Maduro deverá levar uma surra nas eleições parlamentares da Venezuela. Vamos torcer,

Deixar uma resposta