Ejacular evita riscos de câncer na Próstata

Ejacular mais de 21 vezes por mês pode reduzir o risco de câncer de próstata.

Segundo um novo estudo, publicado na revista European Urology, ejacular pelo menos essa quantidade de vezes ao mês, pode reduzir o risco de câncer, comparado aos homens que só ejaculam de quatro a sete vezes no mesmo período.

E esse benefício independe do sexo ser com uma parceira ou não.

Pesquisadores da Universidade de Harvard analisaram os dados de 31.925 homens saudáveis, que preencheram um questionário sobre a frequência de suas ejaculações em 1992.

Essa frequência mensal foi avaliada em homens de 20-29 anos e 40-49 anos.

Esses homens passaram por um acompanhamento até 2010. Até esse momento, 3.839 deles foram diagnosticados com câncer de próstata.

Foi descoberto que, aqueles que ejaculavam pelo menos 21 vezes por mês tinham um risco significativamente reduzido de ter câncer de próstata, quando comparados aos que ejaculavam apenas 4-7 vezes.

“Esses resultados fornecem evidências adicionais sobre o benéfico papel da ejaculação frequente, ao longo da vida adulta, na prevenção do câncer de próstata, particularmente na redução do risco”, escreveram os autores do estudo”.

Eles acrescentaram: “Descobrimos que os homens que relataram uma alta frequência ejaculatória na idade adulta eram menos propensos a serem diagnosticados com câncer de próstata”.

Alice Sholl/ YAHOO

SEXO TAMBÉM FAZ BEM AS MULHERES

De acordo com um novo estudo, fazer sexo uma vez por semana ajuda as mulheres a reduzirem o envelhecimento.

Realizado pela University of California, o trabalho analisou a intimidade física, o suporte dos parceiros durante conflitos e a satisfação e estresse em geral nos relacionamentos de 129 mães em relações de longo prazo. Todas tiveram amostras de sangue analisadas para medir o comprimento do telômero, um tipo de “capa” na ponta das cadeias de DNA que diminui com o passar dos anos e está associado a uma redução do envelhecimento, aumento da saúde e expectativa de vida mais alta.

O resultado dos exames mostrou que, enquanto a satisfação e o suporte do par não tem nenhuma relação com essa parte do DNA, quem faz sexo uma vez por semana – mesmo que esteja insatisfeito com a performance – apresenta o telômero significativamente mais longo. Segundo os especialistas, a causa provável é a redução do estresse e o aumento da imunidade que são promovidos pelo ato sexual.