Eleições na Venezuela

1449353490_469672_1449353899_noticia_normal
Um militar em um colégio eleitoral de Caracas. / NACHO DOCE (REUTERS)

Nenhum dos dois lados acredita que a vitória, seja de qual lado for, propicie uma vantagem de mais de 10 deputados.

As eleições são realizadas no domingo em um clima de tensão e falta de garantias plenas. O Governo só permitiu uma missão de acompanhamento, nunca de observação, da Unasul e impediu o envio de delegações da União Europeia e da Organização dos Estados Americanos (OEA). O Governo mobilizou um enorme contingente para a votação: 163.000 soldados estão mobilizados e 25.000 permanecem na reserva. Pela primeira vez em 17 anos, a oposição poderá controlar o parlamento. Essa vitória seria uma queda monumental para o Governo de Nicolás Maduro e para a revolução bolivariana, que atravessa seu pior momento.
( El Pais)

 

SE FOR DERROTADO, O DITADOR MADURO, AMEAÇA:

“Vamos ganhar a disputa eleitoral. Mas caso se desse a hipótese rejeitada, transmutada e sepultada [de uma derrota], eu estou cerebralmente, espiritualmente, politicamente e militarmente para assumi-la. E me lançaria às ruas”, disse Maduro em discurso no palácio presidencial transmitido pela TV

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *