Guerra contra o terror – EI usará estrangeiros e reduziu atividades militares

LONDRES – Após o  ataque da Força Aérea da França  iniciado no último domingo, (15/11) contra a cidade síria de Raqqa, a capital informal do Estado Islâmico, em dois campos de treinamento do grupo e um depósito de armas. O EI reduziu seus movimentos militares no local. “Segundo ONG que monitora guerra na Síria, grupo diminuiu atividades militares.

Segundo Rami Abdulrahman, chefe do Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), ONG que monitora a guerra civil síria, com sede na Grã-Bretanha. “Os membros do EI estão se escondendo”, disse o ativista. “Eles reforçaram as medidas de segurança em Raqqa.”

No domingo, paralelamente aos ataques da França, os EUA atacou 160 caminhões pipas de petróleo nas imediações da cidade de Abu Kamal, na Síria.

, se aproveitando de os serviços secretos não compartilham muitas de suas informações sobre os jihadistas que já identificaram.

Um relatório dos serviços de inteligência franceses reveladas nesta segunda-feira, 26, pela rádio pública France Info, que fala de uma nova estratégia de “ataques oblíquos”, informou que o Estado Islâmico (EI) planeja utilizar terroristas estrangeiros em seus atentados em países europeus para dificultar sua identificação

Fonte: Agências internacionais ( Reuters, e EFE).

Deixar uma resposta