CARNE PODRE -OPERAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL

NO ESQUEMA ELES USAVAM PRODUTOS QUÍMICOS PARA VENDER CARNE DETERIORADA (VENCIDA/ PODRE) COMO SE ESTIVESSE SAUDÁVEL.

RESUMO DA OPERAÇÃO “CARNE FRACA”.
POVO BRASILEIRO ( SÃO PAULO, RIO GRANDE DO SUL, GOIAS, MINAS GERAIS E PARANÁ) SE ALIMENTAVA DE CARNE PODRE, MASCARADA DE SAUDÁVEL COM PRODUTOS QUÍMICOS CANCERÍGENOS PARA QUE A PROPINA FOSSE PAGA AO PMDB E PP.
SEGUNDO A PF, NÃO EXISTE NENHUM PARLAMENTAR COM FORO PRIVILEGIADO DENUNCIADO NA OPERAÇÃO.
BRASIL ESTÁ PODRE. MAS A POLÍCIA FEDERAL ESTÁ FAZENDO A LIMPEZA.
ESPERAMOS QUE A JUSTIÇA NÃO PROTEJA CRIMINOSOS E A LEI SEJA CUMPRIDA.

PF DIZ QUE PROPINA DE FRIGORÍFICO ABASTECIA PMDB E PP

O delegado federal Maurício Moscardi Grillo (Operação carne fraca) afirmou nesta sexta-feira, 17:

Dentro da investigação ficava bem claro que uma parte do dinheiro da propina era, sim, revertido para partido político. Caracteristicamente, já foi falado ao longo da investigação dois partidos que ficavam claro: o PP e o PMDB”, afirmou.

Lula mentiu em depoimento na Justiça Federal

Lula falou na Justiça que recebia 50 mil mensais. O Globo descobre Lula tem renda de no mínimo 80 mil mensais.
Mentiu em depoimento na Justiça Federal.

No informe de rendimentos entregue pela defesa de Lula à Justiça Federal consta que o ex-presidente fez uma retirada mensal média de R$ 79,4 mil da LILS Palestras, em 2015. Nada mau. (O Antagonista)
Somando  a aposentadoria da Previdência Social.

Precisa somar:

A aposentadoria da Presidência República.

Pensão da esposa falecida italiana Marisa Letícia.

E ainda o dinheiro que o PT paga a ele mensalmente.

Operação carne fraca -A maior operação da PF

O MINISTRO DA JUSTIÇA OSMAR SERRAGLIO FOI CITADO  COMO SUSPEITO DE PARTICIPAR DA OPERAÇÃO. EXISTE UM ÁUDIO ENTRE O MINISTRO E UM FISCAL.

Um nota, a PF informou que aproximadamente 1100 policiais federais estão cumprindo 309 mandados judiciais, sendo 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão em residências e locais de trabalho dos investigados e em empresas supostamente ligadas ao esquema.

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, 17, a maior operação da sua historia. Trata-se da Operação Carne Fraca, que combate corrupção de agentes públicos federais e crimes contra Saúde Pública. Executivos do frigorífico JBS Friboi. Dois executivos da empresa foram presos.

Dentre as ilegalidades praticadas no âmbito do setor público, denota-se a remoção de agentes públicos com desvio de finalidade para atender interesses dos grupos empresariais. Tal conduta permitia a continuidade delitiva de frigoríficos e empresas do ramo alimentício que operavam em total desrespeito à legislação vigente”, diz a nota da PF.

As ordens judiciais foram expedidas pela 14ª Vara da Justiça Federal de Curitiba/PR e estão sendo cumpridas em 7 estados federativos: São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goias.

 

“Lista fechada” a ideia absurda que o Brasil não vai aceitar

Nascido no Chile naturalizado brasileiro, eleito presidente da Câmara com apoio do PT e do PCdoB, Rodrigo Maia (DEM), criou uma estranha ideia de incluir na reforma política a eleição com lista fechada.
O povo escolhe o partido e o partido decide queM será o nome do eleito.
Isso mesmo que você leu. Um absurdo tão grande que parece mentira ou piada.
Como fazer uma alteração dessa natureza, ( a forma de eleger os parlamentares, SEM CONSULTAR A POPULAÇÃO?)
O povo brasileiro que já tem nojo dos partidos políticos atuais ( abrigam grande parte de bandidos e ladrões da pátria) vai conceder aos partidos o direito de dizer quem será eleito?

Diante disso , e de outros fatos, a impressão que temos é que só uma guerra civil vai salvar o Brasil.
E preciso colocar esses bandidos na cadeia, independente de partidos.
Eles legislam em causa própria e com apoio de uma justiça contaminada, roubam o país e os brasileiros mantém tudo isso de forma pacífica.

Criação de empregos foi positiva após 22 meses

POR QUE OS PETISTAS GRITAM “FORA TEMER”?
TORCEM PELO CAOS, PARA SASA MUTEMA O “SALVADOR DA ´PÁTRIA” E MAIOR LADRÃO DO PLANETA, VOLTAR AO PODER.

Em cerimônia no Palácio do Planalto, o governo federal divulgou nesta quinta-feira (16) dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) que mostram a volta da geração de empregos no País. O presidente da República, Michel Temer, o crescimento, que ocorre após 22 meses em queda, é um sinal importante para a recuperação da economia brasileira.

Dados mostram que 35.612 novos postos foram criados em fevereiro. “Vocês sabem que a economia brasileira volta a crescer e os sinais deste fato são cada dia mais claros. Em fevereiro, o número de empregos formais é de 35.612 vagas. É um começo, depois de 22 meses de números negativos”, afirmou.

De acordo com a pesquisa mensal do Ministério do Trabalho, este foi o melhor resultado para o mês de fevereiro desde 2014. Na oportunidade, foram gerados 260 mil postos. Entre os grandes ramos de empregos observados no levantamento feito pela pasta, a maioria aparece como positivo.

O setor de serviços puxou a avaliação positiva, com 50.613 novo postos criados. A administração pública vem em seguida, com 8.280 vagas. Na sequência estão agropecuária (+6.201), indústria (+3.949) e serviços industriais de utilidade pública (+1.108). Já os ramos de extração mineral, construção civil e comércio ficaram com saldo negativo no mês passado.

Mudança de cenário

“Quem está apostando que o Brasil não vai dar certo vai errar, o brasil vai gerar muitos empregos”, afirmou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira. “Podemos comemorar a inversão da curva (de desemprego). Estamos convictos de que a partir daqui teremos sempre dados positivos para apresentar”, disse.

Entre as unidades da federação, 14 registraram saldo positivo e 13 ficaram no negativo. Os estados que geraram mais empregos foram São Paulo, com 25.412; Santa Catarina, com 14.858; e Rio Grande do Sul com 10.602. ( Informações do Palácio do Planalto)

A agência de classificação de risco Moody’s alterou nesta quarta-feira, 15, a perspectiva para a nota brasileira, de negativa para estável.
Segundo a agência, a economia brasileira dá sinais de melhora, com inflação em trajetória de queda e melhoria da perspectiva fiscal.

41 Senadores assinam requerimento – Plenário vai votar fim do foro

Sim, 41 senadores assinaram o requerimento para que seja votado no plenário do Senado a PEC que pede o fim do foro privilegiado.

O requerimento que há pouco alcançou as 41 assinaturas necessárias obriga o presidente do Senado, Eunício Oliveira, a estabelecer um calendário especial para a discussão e votação da PEC do fim do foro privilegiado, de autoria de Álvaro Dias e relatoria de Randolfe Rodrigues.

Esse requerimento está amparado no inciso 3º do artigo 412 do Regimento do Senado. Poderia ser proposto por líderes que representam 3/5 da Casa (49 senadores) ou por senadores que totalizam a maioria do Senado (41 senadores). O requerimento seguiu o segundo caminho.

A partir de agora, Eunício terá de definir quando serão as cinco sessões de discussão sobre o tema em primeiro turno e as três sessões de discussão em segundo turno. ( O Antagonista)

 

Agora precisamos do apoio de mais 8 senadores (totalizando 49) para que a PEC seja aprovada em 2 turnos no Senado. (Informou, representantes do Movimento Vem Pra Rua)

Trabalhadores nascidos em maio e junho podem sacar abono do PIS a partir de hoje

Os trabalhadores nascidos nos meses de maio e junho, que recebem até dois salários mínimos, poderão sacar o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) a partir de hoje (16). A retirada poderá ser feita nas agências da Caixa Econômica Federal, nos caixas eletrônicos por meio do Cartão do Cidadão, nas casas lotéricas e nos correspondentes bancários.

O banco também pagará os rendimentos das cotas do PIS para os trabalhadores cadastrados no programa antes de 4 de outubro de 1988. Nesse caso, os rendimentos variam conforme o saldo existente na conta do PIS vinculada ao trabalhador.

Quem é correntista da Caixa teve o dinheiro depositado na última terça-feira (14) na conta-corrente. Para saber se tem direito a receber o benefício, de até um salário mínimo, o trabalhador pode consultar o site do banco ou ligar no 0800 726 0207, opção 1.

O abono é pago ao trabalhador com pelo menos cinco anos de cadastro no PIS/Pasep, que recebeu uma média mensal de dois salários mínimos e trabalhou pelo menos 30 dias em 2015. Os dados do trabalhador precisam ter sido informados corretamente pela empresa ao Ministério do Trabalho, na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do ano-base 2015.

Pelas novas regras estabelecidas pelo governo federal, o valor do benefício agora é associado ao número de meses trabalhados no exercício anterior. Quem trabalhou um mês em 2015 receberá um doze avos do salário mínimo. Quem trabalhou dois meses receberá dois doze avos e assim por diante. Só receberá o valor total quem tiver trabalhado todo o ano de 2015.

Ex-amante de Youssef é indiciada por não declarar ao IR bens recebidos

 

 

 

Taiana de Souza Camargo, ex-amante do doleiro Alberto Youssef, foi indiciada na última segunda-feira  (13) pela Polícia Federal, sob suspeita de lavagem e ocultação de bens do antigo namorado.

Em 2011, Youssef comprou uma BMW para a amante, e, um ano depois, deu o apartamento no Morumbi. Taiana não declarou ao Imposto de Renda que recebeu  os bens como doação.
Ela foi acusada de ocultar  a origem dos citados bens. O apartamento foi avaliado em R$ 871 mil, segundo a PF.

“Evidentemente, Taiana tinha conhecimento das atividades ilícitas de Alberto Youssef, ou ao menos era presumível que soubesse delas”, disse o delegado Ivan Ziolkowski.

Taiana foi capa na revista Playboy

Maia admite levar a votação proposta de anistia a caixa 2

“Qualquer tema pode ser pautado, não tenho objeção a nenhum tema, contanto que ele seja feito com nome, sobrenome e endereço fixo. Eu acho que essa é a questão que falta neste debate”, afirmou Rodrigo Maia

SÓ FALTA ENTÃO, PAUTAR O TEMA DE LEGALIZAR O CRIME, ANISTIAR TODOS OS ENVOLVIDOS NA LAVA JATO OU SOLTAR TODOS OS PRESOS DA CADEIA. (JR)

 Um dia após chegar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a nova lista de pedidos de investigação da Operação Lava Jato, com base nas delações da Odebrecht, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nessa quarta-feira, 15, que poderá colocar em pauta um projeto para dar anistia à prática de caixa 2, desde que a proposta seja discutida de maneira clara e transparente com a sociedade. ( Estadão)

A SOCIEDADE NÃO ACEITA ANISTIAR CRIMINOSOS E LEGALIZAR O CRIME. (JR)

Rodrigo Maia
Foto: Dida Sampaio|Estadão

 

Jovem ganha concurso de redação sobre o mundo em que gostaria de crescer

Morador da cidade de Presidente Médici, no interior de Rondônia, distante 400 quilômetros da capital Porto Velho, Leonardo Silva Brito, de 17 anos, estudou a vida toda na escola estadual Carlos Drummond de Andrade, onde conheceu o Concurso Internacional de Redação de Cartas, do qual foi vencedor da etapa nacional em 2015 e ficou no terceiro lugar geral da competição.

“O concurso me moveu, me direcionou e me levou a conhecer coisas que eu não conseguiria ter contato fora de sala de aula. Foi muito bom pra mim, para a minha escola, para os alunos, ter contato com esse tipo de material relacionado tanto à história, política e geografia”, contou o rapaz à Agência Brasil. Na época em que participou, os estudantes deveriam tratar na redação sobre o mundo em que gostariam de crescer.

A 46ª edição do concurso feito no Brasil pelos Correios e coordenado em todo o mundo pela União Postal Universal,  está com inscrições abertas até amanhã (17). Escolas da rede pública e privada podem participar com, no máximo, duas redações por instituição, que devem ser escritas à mão e produzidas por alunos de até 15 anos. O tema deste ano é “imagine que você é assessor do secretário-geral da ONU – qual o problema mundial que você o ajudaria a resolver em primeiro lugar e de que forma você o aconselharia para isso?”

No ano em que foi vencedor, Leonardo estava no segundo ano do ensino médio. No entanto, desde o sexto ano do ensino fundamental, ele participava da competição. “Algumas [vezes] eu fui classificado, outras não. Eu sempre participava porque eu gostava muito dos temas que eram propostos pelo concurso. Eu esperava realmente desenvolver esse meu interesse por leitura e por escrita principalmente.”

“Eu falei na redação justamente que o mundo que eu gostaria de crescer não é um mundo só meu, porque ele já foi imaginado por muitas pessoas antes de mim e vai continuar sendo desenvolvido depois que eu me for. Eu citei bastantes pensadores que contribuíram para a formação de um mundo melhor. E eu acredito que é assim que será construído um mundo coletivo, onde cada um contribui com o que pode e da forma que pode”, disse Leonardo.

Citando figuras como Malala, Chico Mendes e Madre Teresa de Calcutá, o jovem apresentou seu mundo ideal. “Esse mundo onde eu gostaria de crescer é a interseção de todos esses sonhos dessas pessoas que acreditavam em um mundo melhor e fizeram acontecer. Eu coloquei [na redação] que seria um mundo coletivo onde cada um doasse parte do seu tempo para a construção realmente dessa utopia”.

Para Leonardo, ter coragem para botar em prática os sonhos e ajudar na construção desse mundo pode “transformar os próximos dias, anos, séculos aqui na Terra para as próximas gerações”.

Coletivo

O jovem lembra a todo momento, em entrevista à Agência Brasil, que sua participação no concurso foi resultado de uma ação coletiva. “Quando foi lançada essa proposta [do concurso] para o nosso diretor, eles [coordenadores e professores] acolheram e levaram os alunos a fazerem oficinas de produção textual, então foi um trabalho em conjunto, na verdade”. Ele acrescentou que foi muito bom todos os alunos terem contato com o tema do concurso, relacionado tanto à história, política e geografia.

O jovem contou sobre o reconhecimento que teve dos pais, que o acompanharam durante a premiação em Brasília. “Eles ficaram primeiramente muito felizes porque é uma conquista muito grande. Se você pensar que eu estudo em escola pública estadual desde sempre, você representar o Brasil numa competição de cunho internacional é uma coisa muito bacana para qualquer um, e mais ainda para uma pessoa que sai de uma cidade tão pequena do interior do estado de Rondônia, de uma escola pública. Foi muito engrandecedor”, contou.

Nos concursos seguintes, o rapaz destacou que o interesse dos alunos de sua escola cresceu. Seu irmão, de 13 anos, também começou a participar após sua vitória na competição. “Meus pais ficaram muito felizes em saber que eu dei, de certa forma, esperança para algumas pessoas que também gostariam de participar e que tem o sonho de um dia representar o Brasil em um concurso internacional”.

Lula encantador de imbecis não sabe quanto ganha e prepara Plano Econômico

LULA, UM SUJEITO QUE NÃO SABE QUANTO GANHA ( Admitiu ser 30 mil e depois 50 MIL……..) ESTÁ ELABORANDO UM “Plano econômico” para SALVAR o Brasil. AFUNDADO POR ELE E SUA BONECA VENTRÍLOCA (DILMA)

Trecho do depoimento de Lula –

O juiz pergunta qual a renda dele mensal:

“São uns seis e pouco de aposentadoria mais uns 20 que minha mulher recebia, que passou para 30. (…) Pode dar 30… 30 mil, mas pode ter mais. Tem mais porque tem doação pros meus filhos, sabe, porque eu não tenho… Poderia chegar a quanto? 50 mil? Eu não sei, eu tô tentando chutar aqui, doutor. (…) O rendimento fixo que eu recebo, todo mês, é isso: 6 e pouco da anistia e ─ era vinte, agora passou para trinta ─ a LILS que paga. Mas depois o advogado manda pro senhor, aí, o total do rendimento das doações”.

FACHIN MANDA CITAR RENAN POR DENÚNCIA DE PROPINA DE R$ 800 MIL

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, expediu nesta quarta-feira, 15, os mandados de citação para que o ex-presidente do Senado e líder do PMDB na Casa Renan Calheiros (AL), seu aliado, o deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE), e um executivo da empreiteira Serveng apresentem suas defesas na denúncia da Lava Jato contra eles.

A acusação foi apresentada ao Supremo em dezembro do ano passado pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot, que aponta que o peemedebista teria recebido propina de R$ 800 mil do esquema de corrupção na Petrobrás por meio de doações eleitorais ao PMDB, em 2010. ( Diário do Poder)

Conheça a lista de Janot

Ministros
Além dos cinco ministros revelados nesta terça, também está na lista:
• Marcos Pereira (PRB-RJ), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços
Governadores
Cinco governadores que aparecem na lista são os seguintes:
• Renan Filho (PMDB), de Alagoas
• Luiz Fernando Pezão (PMDB), do Rio de Janeiro
• Fernando Pimentel (PT), de Minas Gerais
• Tião Viana (PT), do Acre
• Beto Richa (PSDB), do Paraná
Senadores
Do Senado, mais quatro nomes que vão para análise do Supremo:
• Lindbergh Farias (PT-RJ)
• Jorge Viana (PT-AC)
• Marta Suplicy (PMDB-SP)
• LÍdice da Mata (PSB-BA)
Deputados
Entre os deputados federais que foram citados pelos delatores, estão:
• Marco Maia (PT-RS)
• Andres Sanchez (PT-SP)
• Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA)
• José Carlos Aleluia (DEM-BA)
• Paes Landim (PTB-PI)
Políticos sem foro
Há políticos e outras pessoas citadas na lista que não têm foro em tribunais superiores e, por isso, terão o caso analisado por outras instâncias da Justiça. Entre elas estão:
• Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), ex-ministro do governo Temer
• Sergio Cabral (PMDB-RJ), ex-governador do Rio de Janeiro, atualmente preso
• Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara, atualmente preso.
• Duarte Nogueira (PSDB-SP), prefeito de Ribeirão Preto
• Paulo Skaf (PMDB-SP), candidato derrotado a governador de São Paulo em 2014
• Edinho Silva (PT-SP), ex-tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, atual prefeito de Araraquara
• Anderson Dornelles, ex-assessor direto da ex-presidente Dilma Rousseff
Acusações

A estranha proibição da juiza que impede o governo esclarecer a reforma

 

A juíza Marciane Bonzanini da 1ª vara de Porto Alegre (deve ter ideologia esquerdopata) proibiu a divulgação de um vídeo criado pelo governo para explicar as mentiras que está sendo divulgadas contra a reforma da previdência. Nunca se viu isso na história do país. O motivo alegando que o vídeo não tem caráter educativo e apontou uso indevido de dinheiro público e desvio de finalidade.

É obrigação do governo esclarecer a pretendida reforma da previdência e isso e sim, educativo é essencial.

Se a juíza destacasse no vídeo alguma mentira, ela poderia alegar isso como motivo para suspender o vídeo. mas ela nada reclamou do conteúdo.

Lula e a Dlma durante mais de uma década, fizeram propagandas com mentiras escancaradas, propagandas enganosas, e nunca teve vídeos de propaganda proibidos com os mesmos motivos alegados

A Advocacia Geral da União recorreu da decisão. Esperamos que um juiz sensato, tome a decisão justa.

POR QUE A JUÍZA NÃO PROIBIU QUE OS SINDICATOS,CENTRAIS DE TRABALHADORES , E PARTIDOS DA OPOSIÇÃO,FAÇAM PROPAGANDAS USANDO O DINHEIRO DO TRABALHADOR OU DO FUNDO PARTIDÁRIO, COMBATENDO A REFORMA PREVIDENCIÁRIA, INCLUSIVE COM INFORMAÇÕES ESCANCARADAMENTE MENTIROSAS?

POR ISSO ACIMA ESCREVI, A JUIZA DEVE TER IDEOLOGIA ESQUERDOPATA.

A AGU RECORREU DA DECISÃO.

Entre outros argumentos, o texto diz que quando as peças da campanha citam que o rombo na Previdência foi de mais de R$ 85 bilhões, em 2015 e, em 2016, de mais de R$ 140 bilhões, deve-se dizer que estes dados são oficiais e públicos

A palhaçada do comício de Lula na justiça federal

LULA USOU DEPOIMENTO NA JUSTIÇA PARA FAZER COMÍCIO, DEBOCHOU E MENOSPREZOU DA INTELIGÊNCIA DOS BRASILEIROS. ISSO COM APOIO DO JUIZ QUE EM NENHUM MOMENTO REPREENDEU A PALHAÇADA.
Um meliante corrupto que tantos males causou ao país vai a uma audiência na justiça federal com se lá fosse seu palanque ou comício. Ele não respondeu muitas das perguntas feitas, fazendo autoelogios a sua história, defendendo seu partido criminoso, fazendo piadas e muita conversa fiada.
O juiz agiu como um imbecil ao permitir o circo. Poderia dizer a LULA. Se limite a responder as perguntas.
O depoimento foi usado por Lula para fazer deboches, piadas e propaganda política. Envergonhando a Justiça e tratando os brasileiros de bem como imbecis.
Com certeza, se Moro fosse o juiz da referida audiência, essa palhaçada não teria acontecido.

Temer enfrenta dia de duros ataques à reforma da Previdência

Protestos nas ruas, questionamentos da Justiça e do Ministério Público Federal, críticas de aliados políticos, aumento das dificuldades no Congresso: este foi o balanço do dia da discussão sobre a reforma da Previdência para o presidente Michel Temer (PMDB), que saiu em defesa da sua proposta, uma das prioridades do seu governo.

O dia começou tenso, com greves pontuais e manifestações contra a reforma ocorrendo em várias capitais e influenciando fortemente o cotidiano de algumas delas, como São Paulo, que ficou sem ônibus e metrô durante parte da manhã.

As manifestações, que tiveram como mote a reforma da Previdência, deu palanque a centrais sindicais, movimentos sociais e grupos e partidos de esquerda que fazem oposição ao governo. O protesto contra a reforma serviu de ponto de partida para gritos de “Fora Temer” e pedidos de novas eleições. O principal palanque acabou sendo em São Paulo, na Avenida Paulista, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou o peemedebista de golpista, disse que o golpe é contra as conquistas sociais e pediu povo na rua contra o governo que qualificou de ilegítimo. ( CONQUISTAS SOCIAIS? LULA QUEBROU O PAÍS COM O ROMBO NAS CONTAS E ALMOÇOS GRÁTIS. ELE COMANDOU DILMA.

Ainda de manhã, uma decisão da Justiça Federal de Porto Alegre mandou tirar do ar a campanha publicitária do governo para defender a reforma. A juíza Marciane Bonzanini, da 1ª Vara Federal de Porto Alegre, disse que a propaganda não tem caráter educativo e apontou uso indevido de dinheiro público e desvio de finalidade. ( INFORMAR A POPULAÇÃO SOBRE UM PROJETO DE INTERESSE DE TODOS NÃO POSSUI CARÁTER EDUCATIVO?) QUANTAS PROPAGANDAS OFICIAIS DO GOVERNO LULA E DILMA PREGAVAM MENTIRAS ESCANCARADAS E NENHUMA FOI PROIBIDA DE SEREM EXIBIDAS. O PRESIDENTE TEMER TEM A OBRIGAÇÃO DE EXPLICAR NA VISÃO DO GOVERNO, A REFORMA QUE PRETENDE IMPLANTAR. CLARO QUE ISSO TEM CARÁTER EDUCATIVO. ESCLARECER A POPULAÇÃO E DESMASCARAR AS MENTIRAS CONTRA A REFORMA

No início da tarde, em nota enviada ao Congresso Nacional e tornada pública pelo

Ministério Público Federal, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão apontou no projeto de reforma da Previdência o que considera uma série de violações constitucionais e alertou para o risco iminente de questionamentos judiciais às propostas defendidas por Temer.

No Congresso, a coisa não andou melhor. O PSB, que tem 35 deputados na Câmara e sete representantes no Senado e que integra a base de Temer, divulgou nota dizendo que não aceita a proposta da reforma do jeito que ela está, por “limitar severamente direitos sociais, que afetam de maneira irremediável a população mais vulnerável do país”.

Aliado do governo e líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros também alvejou a proposta. “Eu acho que o Brasil vive um momento dramático, que precisa de reformas, mas o governo precipitadamente já inviabilizou a reforma da Previdência”, disse. Segundo ele, o governo “criou muita dificuldade” para a tramitação do texto no Congresso e, se persistir, vai acabar inviabilizando outras reformas como a tributária e a trabalhista. “O que eu temo é que o governo continue equivocadamente encaminhando essas reformas.” (LULA E RENAN DEVERIAM ESTAR NA CADEIA. NÃO DEVERIAM OPINAR SOBRE OS DESTINOS DO PAÍS.)

Para conter os ânimos de Renan, que tem reforçado posicionamento contra a reforma, Temer marcou um jantar com peemedebistas na noite desta quinta-feira. Na semana passada, o líder do PMDB declarou que o governo deveria fazer uma reforma mais realista. “A reforma na época do presidente Fernando Henrique Cardoso foi a possível, a da Dilma foi a possível, a do Lula foi a possível, e nós temos que fazer a possível com o Michel Temer”, acrescentou. JUSTAMENTE POR FAZEREM UMA REFORMA “MEIA BOCA”, TODOS OS PRESIDENTES FAZEM “REFORMAS” PELA METADE E O PROBLEMA CONTINUA SE AGRAVANDO. COMO DISSE O MINISTRO DA FAZENDA HENRIQUE MEIRELHES: PARA FAZER UMA REFORMA “MEIA BOCA” É MELHOR NÃO FAZER.

Outro aliado do governo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), esticou a corda da tensão ao prorrogar o prazo para parlamentares apresentarem emendas à reforma. O prazo havia acabado na terça-feira, e a extensão foi uma forma de agradar ao PSB, que resiste a votar a proposta como está. Até terça-feira, o projeto de Temer já tinha 146 emendas.

Defesa

Em meio a tudo isso, Temer decidiu endurecer o discurso contra mudanças na proposta e fechar os espaços para negociar alterações que, em sua avaliação, desvirtuem o texto, apesar dos expressivos protestos desta quarta-feira contra as mudanças. “O governo não abriu negociação. A orientação é para afinar o discurso e o discurso é o do governo, de manter a proposta como está”, disse uma fonte do Palácio do Planalto, sob anonimato, à agência Reuters.

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, tem afirmado nos últimos encontros que é preciso que os governistas afinem o discurso e mostrem unidade no Congresso.  Presidente da comissão especial que analisa a reforma na Câmara, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) admitiu na terça-feira que não havia nenhuma orientação para negociar e que nenhuma das propostas recebidas até agora era factível.

O governo também admitiu que será preciso mudar a comunicação sobre a reforma e vai investir em um tom mais incisivo na defesa das mudanças, respondendo a uma cobrança da base aliada. Segundo a Reuters, a prioridade será esclarecer que a reforma preserva direitos e não atinge os mais pobres. Nos próximos dias devem circular peças na TV e nas redes sociais para tentar combater o discurso da oposição e de movimentos sociais de que a reforma retira direitos dos trabalhadores.

Incomodados em ter que defender um texto que é claramente impopular, parlamentares vêm cobrando do governo uma postura mais firme e uma melhora na comunicação. A avaliação é que o governo estaria perdendo a guerra para a esquerda e os parlamentares precisam de apoio para conseguir defender a reforma para suas bases.

Temer não comentou os protestos em nenhum dos dois eventos públicos que teve nesta quarta. Mas, ao lançar um programa do

Banco do Brasil para microempresários, afirmou que a sociedade “pouco a pouco” vai entendendo a necessidade de reformar a Previdência. “Nós apresentamos um caminho para salvar a Previdência do colapso, para salvar os benefícios dos aposentados de hoje e dos jovens que se aposentarão amanhã.  Quem tem direito adquirido, ainda que esteja no trabalho, não vai perder nada do que tem. Mas é prevenir o Brasil do futuro”, afirmou. (VEJA).

(Com Estadão Conteúdo, Agência Brasil e Reuters)

Temer diz que reforma é caminho para salvar Previdência do colapso

O presidente Michel Temer disse que a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo federal evitará que o Brasil siga o caminho de outros países que, por não se prevenirem dos gastos excessivos com as aposentadorias, tiveram de fazer cortes de grandes proporções, chegando inclusive a cortes de salários de pessoas na ativa e aposentados.

“Não queremos que o Brasil tenha de fazer o que fez Portugal, ou seja, cortar salário de pessoas na ativa e de aposentados, ao mesmo tempo em que elevava a idade mínima para 66 anos e eliminava o décimo terceiro salário. Não queremos chegar a esse ponto. Não podemos fazer uma coisa modestíssima agora para daqui a 4 ou 5 anos termos de fazer como Portugal, Espanha e Grécia, que tiveram de fazer um corte muito maior porque não preveniram o futuro”, disse.

Segundo o presidente, a proposta representa um “caminho para salvar a previdência do colapso e para salvar os benefícios dos aposentados de hoje e dos jovens que se aposentarão amanhã”.

“Nós demos rumo seguro às contas públicas com o teto de gastos, imunizando o Brasil do populismo fiscal”, acrescentou Temer durante cerimônia de lançamento do projeto Senhor Orientador, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília.

“Com toda franqueza tenho feito distinção entre medidas populistas e medidas populares. As populistas são feitas de uma maneira irresponsável. Têm efeito imediato, aparentemente cheia de aplausos, para logo depois se revelar um desastre absoluto. As populares não. Elas não têm o aplauso imediato mas têm o reconhecimento posterior”, afirmou.

 

Lewandowski autoriza abertura de inquérito contra Padilha

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu ao pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e autorizou nesta quarta-feira, 15, a abertura de inquérito para apurar se o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, cometeu crime ambiental.

O caso não tem relação com a Operação Lava Jato. Diz respeito à construção de um canal de drenagem no Balneário Dunas Altas, em Palmares do Sul, no Rio Grande do Sul. A obra foi executada em área de preservação permanente pela Girassol Reflorestamento e Imobiliária Ltda, empresa da qual Padilha seria sócio. ( Informações do Estadão)

MOODY’S ALTERA PERSPECTIVA DE NOTA DO BRASIL DE NEGATIVA PARA ESTÁVEL

A agência de classificação de risco Moody’s alterou nesta quarta-feira, 15, a perspectiva para a nota brasileira, de negativa para estável.

Segundo a agência, a economia brasileira dá sinais de melhora, com inflação em trajetória de queda e melhoria da perspectiva fiscal.

Mesmo assim, o País continua sem o chamado grau de investimento, uma espécie de selo de bom pagador.

Ao justificar a revisão positiva, a Moody’s disse que os riscos de piora refletidos na perspectiva negativa diminuíram nos últimos seis meses e que as condições econômicas do Brasil se estabilizaram.

“O surgimento no ano passado de um ambiente positivo para as reformas sinaliza a melhora do funcionamento das instituições que darão suporte à implementação da reforma fiscal e a aprovação da reforma da Previdência neste ano”, indica a agência em comunicado.

José Cruz/Agência Brasil.

Risco de paralisação no Congresso pode piorar a economia

Não se sabe se o presidente Temer está na lista dos investigados . Será necessário esperar  o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, levantar o sigilo dos documentos. Isso deve ocorrer em um prazo de dez dias.

O risco é de que o Congresso, com a cúpula igualmente alvejada, também não se ocupe mais de nenhuma pauta que não diga respeito à própria sobrevivência.

A Bolsa de Valores caiu e o dólar subiu. Com esse risco de paralisação dos trabalhos no congresso para a aprovação das reformas,  a economia do país que dava sinais de melhoras, poderá piorar, devido a reação do mercado.

Ministro da Fazenda diz que lista de Janot não vai paralisar as reformas

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a inclusão na lista de Janot de pedidos de inquéritos que inclui cinco ministros do atual governo e os presidentes da Câmara e do Senado, não deve atrapalhar o andamento de reformas. “Não temos visto sinal de interrupções do trabalho legislativo. Governo continua a operar normalmente “, afirmou, após participar de reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). “O importante é que o interesse do País não seja prejudicado, independentemente de avanço das investigações”. 

Questionado sobre a expectativa da votação da reforma da Previdência ele disse que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, prevê que a votação será em abril.

O ministério da Fazenda foi invadido por manifestantes, “existem avarias que terão que ser avaliadas’.  As manifestações fazem parte do processo democrático.

Aumento de Impostos:

De acordo com o ministro, no dia 22, juntamente com o relatório de receitas e despesas, também será anunciado se haverá ou não a necessidade de aumento de impostos.

“Vamos supor que a necessidade de contingenciamento fosse de R$ 10 bilhões. O anúncio será o contingenciamento de R$ 10 bilhões, mas, espera-se que esse corte possa ser menor devido a propostas de aumento de impostos. Até porque algumas propostas têm que ser discutidas com o Congresso”, explicou. O ministro acrescentou que o anúncio será feito “com transparência” e que incluirá também previsões de crescimento.

Sobre a repatriação de valores ele disse: “Há incerteza sobre o valor, não tem como saber quanto será declarado. Estamos trabalhando com algumas previsões que esperamos que sejam conservadoras”, completou.

A declaração foi dada na Escola de Administração Fazendária (Esaf), onde o ministro despachou pela manhã porque o Ministério da Fazenda está invadido por movimentos sociais que protestam contra a reforma da Previdência.

Meirelles disse, ainda, que não é possível fazer previsão sobre os recursos decorrentes do novo projeto de repatriação de valores aprovado ontem pelo Senado. O projeto segue para sanção do presidente Michel Temer.

O ministro da Fazenda disse, no entanto, que a previsão inicial é de que R$ 10 bilhões sejam distribuídos entre a União, estados e municípios. A estimativa preliminar é de que a União fique com R$ 7 bilhões.

O plenário do Senado  aprovou ontem (14/03) o  projeto de lei que reabre o prazo para a regularização de ativos não declarados enviados ao exterior, a chamada repatriação. O texto foi aprovado sem alterações em relação ao enviado pela Câmara dos Deputados e, com isso, a proibição de que parentes de políticos possam aderir ao programa fica mantida

Meirelhes  confirmou que a correção da tabela do Imposto de Renda é um dos itens que estão em discussão para fechar o relatório do dia 22.

Os principais nomes da lista de Janot

Começaram a vazar os nomes das principais figuras políticas  que estão  na lista de Janot. Sempre eles, nomes conhecidos que já estão em outras delações.

Ex- presidentes Lula e Dilma e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral). Dois ex-ministros da Fazenda da era PT, Antonio Palocci e Guido Mantega, também já investigados em outros casos, estão na lista.

Os  senadores Aécio Neves (MG), José Serra (SP) e Aloysio Nunes (SP).

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Eunício Oliveira (PMDB-CE), do Senado. Ambos já citados.

Em março de 2015, Janot pediu ao STF 27 inquéritos para investigar cerca de 50 políticos. Até agora, apenas 5 viraram réus.

Lava Jato completa três anos de investigações com 260 acusados criminalmente

Nesta sexta-feira (17), a maior operação de combate à corrupção e à lavagem de dinheiro do país completa três anos. Tudo começou com quatro investigações da Polícia Federal: Dolce Vita, Bidone, Casablanca e Lava Jato. As três primeiras são nomes de filmes clássicos, escolhidos de acordo com o perfil de cada doleiro investigado. A última fazia referência a uma  lavanderia e a um posto de combustíveis em Brasília, que eram usados pelas organizações criminosas. Desde então, já se foram 38 fases da Operação Lava Jato. Nesse período, os investigadores apuraram fatos relacionados a empreiteiras, doleiros, funcionários da Petrobras e políticos.

De acordo com dados do Ministério Público Federal no Paraná atualizados em fevereiro, foram 57 acusações criminais contra 260 pessoas, sendo que em 25 já houve sentença por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção, organização criminosa e tráfico transnacional de drogas. Até agora, a Lava Jato conseguiu recuperar R$ 10 bilhões aos cofres públicos, entre valores que já foram devolvidos ou estão em processo de recuperação.

Para o procurador da República Diogo Castor, que faz parte da força-tarefa, a operação começou a mudar a ideia de que crimes do colarinho branco ficam impunes. “A Lava Jato democratizou a Justiça Criminal, demonstrou como deve ser uma Justiça Criminal eficiente, uma coisa que o brasileiro não está acostumado. O povo está acostumado ao setor público ineficiente em todas as esferas, desde o Judiciário, Legislativo, Ministério Público. A Lava Jato é a única coisa que deu certo no sistema de Justiça Criminal no Brasil”, avalia.

 

 

Prisões em Curitiba 

Nesse período, importantes políticos e empresários foram condenados pelos crimes apurados na operação. No Complexo Médico Penal de Pinhais (CMP), na região metropolitana de Curitiba, estão presos nove réus da Lava Jato, entre eles o ex-ministro José Dirceu, o deputado cassado Eduardo Cunha, o ex-senador Gim Argello, o ex-diretor da área Internacional da Petrobras, Jorge Zelada, e o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

O diretor do Departamento Penitenciário do Paraná, Luiz Alberto Cartaxo, garante que não há nenhuma regalia para esses presos. Ele explica que o CMP foi criado como uma unidade de saúde para abrigar presos com problemas mentais, mas hoje reúne também servidores públicos e policiais condenados por diversos crimes, além dos internos da Lava Jato. O local abriga cerca de 670 presos que ficam em celas de 12 metros quadrados.

Cartaxo diz que há apenas algumas diferenças no CMP em relação às outras unidades prisionais. O uniforme, por exemplo, é formado por calça cinza e camiseta branca – nas outras unidades a roupa é alaranjada. No complexo, os internos têm acesso à água quente, mas as visitas íntimas são proibidas, já que se trata de uma unidade de saúde.

“A rotina deles é o seguinte: às 6h, alvorada e café-da-manhã. São dois pães, café com leite ou só café. Após isso, eles saem das celas, têm banho e banho de sol. Às 11h30 é o almoço, quando é servida uma alimentação composta por carboidrato e proteína, que varia entre 850 e 900 gramas, que envolve uma carne, arroz e feijão ou macarrão, verduras e legumes”, diz.

O diretor também diz que cada preso, inclusive os da Lava Jato, tem direito a uma sacola com peças íntimas e produtos de higiene pessoal. “Não há nenhuma diferenciação. Uma vez por semana, todos os presos do Sistema Penitenciário do Paraná podem receber uma sacola que envolve comidas não- perecíveis, produtos de higiene pessoal e algumas roupas íntimas, que o sistema não fornece. Mas é evidente que existe uma diferença entre a sacola do então preso, que já saiu da lá, Marcelo Odebrecht, para a sacola do ‘João Antônio das Neves’, que é um ladrão de varal”, compara.

Além do CMP, também há presos da Lava Jato na carceragem da Polícia Federal em Curitiba e até em outras cidades, como o Rio de Janeiro. Na carceragem estão, por exemplo, o empresário Marcelo Odebrecht, o ex-ministro Antônio Palocci, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro.

 

Perfil diferente

Alguns presos da Lava Jato estão remindo a pena por meio do trabalho ou da leitura. José Dirceu, por exemplo, trabalha na distribuição de livros. A cada três dias exercendo a função, reduz a sentença em um dia. Outros fazem a remissão a partir da leitura: a cada exemplar lido – que é escolhido pelo professor de acordo com o perfil do preso – o detento faz uma resenha e uma apresentação oral e, se aprovado, consegue diminuir a pena em quatro dias.

O juiz Eduardo Lino, da Vara de Execuções Penais do Paraná, explica que recebe com frequência atestados de trabalho ou leitura de presos da Lava Jato para reduzir a pena. E diz que o perfil dos detentos de crimes do colarinho branco destoa do restante da população carcerária.

“É uma coisa nova esse perfil de sentenciados. Geralmente o espectro econômico é muito ruim, são pessoas pobres. E agora tem essa situação nova com pessoas de melhor condição econômica, mas estão condenadas e têm que se submeter a penas privativas de liberdade. E estão encontrando uma forma de que isso possa ser feito sem riscos para ninguém. Que eles possam cumprir essa pena, com dignidade como todos devem e, passado esse período, ganharão a liberdade e que parem de praticar novas atividades criminosas de todo o tipo.” ( Agência Brasil)

Janot pede fim de sigilo das delações

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), que retire o sigilo de grande parte dos 950 depoimentos de colaboradores da Odebrecht, nos quais eles citam o envolvimento de dezenas de políticos, “considerando a necessidade de promover transparência e garantir o interesse público”, informou em nota a PGR.

Na tarde de hoje, Janot enviou ao STF 320 pedidos ligados à Operação Lava Jato, dos quais 83 são solicitações de autorização para a abertura de inquéritos contra políticos no exercício de seus cargos. Todos são suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras.

Outras 211 solicitações foram feitas para que inquéritos contra pessoas sem foro no STF sejam remetidos a instâncias inferiores. Foram feitos também sete pedidos de arquivamento das investigações contra suspeitos.

A lista oficial com os nomes dos alvos dos pedidos de inquérito só será conhecida a partir do momento em que Fachin conceder a retirada do segredo de Justiça, o que, segundo a área técnica da Corte, não vai ocorrer antes da próxima segunda-feira (20), diante do grande volume de material a ser processado. Não há prazo para que o relator da Lava Jato no STF analise os pedidos nem retire os sigilos.

Os pedidos são baseados nas delações premiadas de 77 funcionários e ex-executivos da empreiteira Odebrecht, que foram homologados – isto é, tornados juridicamente válidos – pela presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, em 30 de janeiro.

Os 950 depoimento somam, segundo a Procuradoria-Geral da República, 500 gigabytes de vídeos e não é possível estimar quanto isso equivale em horas, pois esse cálculo depende da resolução das filmagens. As oitivas foram realizadas em apenas uma semana por 114 procuradores da República, em 34 unidades do Ministério Público Federal nas cinco regiões do país.

Próximos passos

As 10 caixas enviadas pela PGR com os documentos chegaram ao STF às 17h desta terça-feira e foram encaminhadas a uma sala-cofre da Secretaria Judiciária, onde serão autuadas, processo que levará ao menos até a próxima sexta-feira (17) e pelo qual cada pedido de Janot receberá um número e passará a constar no sistema do tribunal.

O corpo técnico do STF também trabalha para concluir a transferência para Fachin dos processos que ainda restam em nome do falecido ministro Teori Zavascki, que era o relator anterior da Lava Jato, até morrer na queda de um avião em janeiro. Isso pode retardar ainda mais a divulgação dos nomes dos políticos alvo dos pedidos de inquérito.

Somente após esta etapa de autuação, os 320 pedidos de Janot começarão a ser analisados por Fachin, inclusive no que diz respeito à retirada dos sigilos.