Parecer de Cunha ao pedido de impeachment não será feito hoje (13/10)

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deve adiar a divulgação de seu parecer a respeito do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff apresentado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior. O parecer estava previsto para esta terça-feira.

O motivo do adiamento é a inclusão da pedaladas realizadas em 2015 que a oposição resolver incluir no pedido como um aditamento.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB)
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB)

A oposiçõ  preferíu esperar maiss algun dias para evitar  dar brecha a questionamentos do governo, já que o requerimento não apresenta de forma consistente as “pedaladas” praticadas em 2015, primeiro ano do segundo mandato de  Dilma.

Além de Maia, participaram da reunião o presidente do Solidariedade, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SP), e os líderes do DEM, Mendonça Filho (PE); do PPS, Rubens Bueno (PR); do PSB, Fernando Filho (PE); e da Minoria, Bruno Araújo (PSDB-PE). Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O  argumento de que o atraso nos repasses de dinheiro do Tesouro Nacional a bancos públicos ocorreu também em 2015 derruba a tese  de que não se poderia abrir processo com base em irregularidades cometidas no mandato anterior de Dilma.

Na última semana, Reale Júnior fez um aditamento apontando que o governo “pedalou” também neste ano.

A PERGUNTA É: SE O ADITAMENTO JÁ FOI FEITO, POR QUE O ADIAMENTO? SERÁ QUE CUNHA ESTÁ EVITANDO O IMPEACHMENT, ATENDENDO OS PEDIDOS DE LULA E DO MINITRO DA CASA CIVIL, JAQUES WAGNER, EM TROCA DE FICAR IMPUNE DE SUAS FALCATRUAS?

JORGE RORIZ.

Deixar uma resposta