Reinaldo Azevedo comenta sobre Janot e o Marcelo Miller

No programa “O é da Coisa” desta segunda-feira (07/08) o jornalista Reinaldo Azevedo comentou sobre o estranho caso do procurador Marcelo Miiler que era braço direito do procurador Janot, e participou como advogado das negociações da JBS, seis dias após sair da PGR.
A lei diz que ele só poderia atuar após três anos do afastamento da PGR.

Informa o Globo:
Apenas seis dias depois de ter sido exonerado do cargo de procurador do Ministério Público Federal, Marcello Miller participou de reunião na Procuradoria-Geral da República (PGR) como advogado do grupo J&F, controlador da JBS. Miller foi exonerado no dia 5 de abril deste ano e, no dia 11, já representava a empresa dos irmãos Joesley e Wesley Batista em reunião com seus antigos colegas de trabalho. A informação foi obtida pelo GLOBO por meio da Lei de Acesso à Informação.
Os registros de entrada da portaria do edifício-sede da PGR mostram que Miller esteve no local nos dias 11 e 18 de abril. Em resposta à reportagem, a PGR confirmou a presença e informou que ele representou o grupo controlador da JBS na ocasião. De acordo com a instituição, Miller participou de uma reunião com representantes do grupo de trabalho que atua na Lava-Jato e com a força-tarefa da Operação Greenfield da Procuradoria da República do Distrito Federal. Essa reunião ocorreu no dia seguinte ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin ter homologado um pré-acordo de delação dos executivos da JBS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *