Renúncia coletiva seria uma solução menos traumática para crise

O ministro do STF, Marco Aurélio Mello, defende um“renúncia coletiva” da presidente Dilma Rousseff, do seu vice Michel Temer e do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.
“Falo como cidadão e em uma perspectiva utópica, já que seria algo impensável para os atuais detentores dos poderes”, diz ele.
Para o ministro, “o mal maior, a crise econômica”, está sendo deixado em “segundo plano” por “interesses políticos”.

JORGE RORIZ

 

Deixar uma resposta