Rodrigo Constantino e Joice Hasselmann comentam sobre a saída deles da Veja

Joice Hasselmann postou a seguinte mensagem no perfil do seu Facebook:
“Olá pessoal! Hoje é dia de comunicado importante, de adeus e de anúncio de projeto novo. Vamos por partes. Já corre nas Redes Sociais que eu, Joice Hasselmann, já não estou mais em TVEJA, a TV do site de VEJA, que tenho orgulho de ter criado do zero. Como a internet é espaço livre e tem muita desinformação sobre o assunto, vamos aos fatos reais, em respeito a vocês, meus milhares de seguidores, guerreiros, que debatem comigo, diariamente, os problemas e soluções para nosso país.
Sim, não faço mais parte de VEJA. O ciclo se encerrou. É hora de projeto novo. Tenho muito carinho por TVEJA, a primeira TV com grande fixa na internet, que tive a honra de criar, de pensar, de batizar os programas, de desenvolver o slogan, de adaptar o estúdio, enfim, de carregar esse piano por muito tempo com um pequeno e competente time de colunistas, que rapidamente se engajaram no projeto. Não é segredo que até um passado recente eu fazia todos os programas de TVEJA, de seis a dez vídeos por dia, sozinha ou junto com um dos meus competentes parceiros de VEJA, que no início eram poucos. Entrevistei os maiores nomes da política do Brasil, debatemos nosso país, enfrentamos com o som da verdade e coragem as mazelas da corrupção e abrimos espaço para todas as vozes. Fizemos a maior cobertura eleitoral da história da internet. Uma deliciosa maratona. Lembro com carinho do dia da eleição em que fiquei 12 horas no ar ininterruptamente. Uau! Foi incrível! Um trabalho de tanta garra que mereceu a Carta ao Leitor de VEJA (a imagem que está acima), o mais nobre espaço da revista. Fomos “A Vitória de VEJA nas eleições”, um reconhecimento da revista pelo trabalho realizado.
Esse tempo de 1 ano e 3 meses foi momento único de interação e de criação de um novo veículo. Isso já está feito e é um legado que tenho orgulho de deixar. Mas essa missão eu já cumpri. Agora, no momento das maiores crises que o país enfrenta (ética, econômica e política) é preciso ir além. É preciso dar um passo maior. É preciso interagir mais com os milhares de seguidores que me acompanham, com meu público e tratar de novos temas, com mais profundidade e mantendo a espinha ereta e o coração tranquilo. A limitação de um espaço, agora reduzido, também limita o debate, a interação, o enfrentamento. E repito, é preciso ir além.
Continuo caminhando junto com o público de VEJA, mas caminhando em frente para ampliar o debate com a nação brasileira.
Quero agradecer de coração aos meus queridos parceiros @augustonunes @ricardosetti, @reinaldoazevedo, @villamarcoantonio, J.R Guzzo, Eurípedes Alcântara, que me contratou e confiou em mim para esse projeto, e as meninas mais talentosas que o site de VEJA já viu: Bruna Fasano, Virgínia Falanghe, Beatriz França e Isabella Infantine. As meninas da minha equipe.
Agradeço por esse tempo. Agradeço pela chance de ter feito algo novo. Agradeço aos colegas e até aos críticos.
Vamos em frente. A árvore que tem raízes verga, mas não quebra.
Um beijo grande e me aguardem!”

Deixar uma resposta