Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

STF decidiu que o Senado pode barrar o impeachment por maioria simples de votos

“É MUITO GRAVE! É DE UMA GRAVIDADE IMENSA! É UMA INTERFERÊNCIA DE UM PODER EM OUTRO PODER!” Dias Toffoli.

A Corte “exorbitou da sua competência constitucional e invadiu os poderes inerentes ao Legislativo”. Além disso, na opinião da advogada, ao dar pleno poder de decisão ao Senado, o STF desmereceu o regimento da Câmara.  “O Supremo várias vezes aplica seu próprio regimento. Por que o regimento da Câmara não?” ( Janaina)

 

Miguel Reale Júnior também criticou a decisão do STF. “Está sendo praticado um ativismo de altíssimo grau no STF. O Supremo não está contente em julgar e quer legislar”,”

“Vamos dar a cara à tapa. Estamos tomando uma decisão casuística. Assumamos então que estamos manipulando o processo. “Os 171 votos necessários para permitir que se escape de impeachment não são suficientes para governar. Estamos ladeira a abaixo, ontem fomos desclassificados mais uma vez, estamos sem governo, sem condições de governar, com um modelo de fisiologismo que nos enche de vergonha. Ninguém vai ser salvo de impeachment por liminar”.(Gilmar Mendes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.