STF nega suspeição de Janot com relação a Temer

Em julgamento que ocorre neste momento no STF do Agravo AS 89, os ministros decidiram que Janot não é suspeito como solicitou a defesa do presidente Temer.
Lewandoski chegou a dizer que a suspeição poderia ocorrer se comprovado a colaboração do procurador na delação, mas a suspeição com relação a isso aconteceu com o o auxiliar de Janot, ( Marcelo Miller).
Mas notícias recentes mostram que Janot sabia da interferência de Marcelo Miller……. A decisão foi por unanimidade.

No plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), o advogado do presidente Michel Temer, Antônio Cláudio Mariz, defendeu a suspeição do procurador-geral Rodrigo Janot na condução das investigações contra Temer afirmando que há “absolutamente ausência de imparcialidade no caso JBS”. Ele também afirmou que Temer “quer trabalhar, mas não consegue” devido às flechadas de Janot e pediu que “deixem-no (Temer) em paz”.

“Janot demonstrou absoluta ausência de imparcialidade no caso JBS. Agiu de forma absolutamente açodada e confessou a sua pressa”, afirmou Mariz.

O decano, Celso de Melo, disse que não cabe ao acusado provar sua inocência e sim ao MP provar a culpabilidade. A presunção de inocência é uma garantia. E disse também que denuncias (delações) ou abertura de inquérito, não significa que o acusado é culpado, antes do trânsito e julgado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *