Representante da FIFA admite que ocorreu erro na marcação do gol contra o Brasil

Em referência ao jogo, Brasil 01 Suíça 01

A avaliação é de Marco Van Basten, ex-jogador e hoje diretor técnico da Fifa:

“Tive várias discussões com pessoas dentro da Fifa sobre esse assunto nos últimos dias”, explicou. “Acho que precisamos aprender com esse caso”, defendeu. Segundo ele, os brasileiros agiram de forma correta ao se queixar em uma carta enviada para a Fifa.

Essa, porém, não é a percepção dos responsáveis pela tecnologia e nem pela arbitragem.

Para ele, isso não vai mudar o  resultado do jogo, mas pode ajudar a Fifa a avaliar seu próprio processo. “Não acho que o juiz deveria ter dado aquele gol”, defendeu. “Essa é minha opinião pessoal”, ponderou.

 

CBF enviou nesta segunda-feira, um dia após o empate, uma carta à Fifa na qual questiona os procedimentos que levaram a não utilização do Video Assistant Referee (VAR) na estreia da seleção brasileira da Copa do Mundo. De maneira enfática, o documento assinado pelo Chefe da Delegação, Rogério Caboclo, condena a arbitragem da partida por duas decisões (o lance do gol de empate suíço e em suposto pênalti não marcado em Gabriel Jesus na etapa final) e cobra da Fifa um posicionamento oficial, além do vídeo e do áudio utilizados pelo VAR.

– A CBF gostaria de dividir com a Fifa sua crença firme numa implementação apropriada e efetiva da tecnologia do VAR. Com isso em mente, a CBF respeitosamente pede que sejam fornecidos o vídeo e o áudio do VAR, de maneira a verificar o que realmente aconteceu – diz a CBF no documento.