Lula fugiu do depoimento porque não tem como explicar

O  Conselho Nacional do Ministério Público através de uma liminar,  suspendeu o depoimento que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua mulher Marisa Letícia dariam hoje (17) à Justiça em São Paulo.

Os dois seriam ouvidos sobre o apartamento triplex, no Condomínio Solaris, no Guarujá.  Existe a suspeita de que os referidos imóveis pertençam ao ex- presidente Lula e os proprietários legais sejam de laranjas.

representação do deputado Paulo Teixeira (PT-SP), fez uma representação  acusando  o promotor Cássio Cesarino de ter feito um prejulgamento de sua decisão ao dar entrevista a uma revista de circulação nacional antes mesmo de ouvir os depoimentos.

Segundo a representação, “o Reclamado ofereceu a primazia de suas conclusões antecipadas à revista Veja, veículo de imprensa notoriamente engajado na persecução pessoal e política do ex-presidente Lula e do Partido dos Trabalhadores”.

Paulo Teixeira, tambem argumentou que o promotor extrapolou as suas prerrogativas funcionais e que o caso não poderia ter sido distribuído à segunda Promotoria Criminal, da qual Cesarino faz parte, e sim à Primeira Promotoria Criminal. Para o deputado, a notificação para que os dois fossem ouvidos “poderia ocasionar consequências de difícil ou impossível reparação”.

Segundo o conselheiro responsável pela decisão, Valter Shuenquener de Araújo, os depoimentos estão suspensos até que o plenário do Conselho Nacional do Ministério Público delibere sobre o assunto. ( Agência Brasil)

Se o promotor é suspeito ou não, isso não impediria do ex-presidente Lula usar o depoimento para fazer sua defesa.

As ” consequências de difícil reparações” , ( caso ocorresse o depoimento) é em virtude do ex- presidente não possuir uma explicação para as diversas  contradições descobertas  em documentação, depoimentos e nas próprias notas divulgadas pelo Instituto Lula. Ele quer ganhar tempo para ter uma desculpa.  A  lamentável decisão do Conselho Nacional é uma interferência política na justiça. O que o procurador disse a revista Veja é  do conhecimento público  e não se caracteriza suspeição.

Se os depoentes não fossem Lula e a esposa, o depoimento ocorreria.

Jorge Roriz

 

“Os promotores de justiça condutores da presente investigação criminal levarão informações e documentos ao CNMP, a fim de obter urgente revisão e reversão da decisão proferida, para que possam cumprir o objetivo de apurar os graves fatos envolvendo pessoas que se consideram acima e à margem da lei”, leu Conserino.

O documento também ataca o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), aliado de Lula que entrou com a liminar para suspender o depoimento do ex-presidente. O texto diz que o parlamentar pediu providências “em nome alheio, e sem procuração para tanto”.

Leave a Reply