A absurda promessa de escolher um "terrivelmente evangélico"

A escolha do ministro do STF é feita pelo presidente mas precisa passar pela aprovação do Senado. O candidato precisa ter reputação ilibada e notável saber jurídico. É um cargo que mantém o indicado até a aposentadoria compulsória (idade de 75 anos). Não é vitalício como alguns afirmam (não passa de pai para filho e não dura até a morte mas é duradouro). o ministro vai interpretar a Constituição e decidir conforme seu entendimento obedecendo as leis, com decisões que afeta a todos os brasileiros.

NÃO PODE SER UMA ESCOLHA POR AMIZADE PESSOAL PARA ATENDER INTERESSES POLÍTICOS OU PESSOAIS DO PRESIDENTE QUE POSSUI MANDATO LIMITADO. “Vou escolher um ministro terrivelmente evangélico”. Essa frase de Bolsonaro é uma aberração jurídica de um presidente despreparado.
Bolsonaro é presidente de todos os brasileiros e não apenas do seu eleitorado evangélico. Nada contra aos evangélicos mas O país é laico e ser ou não evangélico não é critério para escolher ministros do STF.

” Ele está 100% sintonizado comigo”. O que significa isso?. Bolsonaro pensa que o escolhido será seu cachorrinho ou seu advogado para decidir conforme suas crenças pessoais.

Isso fere o decoro e a impessoalidade. O ministro para a ser suspeito para julgar tudo que interessa ao presidente. Bolsonaro é terrivelmente incompetente e despreparado. E suas decisões afetarão a vida dos brasileiros durante décadas