A cura da covid 19 está próxima

Uma equipe internacional liderada por Davide Corti, da Vir Biotechnology, e David Veesler, da Universidade de Washington (EUA), trabalha 24 horas por dia em uma abordagem complementar – a identificação de anticorpos neutralizantes que poderiam ser usados ​​como tratamento preventivo ou como terapia pós-exposição ao vírus.

Suas descobertas mais recentes, que incluem dados coletados no acelerador de partículas Advanced Light Source (ALS) do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, da Universidade da Califórnia, indicam que os anticorpos derivados de sobreviventes da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, na sigla em inglês) poderiam bloquear de maneira potente a entrada do SARS-CoV-2 e outros coronavírus intimamente relacionados nas células hospedeiras. Em um estudo publicado esta semana na revista “Nature”, os cientistas observaram que o anticorpo mais promissor já está em um caminho acelerado de desenvolvimento rumo a ensaios clínicos.

Estamos muito empolgados por ter encontrado este potente anticorpo neutralizante que esperamos que tenha participação no fim da pandemia de covid-19”, disse Veesler.

A equipe usou microscopia crioeletrônica e cristalografia de raios X respectivamente na Universidade de Washington no Berkeley Center for Structural Biology (BCSB) e esturam como o anticorpo atrapalha a proteína do covid 19

A equipe de biologia estrutural de Veesler é especializada no estudo do maquinário das proteínas que os patógenos usam para infectar hospedeiros. O trabalho é crucial para descobrir quais moléculas podem ser consideradas alvo para tratamentos e vacinas.