Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

A estranha pressa do governo em comprar a vacina mais cara e sem eficácia comprovada

Assessor de Pazuello procurou a CPI da Covid- 19,  pra dizer que era abordado diuturnamente 24 horas por dia para aprovar a Covaxin, vacina indiana, no Brasil. Segundo o servidor a ordem era “fazer a exceção da exceção para tirar entraves e que a vacina fosse liberada.

Enquanto o período entre a negociação e a assinatura do contrato para aquisição da Covaxin levou 97 dias, o processo para compra do imunizante da Pfizer demorou 330 dias

Caso envolve o tenente-coronel Alex Lial Marinho, homem de confiança do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello

A Vacina foi rejeitada pela ANVISA por não comprovar os requisitos mínimos para uma aprovação.

COVAXIN – É o imunizante mais caro adquirido pelo país, a R$ 80,70 por dose, quatro vezes o valor unitário da AstraZeneca.