A “Explicação” da prisão de Temer

José Augusto Vagos, procurador regional da República, diz neste momento que o pedido de prisão de Temer se embasa na garantia da ordem pública.

 

Ele informa que havia destruição de provas na Argeplan para impedir investigações. “São evidências muito fortes que geraram esses pedidos de prisões”. Ele citou ainda Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima e Rocha Loures como membros da organização criminosa que atua há 40 anos.

 

Para ele, não existia outra medida possível que não a prisão para debelar a organização criminosa.

 

Em viagem ao Chile, o presidente Jair Bolsonaroaproveitou para comentar a prisão de Michel Temer.

 

Ele disse que o que levou à prisão do ex-presidente foram os acordos políticos em nome da governabilidade. Bolsonaro afirmou também que a Justiça nasceu para todos e que cada um é responsável por seus atos.

 

 

Coronel Lima e Michel Temer atuam desde a década de 1980 juntos. Na mesma época, Lima passou a atuar na empresa Argeplan, empresa que vem atuando em diversos contratos públicos”. Ela explica que isso foi identificado em documentos apreendidos. “Coronel Lima, desde a década de 1980, já atuava por meio da Argeplan. É visível um crescimento exponencial nas contratações nos períodos em que Michel Temer ocupou cargos públicos”.

 

TEMER E MAIA JUNTOS

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, estavam juntos na residência oficial da Câmara no momento em que o ex-presidente Michel Temer, e o ex-ministro, Moreira Franco, foram presos. A informação foi divulgada pelo Estadão.

Segundo a publicação, o encontro não estava previsto na agenda de Maia e nem de Gilmar Mendes. O ministro da Suprema Corte deixou a residência às 10h40 da manhã.

Temer foi preso em São Paulo, na sua residência, quando deixava o local no início da manhã. Já Moreira Franco foi abordado por policiais federais no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.