Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

A perseguição do presidente e dos bolsonaristas à ANVISA

A chamada perseguição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi chamada de “vergonha nacional” pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro e seus seguidores atacam a agência pela aprovação da vacina da Pfizer contra a Covid-19 destinada a crianças entre 5 e 11 anos. O presidente pediu a divulgação dos nomes dos profissionais envolvidos na liberação do imunizante.

“Não há pressa em vacinar crianças contra Covid, diz Queiroga”

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta segunda-feira que a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra Covid-19 não é urgente e que a prioridade da pasta é aplicar a segunda dose e as doses de reforço.

Ele argumentou que o ministério não recebeu o inteiro teor da decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que na semana passada autorizou a aplicação da vacina da Pfizer contra Covid em crianças de 5 a 11 anos, e que não recebeu documento oficial de câmara técnica ligada à pasta se manifestando favoravelmente à vacinação de crianças. Disse que só após ter acesso a esses documentos, a pasta tomará uma decisão.

Diretores da Anvisa recebem novas ameaças após aval à vacinação infantil

“A perseguição aos técnicos da Anvisa é uma vergonha nacional. Mostra como o discurso do ódio chegou a níveis alarmantes no país. Aos servidores da agência, expresso minha solidariedade. Conclamo que as autoridades policiais investiguem e garantam a segurança das famílias”, postou Mendes em seu Twitter.

A Anvisa alega que funcionários têm sofrido ameaças e intimidações através de redes sociais e encaminhou ofícios ao Procurador Geral da República (PGR), Augusto Aras, Ministério da Justiça, Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e Polícia Federal.

“Nós queremos divulgar o nome dessas pessoas (responsáveis pela aprovação da vacina pediátrica)”, declarou Bolsonaro em uma live. A DIVULGAÇÃO DOS NOMES SERIA PARA QUE ELES FOSSEM EXPOSTOS E PERSEGUIDOS PELOS BOLSONARISTAS

A vacina pediátrica teve sua segurança e eficácia comprovadas tanto pela Pfizer, como pela Anvisa e até pela Food and Drug Administration, agência reguladora dos EUA.

Três dias após o presidente Jair Bolsonaro ter dito que divulgaria os nomes dos responsáveis pela aprovação da vacinação infantil contra a covid-19, diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apontam um aumento nas ameaças físicas contra os funcionários do órgão. Em nota emitida neste domingo, 19, eles pedem que a Procuradoria-Geral da República, a Polícia Federal e os Ministérios da Justiça e do Gabinete de Segurança Institucional apurem e responsabilizem “com urgência” os autores das intimidações, além de garantir proteção policial aos servidores e seus familiares.