Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

A reação contra as declarações de Bolsonaro

“Não tenho medo de eleições. Entrego a faixa a quem ganhar. No voto auditável. Nessa forma, corremos o risco de não termos eleição no ano que vem.” Bolsonaro.
Cabe ao Congresso votar e aprovar ou não as regras das eleições. Não depende da vontade de Bolsonaro. Com ou não voto impresso ou auditável, a eleição vai ocorrer.
BOLSONAO CONSEGUE TER O REPÚDIO ATÉ MESMO DE MUITOS DE SEUS ALIADOS. O BRASIL EXIGE A MANUTENÇÃO DA DEMOCRACIA E DO ESTADO DE DIREITO. SER CONTRA A ELEIÇÃO É CONFESSAR SER DITADOR. BOLSONARO ESTÁ NA LAMA DA CORRUPÇÃO E QUER DESVIAR O FOCO DA CPI
Ministros do STF e o presidente do Congresso, reagiram:
“Atuar contra a realização das eleições é crime de responsabilidade”, AFIRMA O MINISTRO DO STF, LUÍS ROBERTO BARROSO
“Os brasileiros podem confiar nas Instituições, na certeza de que, soberanamente, escolherão seus dirigentes nas eleições de 2022, com liberdade e sigilo do voto. Não serão admitidos atos contra a Democracia e o Estado de Direito, por configurar crimes comum e de responsabilidade.” Alexandre de Moraes
“Não podemos admitir qualquer tipo de fala, de ato, de menção que seja atentatória à democracia ou que estabeleça um retrocesso na democracia. Tudo quanto houver de especulações em relação a algum retrocesso á democracia, como a frustração das eleições próximas, é algo que o Congresso, além de não concordar, repudia veementemente. Nós não admitiremos nenhum retrocesso nesse sentido “— disse Rodrigo Pachaco, aliado de Bolsonaro, presidente do Senado e do Congresso.

“Tudo que houver de especulações, como a frustração das eleições próximas, é algo com o que o Congresso não concorda e repudia veementemente. Não admitiremos qualquer tipo de retrocesso nesse sentido”, disse.

“É preciso fazer a defesa da preservação absoluta de algo que é inegociável, a preservação do Estado Democrático de Direito. Algo que a geração antes da minha conquistou no Brasil e que a minha geração tem obrigação de manter. Não podemos admitir qualquer tipo de fala e de ato contrário à democracia”,