Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

A tragédia de Petropolis – RJ

O número de mortos em Petrópolis após a tempestade, chegou a 104 até as 23h30 desta quarta-feira (16) – ao menos 8 vítimas são crianças. Segundo a Secretaria Estadual de Defesa Civil, 24 pessoas foram resgatadas com vida. Nesta quinta- feira, até o momento (19h) são contabilizadas 117 mortes.

No começo da noite desta quinta- feira, (17/02) a cidade voltou a enfrentar fortes chuvas.

SITE CONFIÁVEL PARA AJUDAR: PARA QUEM AJUDAR

De acordo com dados obtidos com o Instituto Médico Legal (IML), a Defesa Civil da cidade de Petrópolis,  confirma 93 casos de vítimas fatais às 22h45 desta quarta-feira (16), com duas crianças, em decorrência das fortes chuvas no município. Até o momento foram registradas 359 ocorrências, dessas 293 são deslizamentos e outras 66 de desabamentos, quedas de muros e árvores.

A Defesa Civil emitiu na manhã desta quinta-feira (17), aviso de previsão de chuva forte, para os períodos da tarde e noite. A Prefeitura mantém orientação para que as pessoas, que não estão em área de risco, evitem sair de suas casas.

“Em caso de chuva forte, as pessoas que estiverem em área de risco, devem se deslocar para locais seguros, como os pontos de apoio. O município mantém 33 escolas abertas para o acolhimento da população.

Novos alertas podem ser emitidos a qualquer momento, a Defesa Civil orienta que a população fique atenta aos avisos e siga as orientações de segurança. Em caso de emergência, as pessoas devem ligar para o 193 (Corpo de Bombeiros) e 199 (Defesa Civil).”

O governador Cláudio Castro (PL) está na cidade da Região Serrana, onde concedeu uma coletiva ao lado do prefeito Rubens Bomtempo e do secretário de Estado de Defesa Civil, Leandro Monteiro

“Foi a pior chuva desde 1932. Realmente, foram 240 milímetros em coisa de duas horas. Foi uma chuva altamente extraordinária”, atualizou o governador.

NÚMEROS PARCIAIS DA TRAGÉDIA

54 casas foram destruídas pelas chuvas que atingiram a região e mais de 370 pessoas foram acolhidas em abrigos improvisados. 35 pessoas estão desaparecidos.

Cerca de 400 bombeiros trabalham nas buscas aos desaparecidos. A Polícia Civil do RJ também montou uma força-tarefa na cidade. São cerca de 200 policiais, peritos legistas e criminais, papiloscopistas, técnicos e auxiliares de necropsia, servidores de cartório e de diversas delegacias da Região Serrana.

 

Petrópolis está localizada ao norte do Rio de Janeiro. Delimitada pelo Parque Nacional da Serra dos Órgãos, com os seus picos arborizados e quedas de água, é conhecida como um retiro de montanha para os residentes do Rio. Possuui o Museu Imperial, que exibe mobiliário de época no antigo palácio do imperador do século XIX, Dom Pedro II.

Jorge Roriz

Foto: Agência Brasil