Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Acusado da Máfia da merenda escolar em SP teve processo arquivado

A Segunda Turma do Supremo Tribunal (STF) decidiu nesta terça-feira (26/06/2018) arquivar uma ação penal aberta neste ano no Tribunal de Justiça de São Paulo contra o deputado estadual Fernando Capez (PSDB-SP) por suposta participação na chamada “máfia da merenda”. Na prática, a decisão arquiva o processo e livra o tucano de condenação.—-

Capez foi acusado pelo Ministério Público de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, e de ter recebido propina de uma cooperativa fornecedora de suco de laranja para escolas estaduais de São Paulo  além de usar o dinheiro para as despesas de sua campanha à reeleição na Assembleia Legislativa em 2014.

Os ministros do STF  consideraram que não havia provas suficientes contra Capez e que a denúncia se baseou exclusivamente em depoimento de um delator que, segundo a defesa, teria sido coagido pela polícia.

Os ministros da Segunda Turma tomaram a decisão por 3 votos a 1. Votaram em favor do deputado os ministros Gilmar Mendes (relator), Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski.

“A flagrante ausência de lastro probatório alarmou alguns desembargadores. No caso em apreço assalta aos olhos que a prova é nenhuma, além de que o delator e testemunhas foram alvos de coação”, disse Gilmar Mendes no julgamento no STF.

Fonte: G1 – 26/06/2018

E NAS REDES SOCIAIS, ALCKMIN É ACUSADO DE “MERENDEIRO”, LADRÃO DE MERENDA. Técnica petista de repetir mentiras para se tornar uma verdade.

Além da investigação da polícia e do MP, foi instalada na Alesp a CPI da merenda.  A CPI foi encerrada em dezembro de 2016 sem punir ninguém.

O crime da merenda escolar não é uma farsa. Ele existiu em várias estados. Foi descoberto pela Polícia Civil do governo de São Paulo, mas NÃO EXISTE nenhuma acusação muito menos provas contra o ex- governador e candidato à presidência, Geraldo Alckmin.