Advogado de Lula diz que inelegibilidade foi suspensa pela ONU

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado na Lava Jato, encaminhou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na noite desta quinta-feira, 30 – prazo limite – a manifestação contra os pedidos para que a Corte Eleitoral barre a candidatura do petista.

Os advogados citam o comunicado do Comitê de Direitos Humanos da ONU, emitido no último dia 17, solicitando ao Brasil que Lula possa ser candidato para as eleições presidenciais, como antecipou o Estadão/Broadcast. O vice de Lula, Fernando Haddad, também assina a peça.

“A inelegibilidade do ex-presidente Lula foi suspensa pela decisão do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, como será demonstrado”, afirmam os advogados, chamando o comunicado de “decisão”, e argumentando que a inelegibilidade de Lula “sempre foi provisória”.

Como a nota da ONU foi posterior ao registro, a defesa pede que quem contestou a candidatura se manifeste sobre o parecer. ( Informações do Estadão)