Afrodescendentes de quilombos ‘não servem nem para procriar’, diz Bolsonaro no clube Hebraica do Rio

Em clube judaico na zona sul do Rio de Janeiro, deputado federal do PSC disse que reservas indígenas e quilombolas atrapalham a economia: ‘Onde tem uma terra indígena, tem uma riqueza embaixo dela. Temos que mudar isso daí’

Bolsonaro aproveitou o momento para desancar a ex-presidente Dilma Rousseff e comunidades tradicionais:

– Pode ter certeza que se eu chegar lá não vai ter dinheiro pra ONG. Se depender de mim, todo cidadão vai ter uma arma de fogo dentro de casa. Não vai ter um centímetro demarcado para reserva indígena ou para quilombola.

O deputado afirmou que as reservas indígenas e quilombolas atrapalham a economia: “Onde tem uma terra indígena, tem uma riqueza embaixo dela. Temos que mudar isso daí”. Ele disse que foi “a um quilombo”. De lá, voltou com a seguinte percepção: “O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles.”

Deixar uma resposta