Agente da PF acusa policiais de cárcere privado em AP de Collor

O diretor  da Polícia do Senado, Pedro Ricardo de Carvalho está sendo acusado pela agente da Polícia federal, Andrea Pinho de cárcere privado no apartamento do Senador Fernando Collor

“Fomos surpreendidos pela presença de sete policiais legislativos, que impediam a nossa saída. [O diretor da Polícia do Senado] esbravejava de forma bastante ríspida que a diligência estava eivada de nulidade (…) e determinou aos policiais que não deixassem ninguém sair. Entabulou-se, assim, um bate-boca. Foi então que eu informei que ele estaria praticando cárcere privado e se não permitisse a saída imediata da equipe ser-lhe-ia dada voz de prisão e ele seria encaminhado à sede da Polícia Federal”, diz trecho do relato.

Somente após essa declaração a saída  foi permitida.

O denunciante,  Geraldo César de Deus Oliveira, disse que  a ida dos policiais do Senado ao apartamento de Collor  foi um pedido de senador para fazer  varredura. ( ou seja, interceptação de uma ação policial autorizada)  depois do Senador saber que tinha sido alvo da Lava Jato.