Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Alexandre de Moraes libera do sigilo o inquérito dos atos antidemocráticos

Ministro Alexandre de Moraes levanta sigilo do inquérito dos atos antidemocráticos. Documentos revelam que a PF encontrou ligações dos grupos que atuam atacando instituições nas redes sociais com o presidente Jair Bolsonaro, o filho dele, Eduardo e outros parlamentares.

Na decisão em que determinou a operação contra aliados do governo do presidente Jair Bolsonaro, Alexandre, relator do inquérito no STF, afirmou que indícios confirmam a “real possibilidade de existência de uma associação criminosa” na mobilização dos protestos pelo fechamento do Congresso e do STF.

“Ressalte-se, também, que toda essa estrutura, aparentemente, estaria sendo financiada por empresários que, conforme os indícios apresentados atuariam de maneira velada fornecendo recursos — das mais variadas formas —, para os integrantes dessa organização”.

Ele também citou que a PGR indicou a estruturação da associação criminosa, que seria formada por quatro núcleos, intitulados “organizadores e movimentos”, “influenciadores digitais e hashtags”, “monetização” e “conexão com parlamentares”.