Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Alexandre de Moraes mandou examinar os celulares dos envolvidos de imediato

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), ordenou que equipamentos eletrônicos encontrados em poder de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro alvos de uma operação da Polícia Federal nesta sexta-feira (20) começassem a ser vasculhados no próprio local da ação.

Moraes atendeu a um pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) para que a análise de conteúdo eventualmente armazenado em dispositivos como celulares, tablets e computadores seja “célere e imediata”.

Moraes disse que a PGR demonstrou “fartamente” que os investigados “pretendem utilizar-se abusivamente dos direitos de reunião, greve e liberdade de expressão, para atentar contra a democracia, o Estado de Direito e suas instituições”.

A PGR afirmou que “o objetivo do levante seria forçar o governo e o Exército a ‘tomar uma posição’ em uma mobilização em Brasília em prol do voto impresso”, proposta que é uma das bandeiras de Bolsonaro e que foi derrotada na Câmara.

Os organizadores, prosseguiu a representação enviada a Moraes, buscam “a destituição dos ministros do Supremo”.

“Para tanto, pretendem dar um ‘ultimato’ no presidente do Senado Federal, invadir o prédio do Supremo Tribunal Federal, ‘quebrar tudo’ e retirar os magistrados dos respectivos cargos ‘na marra'”.