Alexandre de Moraes pode determinar medidas contra Bolsonaro em tres inquéritos

Bolsonao aparece diretamente como investigado em três das apurações que correm no Supremo Tribunal Federal: o da fake news, o da interferência no comando da Polícia Federal e o que trata do vazamento de apuração sigilosa sobre invasão hacker a sistemas eletrônicos da Justiça Eleitoral em 2018.

Todos esses inquéritos estão nas mãos do ministro Alexandre de Moraes. Moraes não fez nenhum acordo com Bolsonaro como prega alguns bolsonaristas e tudo será julgado de acordo com a Constituição e as leis.

Está prevista para este mês a retomada do julgamento sobre o formato do depoimento que Bolsonaro fará na apuração que visa esclarecer a suspeita de que tentou mudar a cúpula da PF para proteger parentes e aliados.

O inquérito foi instaurado após o pedido de demissão do ex-ministro da Justiça Sergio Moro. O ex-juiz da Lava Jato deixou o Executivo sob o argumento de que não teria aceitado a pressão do presidente para interferir na PF.

A PGR (Procuradoria-Geral da República) pediu a abertura de investigação sobre o caso e listou oito crimes que podem ter sido cometidos: falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, obstrução de Justiça, corrupção passiva privilegiada, prevaricação, denunciação caluniosa e crime contra a honra. Moro pode ser enquadrado nos três últimos e Bolsonaro, nos seis primeiros.

Informações do Estadão

Optimized with PageSpeed Ninja