Amazônia tem crescimento de 28% no número de queimadas em julho

Amazônia tem crescimento de 28% no número de queimadas em julho

, informa o Inpe

Em números totais, foram 6.803 focos de incêndio durante o mês, com o ápice nos últimos dois dias: foram 1.500 registrados em 30 e 31 de julho. A quantidade de incêndios é a maior registrada para o mês desde 2017 e, segundo informações da ONG Greenpeace, o acúmulo de focos nos dois dias – especialmente em 30 de julho, quando foram 1.007 – é o maior desde julho de 2005.

O alerta do Inpe é que a quantidade de queimadas deverá continuar muito alta nos próximos meses porque 45% da área desmatada registrada neste ano ainda deve passar por esse processo.

O avanço ocorre em meio às promessas do governo de Jair Bolsonaro de combater os focos e desmonta a versão de que eles são causados por “indígenas e pequenos ribeirinhos”, já que as áreas queimadas ficam no meio da floresta.