Anvisa desmoraliza Pazuello, Bolsonaro e o Kit Covid (cloroquina/ vermífugo)

Anvisa desmoraliza Pazuello, Bolsonaro e o Kit Covid (cloroquina/ vermífugo)

Nos pareceres e votos que embasaram a aprovação do uso emergencial das vacinas Coronavac e de Oxford neste domingo, 17, servidores e diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), defenderam a ciência e a segurança das vacinas Destacaram que não existe remédios para prevenção ou tratamento de Covid 19.
Isso vai de encontro ao ministro da Saúde e ao presidente Bolsonaro que receitam cloroquina e remédio de verme.

A diretora relatora dos processos que pediam a aprovação das vacinas, Merluze Freitas, também ressaltou esse ponto em seu voto. “Até o momento, não contamos com alternativa terapêutica aprovada e disponível para prevenir ou tratar a doença causada pelo novo coronavírus. Assim, compete a cada um de nós, instituições públicas e privadas, sociedade civil e organizada, cidadãos, cada um na sua esfera de atuação, tomarmos todas as medidas ao nosso alcance para, no menor tempo possível, diminuir os impactos da covid-19 no nosso País”,

(Considerando) Que as vacinas são a forma mais eficaz de prevenir doenças infecciosas, salvando milhões de vidas em todo o mundo; o grave cenário de pandemia que vivemos, com o crescente número de infectados e óbitos, e o indicativo de colapso do sistema de saúde tanto público privado, acompanho a relatora e voto por autorizar o uso emergencial em caráter experimental das vacinas de covid-19″, disse, em seu voto, o diretor Romison Rodrigues Mota.

Até o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, aliado de Bolsonaro e que criou polêmica em março de 2020 ao participar de atos sem máscara com o presidente, defendeu as medidas de proteção individual e recomendou que a população se vacine.

“A imunidade com a vacinação leva um tempo para se estabelecer. Mesmo vacinado, use máscara, mantenha o distanciamento social e higienize suas mãos. Essas vacinas estão certificadas pela nossa Anvisa. Foram analisadas por nós, brasileiros, no menor e melhor tempo, estabelecido por nossos especialistas. Confie na Anvisa, confie nas vacinas que a Anvisa certifica e, quando elas estiverem ao seu alcance, vá e se vacine”, declarou.