Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Argentinos foram avisados com antecedência . Descumpriram a legislação e mentiram

“Chegamos nesse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou, desde o primeiro momento, não foi cumprido. Eles tiveram orientação para permanecer isolados para aguardar a deportação. Mas não foi cumprido. Eles se deslocam até o estádio, entraram em campo, há uma sequência de descumprimentos “— disse o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, em entrevista à TV Globo, lembrando que, antes, eles haviam prestado informação falsa no aeroporto.

O presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres afirmou que os quatro jogadores mentiram no relatório do viajante, exigido pela autoridade sanitária para a entrada no país durante a pandemia. De acordo com as regras vigentes, pessoas que passaram pelo Reino Unido, África do Sul e Índia devem cumprir quarentena de 14 dias.

“Os quatro jogadores disseram não ter passado por Reino Unido, África do Sul e Índia, mas no passaporte ficou comprovado que passaram no Reino Unido. Só constataram entre ontem à noite e hoje. Chegamos a esse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou não foi cumprido. Os jogadores tinham que ser isolados para serem deportados , entretanto não foi cumprido. Se deslocaram até o estádio e entraram em campo”, afirmou Barras Torres.

Claudio Tapia, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA) disse que os atletas respeitaram um acordo com a Conmebol que permitiu que os atletas atuassem. “O que aconteceu hoje é lamentável para o futebol, passa uma imagem muito ruim”, disse, em nota da AFA. “Não se pode falar em mentira porque há uma legislação sanitária sob a qual se jogam todos os torneios sul-americanos. As autoridades de cada país aprovaram um protocolo que temos cumprido ao máximo.

A LEGISLAÇÃO DO BRASIL  É SUPERIOR AO “ACORDO” DA CONMEBOL. NA LEGISLAÇÃO DIZ QUE ELES  TENDO PASSADO PELO REINO UNIDO, ÁFRICA DO SUL E ÍNDIA, TERIAM QUE CUMPRIR QUARENTENA

ELES PREENCHERAM UM FORMULÁRIO NA CHEGADA DO AEROPORTO E  MENTIRAM.