As falcatruas de Dilma na Campanha estão sendo descobertas pelo TSE

colagem-300x300

Na semana em que sua defesa apresenta as alegações finais em relação ao processo de impeachment em curso no Senado, a presidente afastada Dilma Rousseff pena para buscar argumentos consistentes em relação a graves denúncias. Além das fortes suspeitas em relação ao uso de dinheiro de propina para pagar o marqueteiro da campanha de 2010, na quarta-feira o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviou para o Supremo Tribunal Federal (STF) informações sobre indícios de irregularidades nas contas de uma empresa contratada pela campanha de 2014.

TUDO PELO PODER

Na avaliação de parlamentares do PSDB, esses fatos desnudam ainda mais o Partido dos Trabalhadores, que prometia esperança aos eleitores e agora comprova ser capaz de qualquer coisa para se manter no poder. Nos últimos anos, três tesoureiros da legenda pararam atrás das grades. Segundo o deputado Betinho Gomes (PE), o PT perdeu o senso de limite. “Se locupletou da máquina pública, usou a estrutura do Estado para poder se perpetuar e não teve limite. Agora está sendo desnudado de fato o que representa o Partido dos Trabalhadores na política nacional”, afirmou nesta quinta-feira (28).

Para o vice-presidente jurídico do partido, deputado Carlos Sampaio (SP), a decisão do presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, é um claro sintoma de que ele viu elementos mais do que razoáveis apresentados pelo PSDB.  A denúncia envolve a empresa DCO Informática, com sede em Uberlândia, que tem apenas um servidor, um notebook e três funcionários que trabalham sem carteira assinada.

Em entrevista à Rádio CBN, Sampaio explica a incoerência entre a qualidade do trabalho exigido e a capacidade da empresa. “Para você ter uma ideia, o valor que foi recebido por essa empresa, a DCO, foi de aproximadamente R$ 5 milhões, e ela tem o capital social declarado junto à Receita Federal de R$ 50 mil. Ou seja, ficou mais do que provado que a campanha de Dilma usou em 2014 recursos para pagar empresas que não tinham condições de prestar serviços a terceiros”. Pelo Twitter, o tucano afirmou que a cada dia fica mais demonstrado que Dilma e os petistas estavam dispostos a qualquer coisa para garantir o poder.

Segundo a denúncia encaminhada pelo TSE, a DCO Informática recebeu R$ 4,8 milhões para disparar mensagens para celulares, via aplicativo WhatsApp, durante a campanha. De acordo com reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo”, a empresa não tem sede comercial e aparentemente funciona em uma casa num bairro residencial. Ainda de acordo com a matéria, um dos funcionários da DCO relatou que o contrato com a campanha de Dilma previa pagamento de R$ 0,06 a R$ 0,16 para cada disparo, e que o preço variava de acordo com o porte e solicitação. Ele também disse que foi desenvolvido um programa para fazer os disparos de mensagens.

Em fevereiro, Gilmar Mendes já havia pedido que órgãos de controle fiscalizassem a DCO e outras seis empresas por suspeitas de irregularidades, atendendo representação feita pelo PSDB. Segundo Betinho Gomes, essa investigação é oportuna e mostrará para a sociedade que o Brasil está mudando.

Diante da negativa de Dilma de que não pagou US$ 4,5 milhões para a empresa do casal  Santana da campanha de 2010, o parlamentar tucano lamenta a fragilidade com que ela se conduz – durante a campanha e no exercício da Presidência. “Ela muda de opinião de acordo com a conveniência. Nesse caso, ela já mudou várias vezes de opinião e, na verdade, não assume a responsabilidade”. Primeiro Dilma negava com veemência a existência de caixa 2. Depois, disse que se existiu, foi sem o conhecimento dela. E agora, joga a culpa toda no PT.

Fonte PSDB. Reportagem: Ana Maria Mejia/fotos: Alexssandro Loyola)

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial