Assessor de Bolsonaro convidado por Guedes quer reduzir BPC dos velhinhos

Coluna Painel, da jornalista Daniela Lima, na edição deste domingo (18), informa que o professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Arthur Bragança de Vasconcelos Weintraub, que foi convidado por Paulo Guedes para assessorar o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) sugeriu no ano passado restringir o acesso ao benefício assistencial pago pelo governo a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda.

Conhecido como BPC (Benefício de Prestação Continuada) e igual a um salário mínimo, ele hoje é garantido a partir dos 65 anos. Weintraub sugeriu elevar a idade mínima para 85 anos, reduzindo o valor do benefício a frações para os mais novos.
A escolha de Guedes indicando o referido assessor não foi casual. Em uma entrevista ao Globo News, Paulo Guedes sugeriu a restrição do pagamento da Benefício da Prestação Continuada ( BPC) que é pago a idosos que não possuem renda familiar e não contribuíram para a Previdência Social. ” Sò deve receber quem contribuiu” disse Guedes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.