Aumenta consumo de antidepressivos no Brasil

Aumenta consumo de antidepressivos no Brasil

Dados da Funcional Health Tech apontam que entre 2014 e 2018 o consumo de medicamentos antidepressivos aumentou 23% no País

Um estudo da empresa de inteligência de dados e serviços de gestão no setor de saúde, Funcional Health Tech, feito com base em 327 mil clientes da companhia, localizados em todo o País, demonstra que de 2014 a 2018 o consumo de antidepressivos cresceu 23%.

De acordo com o estudo, mulheres na faixa de 40 anos são as que mais utilizam antidepressivos. Ainda com base nos dados da Funcional Health Tech, foi criado um ranking de vendas de medicamentos, dividido por classes terapêuticas, que demonstra que a psiquiatria é a 10ª classe mais consumida no País. Dentro dessa classe, os medicamentos mais vendidos são antidepressivos e analépticos (drogas estimulantes do sistema nervoso central), depois sedativos e ansiolíticos (medicamentos usados no controle da ansiedade).

“A saúde mental e a saúde física são duas vertentes fundamentais para o bom funcionamento do corpo humano”. Assim, diz o médico e vice-presidente da Funcional Health Tech, Ricardo Ramos. “Ansiedade e depressão têm afetado a população do mundo todo. Por isso, o cuidado especial com a ajuda de um médico especialista em saúde mental é muito importante”, ressalta.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em escala global, o número de pessoas com depressão aumentou 18,4% nos últimos dez anos. São 322 milhões de indivíduos, ou 4,4% da população da Terra. Na América Latina, o Brasil é o País mais ansioso e estressado. Isso porque cerca de 5,8% dos brasileiros sofrem de depressão e 9,3% de ansiedade.

 

Foto: Shutterstock
Fonte: Saúde Business