Auxílio reclusão e as mentiras de Bolsonaro

Bolsonaro Pinóquio

O valor do auxílio-reclusão é de um salário mínimo, que é pago à FAMÍLIA de presos que contribuíram com o INSS e não ao próprio preso. Dos 37 milhões de benefícios pagos pelo INSS, só 30 mil – 0,08% – são auxílio-reclusão. E alcança só 3% dos presos do Brasil.

Quando Bolsonaro assumiu a Presidência, o auxílio reclusão era de R$ 954,00, mas ele concedeu QUATRO aumentos e, quando deixou a presidência, já estava em R$ 1.302,00.

ALÉM DISSO O BENEFÍCIO SÓ É PAGO A FAMÍLIA DO PRESO QUE CONTRIBUIU NO MÍNIMO 24 MESES PARA O INSS E NÃO SE APLICA A PRESOS POR CRIMES VIOLENTOS, ESTUPRO, ASSASSINATO, ENTRE OUTROS

É falso uma informação que circula nas redes sociais de que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aumentou o valor do Auxílio-Reclusão, benefício pago a familiares de presos em regime fechado ou semiaberto e que tenham contribuído com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os textos
apontam que o benefício aumentou de R$1.212 (valor do salário-mínimo) para R$ 1.754,18. É dito, ainda, que o salário mínimo está sofrendo um ajuste muito menor.

As mentiras que circulam na rede sobre o salário reclusão são dissiminadas por grupos bolsonaristas