Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Bahia- Bolsonaro chama jornalista de idiota

Na manhã desta segunda-feira (26), a jornalista Driele Veiga, que foi xingada  pelo presidente Jair Bolsonaro. O fato ocorreu durante evento de entrega de 22 quilômetros da duplicação da BR-101, entre Feira de Santana (BA) e Divisa (SE).

“O senhor foi criticado, presidente, sobre uma foto postada dizendo CPF cancelado em um momento de tantas pessoas morrendo”, perguntou a repórter. “Você não tem o que perguntar não? Deixa de ser idiota”, respondeu Bolanaro.

Driele foi chamada de “idiota” ao questionar o presidente sobre a foto na qual ele aparece ao lado de um cartaz escrito “CPF Cancelado”, termo utilizado por criminosos e milícias armadas. “Você não tem o que perguntar não? Deixa de ser idiota”, disse o Bolsonaro, durante coletiva no interior da Bahia. “Um xingamento do presidente para mim é um elogio”, afirmou.

. “Já imaginava que ele teria essa atitude. Não me surpreendeu”, afirmou ao lembrar dos ataques do presidente à jornalista Patrícia Campos Mello.

“Só para lembrar que essa não é a primeira vez que o presidente faz isso com a imprensa. A jornalista Patrícia Campos Mello foi ameaçada de morte e teve a família perseguida. Escreveu o livro “A Máquina do Ódio” onde relata sobre os ataques dele aos jornalistas”, escreveu em publicação no Instagram.

O ex-prefeito ACM Neto, atual presidente nacional do partido Democratas, prestou solidariedade à jornalista. “Sei da sua seriedade, competência e educação. É fundamental que, em uma democracia, o presidente da República compreenda e respeite o papel da imprensa”, comentou Neto na publicação em que Driele se posicionou sobre o ocorrido.

O Sindicato dos Jornalista da Bahia (Sinjorba), em nota, se solidarizou com a jornalista Driele Veiga. “Mais do que nunca precisamos defender a democracia brasileira, ameaçada por títeres e viúvas da ditadura militar, que usam leis anacrônicas e os cargos que ocupam para intimidar o exercício da liberdade de imprensa e o ofício de seus trabalhadores”, disse Moacy Neves, presidente do órgão.

Bolsonaro participou da entrega da duplicação da BR-101, entre Feira de Santana  e a divisa com Sergipe. As obras foram iniciadas em 2014, ainda no primeiro mandato da ex-presidente Dilma Rousseff (PT)

o presidente enalteceu a aglomeração dos seus admiradores.  “Evento como esse sem povo, não existe. Ali tem uma placa que diz que o povo tá com Bolsonaro. Mas eu é que tô com o povo. Faremos sempre o que o povo quiser”, afirmou.

o presidente Jair Bolsonaro realizou  175 registros de ataques s contra jornalistas. 145 ataques genéricos e generalizados a veículos de comunicação e a jornalistas, 26 casos de agressões verbais, um de ameaça direta a jornalistas, uma ameaça à Globo e dois ataques à FENAJ.