Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Bolsonaro ameaça o judiciário

A nove dias do primeiro turno, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a fazer ameaças veladas ao Supremo Tribunal Federal (STF). Em comício na cidade de Divinópolis (MG), o candidato à reeleição subiu o tom de suas críticas ao Judiciário e, numa espécie de ultimato nesta reta final de campanha, disse que “ninguém manda” na República, a não ser o povo. “E a vontade desse povo se fará presente após as eleições em toda a sua plenitude”, declarou.

E SE A VONTADE DA MAIORIA DO POVO FOR, A SAÍDA DE BOLSONARO DA PRESIDÊNCIA ?

 

No discurso a apoiadores, Bolsonaro também voltou afirmar que “todos jogarão dentro das quatro linhas da Constituição” se ele for reeleito. O presidente costuma usar essa expressão para se referir a ministros do Supremo.

“O meu governo sempre jogou dentro das quatro linhas da Constituição. Em havendo a reeleição, todos, sem exceção, jogarão dentro das quatro linhas da Constituição. Ninguém é dono de nada aqui, eu não mando na Presidência da República, tenho limites”, disse o candidato. “O prefeito aqui não manda na cidade, tem limites. Assim é dentro de cada Poder. Ninguém manda na República, a não ser o nosso povo. E a vontade desse povo se fará presente após as eleições em toda a sua plenitude”, emendou Bolsonaro.

Estadão