Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Bolsonaro avança no controle do judiciario para implantar sua ditadura

É preciso conter o bolsonarismo. Ele avança contra as instituições. Após colocar seu ministro do STF, TERRRIVELMENTE EVANGÉLICO, Bolsonaro quer ter o controle dos Tribunais de Justiça, colocando juizes simpáticos a sua ideologia fascista. Além disso, esse controle é para deixar ele e seus parentes e aliados, blindados perante a justiça.

Ele também já colocou no STF, o ministro Kassio Nunes, que na grande parte de seus julgamemtos toma decisões aprovadas por Bolsonaro. Um de seus aliados até propos aumentar o número de ministros do STF, para ele poder indicar mais aliados.

Segundo o ESTADÃO.” Sua intenção é ocupar nichos de poder com nomes simpáticos a suas bandeiras políticas.”

A Corte tem duas vagas abertas, que serão preenchidas por desembargadores oriundos dos cinco tribunais regionais federais.

O STJ julga casos criminais de autoridades com foro privilegiado, como governadores. Sendo seus aliado, o governador deve ser absolvido, se for seu adversário, será condenado………Esse é o objetivo dele.

Ao participar de evento com empresários da Fiesp na quarta-feira, Bolsonaro destacou que quem se eleger presidente, no ano que vem, terá direito a indicar dois nomes para o Supremo, em 2023. “Vamos supor que eu seja candidato. Eu vou ter 40% a meu favor dentro do Supremo. A favor de mim ou de minhas ideias, que vocês já conhecem quais são”, disse

No próximo ano, ele nomeará 75 desembargadores nos seis tribunais regionais federais do país. A avalanche bolsonarista nas cortes será possível graças ao aumento de quase 50% das vagas em cinco tribunais aprovado pela Câmara no dia 8 de novembro (serão 57 novos cargos). E também à criação de uma nova corte, o Tribunal Regional Federal da 6ª Região, em Minas Gerais, aprovada anteriormente, em outubro. O TRF-6 terá 18 novos juízes.