Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Bolsonaro coloca em dúvida o resultado das eleições e Lula quer regular a imprensa

O então presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Edson Fachin, alertou EM 01/04 que “a democracia está ameaçada”, “a Justiça eleitoral está sob ataque” e que é preciso defendê-las. Fachin disse ainda que existe um “circo de narrativas conspiratórias” nas redes sociais e que o objetivo do TSE, neste ano, é garantir o resultado das eleições de outubro corresponda “à vontade legítima dos eleitores.”
Embora não tenha citado Bolsonaro, quem coloca em dúvida as urnas eletrônicas é o presidente Bolsonaro

Hoje, o atual presidente do TSE,Luiz Fux, defendeu a liberdade de imprensa, que Lula anuncia regular.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, destacou a importância de uma imprensa livre em discurso nesta quinta-feira (5). “Um país onde a imprensa não é livre, onde a imprensa é intimidada, amordaçada, num país onde a imprensa é regulada, sendo a imprensa um dos pilares da democracia, nesse país com tantas restrições à liberdade de imprensa a democracia é uma mentira, e a constituição federal é uma mera folha de papel”, disse Fux.

Esta foi a primeira crítica pública de um ministro do STF à proposta de regulação da mídia que vem sendo defendida pelo por Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT à Presidência. Fux não citou Lula.

Em nota, a assessoria de Lula afirma que “ele defende uma discussão no Congresso sobre a atualização da lei de regulação dos meios eletrônicos de comunicação, cuja legislação no país data da década de 1960. Nos moldes da regulação inglesa, alemã ou americana.”