Bolsonaro diz que não é justo punir quem pede AI 5

Mais uma vez o presidente da República atenta contra o Estado de Direito.  Não ele quem diz o que é ou não justo e sim A LEI.

REQUERER FECHAMENTO DO STF, DO CONGRESSO, CENSURA Á IMPRENSA, SUSPENDER DIREITOS INDIVIDUAIS, É UMA AÇÃO DITATORIAL.

O AI 5 É UM INSTRUMENTO DA DITATURA, SOMENTE USADO EM CASOS EXTREMOS QUE NÃO SE ENQUADRA NA SITUAÇÃO DO BRASIL

Bolsonaro diz que “não é justo” punir quem pede volta do AI-5
“Você quer levantar um cartaz na rua pedindo pena de morte, faça o que você bem entender, isso é liberdade de expressão. Está na Constituição, eu respeito isso, outros não respeitam. Não é justo punir, abrir inquérito contra as pessoas”, afirmou o presidente

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (26/7) que “não é justo” punir quem pede a volta do Ato Institucional Nº 05 (AI-5), promulgado durante o regime militar (1964-1985). Declaração do mandatário foi feita a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada ao comentar sobre manifestações. Ele alegou tratar-se de liberdade de expressão.

 

“Se alguém comete um ato antidemocrático, é contra o governo federal, não é contra um do Supremo (Tribunal Federal). Eu não estou reclamando, entendo como liberdade de opinião. Você quer levantar um cartaz na rua pedindo pena de morte, faça o que você bem entender, isso é liberdade de expressão. Está na Constituição, eu respeito isso, outros não respeitam. Não é justo punir, abrir inquérito contra as pessoas”, alegou.

“Pessoal, eu jurei cumprir a Constituição por dever de ofício, assim como deputados, senadores. Juramos respeitar a Constituição. Então, tenho que respeitar o art. 1º, 2º, o 9º, o art. 20º, o art. 100. Tem ou não tem? E tem que respeitar também o 142º. O cara levanta uma placa ‘Artigo 142’, ele é processado por causa disso? Então vamos retirar o art. 142 da Constituição”, acrescentou, citando artigo que trata sobre as Forças Armadas.

“As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”, diz a Constituição.

No começo de julho, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu determinar a abertura de uma investigação para apurar acusações envolvendo o suposto cometimento do crime de organização criminosa por meio da internet.

 

Fonte: Correio Brasiliense

Optimized with PageSpeed Ninja