Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Bolsonaro diz que não perdoa agressor e quer que ele “mofe na cadeia”

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, disse que não perdoa Adélio Bispo de Oliveira que o atacou com uma faca no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora, em Minas Gerais. “Eu não perdoo ele (sic) não. Se depender de mim, ele mofa na cadeia”, afirmou. “Bandido tem que apodrecer na cadeia. Se cadeia é lugar ruim, é só não fazer a besteira que não vai para lá. Vamos acabar com essa história de ficar com pena de encarcerado. Quem está lá fez por merecer”, acrescentou ao conceder entrevista ao site UOL, à rádio Jovem Pan e ao programa Pânico.

Bolsonaro afirmou que está “vivo por milagre” e defendeu que a pena de Adélio seja ampliada. “Como não podemos condenar ninguém por prisão perpétua, que, pelo menos, se cumpra 30 anos de cadeia. Vamos acabar com progressão de pena”, indicou. Para ele, o agressor sabia o que estava fazendo e se planejou para atacá-lo.

O candidato do PSL falou como se sente ao recuperar-se do ferimento, que provocou hemorragia no abdômen, além de atingir seu intestino. “Tô com mais vontade ainda, pode ter certeza. Essa facada aí me deu uma energia muito forte”, completou.

A progressão da pena não pode ser alterada por Bolsonaro. Isso depende do Congresso.

O que Bolsonaro está fazendo é usar o fato politicamente. Já que após ele sair do hospital o assunto ficou esquecido.

Bandido tem que cumprir a pena de acordo com a lei. Mas se ficar provado que Adélio é louco a pena será amenizada.

Esquece o deputado que uma semana antes do atentado ele instigou violência ao afirmar que ia metralhar os petistas. Claro que o fato não justifica o crime sofrido por ele, mas devemos lembrar que a violência e o ódio não deve ser estimulados, muito menos por uma pessoa pública e candidato à presidência.

Quem está lá tem por merecer, mas 30% dos presos estão na cadeia de forma ilegal e sem condenação. Por ignorância e falta recursos para ter um bom  advogado.
A CONSTITUIÇÃO E AS LEIS DEVEM ACIMA DE TUDO SEREM RESPEITADAS. E EM CASO DE MUDANÇA, PRECISA DA APROVAÇÃO DO CONGRESSO.

OS PRESOS DEVEM CUMPRIR SUAS PENAS, MAS DENTRO DAS CONDIÇÕES HUMANAS ASSINADAS PELO PELO BRASIL EM ORGANISMOS INTERNACIONAIS.