Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Bolsonaro e MS Já foram alertados – Vai faltar medicamentos para UTIs

Blogueadores, neuro musculares, sedativos, anestésicos, e oxigênio,  essenciais para a intubação e oxigênio, terão estoques esgotados em no máximo vinte dias. Esses medicamentos são essenciais nas UTIs não só para covid como para outras doenças. Será um colapso dentro do colapso.

o presidente da republica e o ministro da saúde, receberam um comunicado da frente nacional de prefeitos e do Forum dos governadores sobre a previsão da falta de medicamentos de UTI e principalmente para intubação,  caso não sejam comprados. O Ministério da Saúde nada fez até o momento.

Tem hospitais diluindo medicamentos para que eles possam render, mas se o paciente não tomar a dose adequada o risco para uma não recuperação é maior.

é preciso um esforço do presidente da república para que em caráter de urgência, reponha os estoques

A situação do Brasil é dramática é aterrorizante estamos em um estado de guerra e pior ainda vai se agravar
os especialistas estão prevendo que em abril chegaremos a 4 mil mortes por dia. e se não ocorrer lockdown ´podemos chegar a 500 mil mortes antes do segundo semestre desse ano,

Os documentos têm como título “Irregularidades na cadeia de suprimento dos medicamentos utilizados para IOT Covid-19”.

IOT é a intubação orotraqueal, necessária para os pacientes graves com a doença

A população precisa se conscientizar da extrema gravidade da situação. E SE VC QUE ESTÁ ME OUVINDO NÃO PRECISA DE HOSPITAIS, MANTENHA TODAS AS MEDIDAS DE SEGURANÇA,USANDO MASCARAS, EVITANDO AGLOMERAÇÕES, LAVANDO AS MÃOS, EVITANDO FALAR COM PESSOAS, MESMO QUE AMBAS USEM MASCARAS

NÃO SE TRATA DE SENSACIONALISMO OU DESEJO DE CRIAR PANICO. AS AUTORIDADES MÉDICAS ALERTAM PARA QUE A POPULAÇÃO COLABORE PARA EVITAR MAIS MORTES.

Não adianta criar mais vagas de hospitais se não tem profissionais capacitados para ocupar os novos hospitais
Os médicos que estão na linha de frente no combate a doença estão mentalmente e fisicamente esgotados e muitos foram contaminados e morreram

Pacientes estão morrendo antes de serem atendidos por falta de vagas. Recentemente em São Paulo,  um jovem de 22 anos, Renan Ribeiro Cardoso, faleceu esperando uma vaga,