Bolsonaro é uma farsa até mesmo nas propagandas da SECOM

A Secretaria de Comunicação Social do Planalto (Secom) divulgou nota dizendo que o vídeo “Alô, Presidente”, publicado nesta quarta (1º) nas redes sociais de Jair Bolsonaro, é “uma peça-piloto inacabada que não deverá ser veiculada, não possuindo, portanto, caráter oficial”.

“De todo modo, a fim de sanar qualquer tipo de distorção dos fatos, o vídeo foi retirado do ar”, acrescenta a Secom.

Quando “Dona Maria Eulina”, de Penaforte (CE), pergunta como está a transposição do rio São Francisco em seu Estado, aparece a foto de uma sorridente senhora que, no site iStock, está sob a legenda “Mulher idosa feliz que sorri feliz na idade adulta – Imagem em Alta Resolução” e pode ser adquirida por R$ 45.

Depois de “Dona Maria Eulina”, quem pergunta é “Francisco Valmar”, de Parnamirim (RN), que questiona se há “alguma notícia boa” em relação a um trem urbano. A foto que aparece está no Shutterstock sob a legenda “retrato de trabalhador na fábrica no fundo” e, segundo o site, pode ser baixada gratuitamente.

OBS: O VÍDEO FOI DIVULGADO PELA PRÓPRIA SECOM.

PASSOU A NÃO EXISTIR, APÓS SER RETIRADO PELA SECOM

SE NÃO FOSSE A IMPRENSA QUE DESCOBRIU A FARSA, O VÍDEO CONTINUARIA  A SER DIVULGADO.

OUTRA PROPAGANDA FALSA

RECENTEMENTE OCORREU OUTRA FARSA DA SECOM.

IMAGENS USADAS DA INAUGURAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO ERAM FALSAS OU DA ÉPOCA DE LULA.

DIZ A FOLHA:

As primeiras duas fotos, que comparam uma estrada com veículos atolados na lama e uma rodovia asfaltada, não foram nem feitas no mesmo lugar. Com os mecanismos de busca reversa de imagens TinEye e Google, o Comprova encontrou registros da primeira imagem em uma apresentacão de slides publicada em 2008. Autora da apresentação, Gislaine Manteli, moradora de Nova Monte Verde, no Mato Grosso, informou que as fotos reunidas ali representavam a situação da rodovia MT-208 na época. Gislaine conta que os slides foram parte de uma mobilização do município para pressionar o governo estadual pela pavimentação da via.

 

De acordo com ela, hoje, o trecho retratado nas fotos, que liga as cidades de Alta Floresta até Nova Bandeirantes, está quase completamente asfaltado. De fato, imagens de satélite do Google mostram longos segmentos pavimentados, com exceção de trechos perto de riachos.

A segunda imagem da dupla de fotos utilizada no post foi publicada no site do DNIT em 5 de fevereiro de 2010. A foto ilustra uma reportagem sobre a pavimentação de 124 quilômetros da BR-163, entre Rurópolis e Santarém, no Pará. A obra foi realizada por um convênio com o Exército Brasileiro, com investimento de R$ 1,4 bilhão. Na época, o presidente era Lula.