Bolsonaro estourou cartões corporativos

Além de não conseguir decolar a economia do país, Jair Bolsonaro não quer saber de poupar, quando se trata de seus próprios gastos com cartões corporativos, que são os maiores desde 2014. As informações são da coluna de Lauro Jardim, em O Globo.

Entre os meses de fevereiro e setembro de 2019 – janeiro não é contabilizado por se referir a 2018 -, a Secretaria de Administração do Palácio do Planalto, responsável pelas despesas para o presidente, desembolsou nada menos do que R$ 4,6 milhões com seus cartões.

A quantia é 24% maior do que os R$ 3,7 milhões gastos no mesmo período de 2019; 55% a mais do que os R$ 2,9 milhões de 2017; 62% acima dos R$ 2,8 milhões de 2016 e 26% superior aos R$ 3,6 milhões de 2015.

Sigilo

Além disso, ao contrário do discurso usado pelo governo, não há transparência nessas despesas, pois estão protegidas pelo selo da segurança nacional. Portanto, as compras para Bolsonaro são sigilosas

Pra quem tanto se dizia defensor da transparência, tá bem estranha essa história de “gastos sob sigilo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.